TRADUTOR

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Por meio de quê Deus nos prova? Parte 2.

... Anterior

1.Deus nos prova por meio de nossas tribulações e tentações.
Para mim tribulação é a somatória de lutas, perseguições, mais tentações; poque durante uma tribulação estamos sendo tentados, estamos batalhando contra a carne, o diabo e o mundo, e somos perseguidos pelos nossos adversários. O cristianismo é a arte da guerra espiritual, um bom cristão é um bom guerreiro. Tenho também que tribulação é sofrimento, pertubação, aflição na carne; digo isso para nós cristãos, porque em Cristo Jesus temos paz com Deus(Romanos 5.1), pois estamos reconciliados com Deus por meio da confiança, que temos em Jesus. E quando somos tentados e atribulados em nossa carne, por intermédio desta tentação, Deus está nos provando, mas, digo só somos tentados por não vigiarmos e orarmos como Jesus nos recomendou, então a tentação é pra nós em nós, a prova ou evidencia(não o teste) de Deus a nós, de que não estamos vigiando e orando como devíamos, " e não aconteça que os vossos corações se sobrecarreguem de bebedeiras, glutonarias dos cuidados desta vida ..." Lucas 21.34. A tentação além de ser para nós a evidência de Deus em nós da nossa falta de vigilância, também é um meio de Deus nos provar(testar) para por meio desta prova ele nos conceder evidencias irrefutáveis de nossas loucuras ou pecados internos; ou evidencias irrefutáveis de nossa fidelidade em meio a tribulação ou sofrimento na carne, que esta tentação pode nos vir a causar.Não que a palavra de Deus não seja suficiente, visto conhecer ele o nosso coração, mas, para que não haja desculpas e todo o homem fique calado diante de Deus, e Deus manifeste a sua justiça.
Mas muita das vezes somos vigilantes e temos uma vida intima de comunhão com Deus, e mesmo assim somo atribulados isso é o que tenho dito. " A luta é o resultado natural do viver". Você já viu um morto lutando? Um defunto, chorando, trabalhando, sendo perseguido? Uma pedra cria famílias, por si mesmo ela entra em conflito com a outra? Certamente que não. Desde que vivemos em Cristo, estamos lutando contra o mundo, e contra a morte lutamos para viver.
2. Por meio de nossas lutas, e os instrumentos usados contra nós para nos tentar e atribular; para promover a luta. E por meio dos que operam promovendo essa luta em nós.
Satanás usa o mundo, o mundo usa a carne, a carne usa o próprio mundo e os instrumentos por ele oferecidos. Estes instrumentos, são pessoas, são sentimentos, são pensamentos, são problemas de nível social, ou cultural, pessoal ou geral, são organizações, e religiões, todos, todo o meio que nos arrodeia é um mar de conflitos, de desafios a nossa fé, fidelidade, sinceridade, amor a Deus, etç...
Eles estão a se opor a nós, mas, não sabem que são indiretamente, instrumentos de Deus; para o nosso próprio proveito e para a promoção do provar de Deus(Romanos 9.22-24/Hebreus 12.2-11)

Por meio de quê Deus nos prova? Parte 1.

Certo é que somo provados, e certo é também que toda a prova, todo o teste, possui meios pelos quais eles são efetuados, e estes meios podem ser criados por este alguém que planeja realizar o teste, ou estes meios apenas aproveitados por este alguém.É por isso que digo que as lutas não são de Deus, nem as provações, nem as tentações, nem qualquer ação ou intenção puramente humana; mas, Deus usa todos estes para por meio deles, ou através deles, realizar nos provar; quando a intenção ou ação do homem é inspirada pelo Espírito de Deus, então ela é de Deus; quando é por um demônio ela é demoníaca; mas, o homem pode e quer também por sí mesmo, ou seja sem ser influenciado, por outro, ou por Deus e por um demônio.Agora como sabemos que o provar de Deus, é por intermédio de um meio criado por Ele mesmo, ou apenas aproveitado por ele?(Quando digo,"meio criado por Deus", e "meio apenas aproveitado por Deus", é que este"meio", mesmo que tenha sido também criado por Deus, com o objetivo de ser usado para provar você, pode ser usado como prova como uma forma de aproveitar este meio para fazer também uma prova).
Pela natureza do meio(veículo ou instrumento da ação, ou objeto de observação e ou referência); pela relação do meio com Deus, ou seja, sendo de Deus mesmo, será revelado pela sua relação, a autoria divina, Tiago 1.13 deixa subtendido isto quando diz, que "Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta", ou seja nenhum mal tem relação com Deus, porque o mal não tenta e nem consegue isso realizar em Deus, e o Senhor não cria um mal para por meio dele nos provar, por exemplo; no acontecimento Bíblico em que Deus testa a Abraão pedindo-o que lhe sacrifique Isaque o seu único herdeiro.Queria Deus mesmo que Abraão matasse o seu filho para por meio da morte dele saber que Abraão o temia?Certamente que não, sendo já precavido de que antes de Abraão chegasse ao local do sacrifício preparasse um cordeiro para ser morto no lugar de Isaque; pois a sua intenção jamais concebe ou concebeu o mal(Gênesis 22.18).E mesmo que aparentemente o conceba, como no caso da confusão das línguas em Babel(Gênesis 11.1-9); e como no caso das pragas do Egito(Êxodo 7-12), e da morte de Acabe(I Reis 22.13-40), são casos que antes de uma conclusão precipitada em afirmar que por causa disso há mal em Deus; devesse levar em consideração primeiro o contexto da história, segundo a justiça de Deus, terceiro a onisciência de Deus.
Deus sabia do que havia no coração dos construtores de Babel," tornemos celebres o nosso nome".Deus sabia da obstinação do coração de Faraó(Gênesis 15.13,14), ele não tornou o coração de Faraó assim, pelo contrário; sabendo de antemão que o coração de Faraó seria assim usou isso como ocasião para mostrar nele o seu poder; vale levar em consideração também, a visão e o pequeno conhecimento que o povo tinha na época a respeito da pessoa de Deus; e também a justiça de Deus em julgar a Faraó. No caso aqui de Acabe, o espírito que veio da parte de Deus simplesmente veio exercer juízo, sobre este rei que já havia vendido-se ao mal. Mas de forma nenhuma Deus intencionou o mal, pelo contrário, fez uso dele para exercer juízo e justiça; não o criou, não concebeu, ao percebe-lo  e a probabilidade de exercer justiça através dele, apenas o aproveitou  da maneira mais sábia possível. Isso é permitindo-o não o efetuando. E muitos são os meios pelos quais Deus nos prova. Continua...

sábado, 17 de dezembro de 2011

O DNA e a característica pessoal de cada célula exemplificam a trindade.

No nosso complexo organismo, que é o corpo humano, temos vários órgãos com funções diferentes, que na composição de seus tecidos existe grupos de células específicas para eles. Portanto uma é a célula do cabelo, e outra é a célula dos olhos, outra a da pele, outra a da gordura, mas, uma coisa todas tem em comum, o mesmo DNA. No início surgiram elas de uma mesma célula que foi se duplicando, e de acordo com as necessidades do organismo se diferenciaram em suas funções, mas, mantiveram o mesmo DNA. E no que isso pode exemplificar a trindade?Simples, são três pessoas(células), mas, um único Deus(organismo). Três pessoas diferentes(células de órgãos diferentes de um mesmo organismo), mas, todos são eternos, onipotentes, onipresentes e oniscientes, ou seja possuem a mesma essência (Tem um mesmo DNA). Logo Deus é um como Deus, um na mesma essência(DNA), mas, três pessoas com suas individualidades(Neurônios, hemoglobinas, etç ...).
A doutrina da trindade defendida pelas igrejas ortodoxas cristãs, nunca foi difícil de ser entendida, talvez a pedra de tropeço seja as pessoas não conseguirem aceitar, as existência de um Deus, que seja três pessoas ao mesmo tempo.O que acontece é que quando se fala sobre Deus as pessoas o veem no conceito popular e pagão de um super-homem, mas, Deus primeiramente não é homem nem mulher, porque ele não tem sexo, isso é uma capacidade que Deus deu aos homens e animais do mundo natural; outra coisa não sendo Deus homem, então a classificação "Deus" não é seu nome, e nem pode ser usada para descriminar que ele é alguém único, nem tão pouco masculino; a classificação Deus também é uma invenção humana, que não o pode designar como um ser único, mas, sim pode só apenas se referir ou revelar a sua natureza, que é divina.
Já há quem diz que Deus é um ser que se manifestou de três formas diferentes, e em situações diferentes se mostrou uma pessoa diferente, como no inicio foi o Pai, no evangelho foi Jesus, e agora é o Espírito Santo. Como se vê no exemplo das células e do DNA, num outro exemplo também que dei da mexerica, não há dificuldade em compreender a doutrina da trindade, e sim o que há é uma dificuldade em aceitá-la. Da parte dos judeus até compreendo eles não tem a revelação de Jesus Cristo, pois o não aceitam como sendo o Messias, o enviado. Pois se o tivessem aceitado como o enviado, veriam claramente os diversos diálogos de Jesus nos evangelhos e como neles ele faz a diferenciação de si e do Pai, e do Espírito Santo, principalmente no Evangelho segundo escreveu São João se vê claramente isso, e ao mesmo tempo em que ele faz essa diferenciação ele mantem-se na posição se declarando "Filho" do Pai, dizendo com isso compartilhar da mesma essência que o Pai este outro ser a quem Jesus em sua missão se submete espontaneamente.
Ainda tenho algo, para refletir, sobre este assunto, e o faço com uma pergunta. Se Jesus é Deus, o Espírito Santo é Deus, o Pai é Deus, se porventura hipoteticamente falando, Jesus queira se desassociar da trindade ele deixaria de ser Deus?Bem para tentar responder essa pergunta começo afirmando que isso é impossível de acontecer, pois, existe na trindade um atributo que impede que Jesus, ou qualquer das outras pessoas da trindade tome o caminho contrário ou pense diferente, este atributo se chama onisciência. E porque este atributo impede que Jesus ou outra pessoa da trindade se torne um opositor aos demais? Porque pela onisciência eles sabem de tudo, e sabem o mal ou a catástrofe que essa decisão tomada poderia causar, eles sabem o que isso pode fazer e compreendem que só há um caminho, e sabem o que uma decisão errada pode causar, e sabem qual a melhor decisão a tomar, e é por isso que sempre preferem a comunhão. Tiago diz que eles não podem ser tentado pelo mal, ou seja em sua onisciência e soberania o mal jamais os consegue derrotar, pois antes que ele suja, Deus já o sabe.Agora se hipoteticamente, Jesus viesse a tomar este caminho, uma coisa que não existe que se chama dualismo, passaria a existir, pois seria Jesus de um lado e o Pai e o Espírito Santo do outro, mas, isso como eu já afirmei devido a onisciência é algo impossível de acontecer, isso só aconteceria o dia em que Jesus deixasse de ser onisciente, e ele só deixaria de ser onisciente o dia em que ele deixasse de ser Deus.
Mas, o que isso tem a ver com o assunto em pauta?Com esta argumentação acima estou tentando te demonstrar, que o Deus trino é um em tudo, de menos em pessoa, mas, que isso não anula a sua unidade, porque pelos seus atributos a onisciência, onipresença, e onipotência, e por sua soberana vontade é que a sua unidade é estabelecida e mantida.Segundo João 17.21 fica subtendido, que a comunhão é o caminho, que percorrem para manter esta santa unidade.
Deus voz abençoe!!!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Ponto a considerar 3: Sã doutrina

"Tu, porém fala o que convém à sã doutrina.(Tito 2.1)"


 O que quer dizer isso? O próprio nome reponde a esta dúvida, é uma doutrina ou ensinamento que não é doente, enfraquecido por algum mal. Aplicando-se ao contexto que é o cristianismo, sã doutrina é aquela doutrina ou ensinamento que não tem influencia de algum sentimento ou filosofia pecaminosa que possa a deturpar, ou levar o ensinador a ensiná-la de forma a favorecer o seu erro, ou ao seu pecado ou a sua forma filosófica contrária ao cristianismo bíblico. A sã doutrina consiste nos ensinamentos de Jesus ( os quais estão registrados nos evangelhos) e os ensinamentos dos Apóstolos ( registrados nas cartas apostólicas e no livro de Atos).
A sã doutrina é aquela que é pura de todo ódio, rancor, tristeza, cobiça, vício, preconceito, amargura, ilusão e ou utopia. Por exemplo, o pastor ao qual lhe é responsável ser o zelador da doutrina da igreja, se este pastor for escravo da masturbação, e acontecer que numa escola dominical couber-lhe a responsabilidade de falar sobre o assunto, ele então terá os seguintes caminhos.
Primeiro, ele hipocritamente vai pregar contra, e numa aula de representação, poderá até mesmo causar em seus discípulos uma certa repugnância contra este ato, mas, sua doutrina não resultará em transformação nem mesmo em libertação, quem que estiver no ato continuará do mesmo jeito, a não ser que pela misericórdia Deus venha a operar. Ou pode causar um efeito contrário aquilo que se espera, pois só o Espírito produz santidade real e genuína.
Segundo, ele pregará sendo sincero, mas, ou não se dedicará a aprofundar sobre o assunto, por ser incomodado pela sua situação espiritual e com isso deixará muitas dúvidas nos corações dos discípulos que precisam de um esclarecimento. Ou apenas encherá os discípulos de enformações exaustivas sobre o assunto, bem como estatísticas, pesquisas, causas e consequências, deixando contudo que os mesmo tirem as sua próprias conclusões, como não é liberto também omitirá uma solução palpável e útil(pelo fato de não a ter).
E terceiro poderá para ser coerente pregar a favor e usar o fato de que a Bíblia não trata claramente sobre o assunto e usar isso como brecha, se desculpando pelo seu desvio. Paulo disse, que nos últimos tempos amontoariam doutores para si segundo as suas próprias concupiscências(2 Timóteo 4.3). Logo podemos concluir, que este pastor ou confessa e procura sinceramente a libertação e recusa a oportunidade de falar sobre o assunto não sendo o mesmo apto, ou aceita falar contaminando assim seu ensinamento por causa do pecado, expondo para a  igreja uma doutrina fraca, sem poder, sem aquilo que a igreja precisa, para uma vida vitoriosa.
A sã doutrina cristã(Tito 2.7,8):
*Mostra incorrupção(integridade), o ensinador jamais distorce a palavra ou a usa para seus fins, sejam eles quais forem, mas, a ensina como ela é, sem alteração.Não negocia ela por dinheiro, não influencia ela para se proteger, ou favorecer seus erros teológicos, ou pecados, se ele errar pede desculpas procura reparar e prossegue, ele não deve ter do que se envergonhar diante do evangelho, nem deve ser motivo para escândalos e difamação do bom nome que em nós é revelado.É ser integro, honesto com seus ouvintes.
*Gravidade(seriedade, reverência), o ensinador jamais brinca com a palavra, manuseando a como um brinquedo, lembrem-se ela é a espada do Espírito, e não a sua espada, embora acostumamos a dizer que ela é a arma do cristão, na verdade ela é usada pelo cristão, mas, não é dele(Efésio 6.17,18).
*Sinceridade, não preciso detalhar, não vá enganar a si mesmo, a palavra jamais vai aprovar o seu erro, se você distorce a Bíblia, então você é que esta dizendo não ela.
*Linguagem sã e irrepreensível saiba que você está sendo pesado, suas próprias palavra poderão e serão usadas contra você. No tribunal dos homens e no tribunal de Deus. Como ensinador da palavra de Deus e da justiça, sua linguagem deve e precisa ser o primeiro referencial da verdade e deve inspirar a justiça e o caminho da santidade na vida daqueles que te ouvem, sua linguagem precisa ser sã, o que é isso primeiramente a linguagem de alguém vem do que a inspira e dita seus rumos na vida, se ele é um escravo do pecado não só a sua doutrina será ditada de forma a agradar ao seu senhor, o pecado a concupiscência, como também todo o seu ser será governado e ele vai seguir por um estilo de vida ditado pela lei do pecado.Vida doente, linguagem doente, doutrina doente.
Se você é escravo do pecado, todo o seu caminho será pra agradar a ele, se você é um servo de Deus da mesma forma. A gente vive para agradar aquilo que fala mais alto dentro do nosso coração. Um simples sentimento pode ser só isso, mas, a partir da hora que ele toma conta da sua vida, a partir da hora que ele submete a vontade a seus caprichos, então ele passa de um simples sentimento a um senhor, e o seu querer passa a ser lei para a pessoa sobre quem ele está. Ele até muda de nome, de sentimento passa a se chamar concupiscência, de desejo sexual passa a se chamar lascívia e por ai vai.
Vida sã doutrina sã, Jesus tem vida e vida com abundância João 10.10.


Palavra importante 11: Zelo

"O zelo da tua casa me devorará".(João 2.17 Pb)


O que é zelo?E por que isto é importante para mim como um cristão? Qual foi a atitude e o sentimento de Jesus diante das senas de corrupção explícita dentro do templo? Ele sentiu revolta, ele se posicionou, não com argumentos vazios, mas, com atitude. E indagado sobre o porque fazia isto, ele respondeu ."Derribem este templo e em três dias eu o reedificarei". Ele respondeu com uma resposta em relação ao seu próprio corpo. Isto é ser zeloso, isto é zelo.
Não temos mais líderes tão zelosos, não se ver fervor na defesa da doutrina, da pureza e da santidade, aqueles ladrões estão de novo dentro do templo, agora não estão mais no pátio do templo, estão nos púlpitos, estão berganhando a nossa fé, negociando o nosso louvor, comercializando os nossos milagres. Não estou generalizando, são poucas as vozes ou melhor são até muitas as vozes, mas, são poucas as disposições, são poucos os corações que resolvem cuidar, zelar, procurar manter e até mesmo restaurar a fé, a doutrina, e os valores do cristianismo.
Se você não cuida da sua herança, ela se perde, se nós não cuidamos do que Cristo e os apóstolos deixaram, para nós, seremos reputados por um bando de fundamentalistas tagarelas, que só sabem falar, e inspiram escarneos, e blasfêmias da parte daqueles, que não querem saber de zelar, cuidar da boa e sã doutrina, da boa tradição.
Ser zeloso, não é apenas falar, mas, como Jesus, promover a restauração ao nosso redor, cuidar dos valores do cristianismo, não só denunciar os ladrões e falsos mestres, dentro do templo, mas, expulsar repreender, ou seja tomar a atitude que te for possível, e estiver na sua mão. Além desta boa disposição em combater os maus,é  preciso apregoar insistentemente e com dedicação à sã doutrina.
Seja um zelador do sagrado. Comece pela tua vida, não almeje apenas uma restauração de Deus, receba e viva esta restauração. Não diga apenas, o que você precisa reparar, repare, e vigie sempre, ore sempre, cuide da sua coroa, para que ninguém a tome(Apocalipse 3.11).

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A provação promove a unidade do corpo( Santidade, união e comunhão) Parte II


c) Comunhão. E o último desses três itens que promovem a unidade do corpo. Comunhão é quando compartilhamos das mesmas idéias, sentimentos, intenções e pensamentos. A comunhão, entre ela e os dois primeiros itens, já mencionados, é a que melhor e mais contribui para a promoção da unidade do corpo de Cristo.De posse do conceito de união e comunhão;digo que a comunhão constrói um órgão, ou seja, em cada célula que compõem um fio de cabelo, se encontra o DNA para a composição do fio de cabelo, toda a informação que precisa par a existência daquele fio de cabelo, a sua cor(preto, vermelho ou amarelo) e se será crespo ou liso. E isto em cada célula das milhões que compõem um único fio de cabelo, isto é a comunhão de DNA. Mas, a união constrói um sistema de órgãos como por exemplo o circulatório, que é composto pelo coração, pelas artérias, veias, venículas, arteríolas, vasos e capilares. Também constrói um organismo, como por exemplo o nosso corpo; em que um órgão precisa do outro e não pode negar a existência dele para o bem de sua própria existência, já dei o exemplo do pulmão e do coração. Também todo o nosso DNA ou informação genética que há para a construção de um corpo humano cheio de órgãos, que há na célula de um cabelo, há também na célula do pulmão, sendo assim órgãos diferentes, mas, iguais em seus DNA.
O que quero dizer com isso?Que a comunhão e união são fatores vitais para o corpo de Cristo, e que sem a comunhão não haveria corpo de Cristo, e que assim como um câncer destrói as células de um órgão primeiro e se espalha até matar o corpo. A crescente falta de comunhão entre os cristãos e denominações, querem ou intentam matar o corpo de Cristo. Por que há um único DNA em cada crente chamado Espírito Santo, o qual torna-nos células de um único corpo, e é ele que promove a plena comunhão; e sem Ele não somos de Cristo (I Coríntios 12.12-31 Romanos 8.9).

d)Qual vinculo entre Santidade,união e comunhão, para a promoção da unidade do corpo de Cristo? Em que está o provar de Deus em tudo isto?
A estabelece o elo, a comunhão o conteúdo do elo, e a santidade a integridade do elo. A comunhão diz em que estamos unidos, a santidade visa manter e aperfeiçoar esta união. Agora o vínculo entre união, santidade e comunhão para a unidade do corpo é, que pode haver união sem todos terem comunhão, sem serem santos ou puros de intenção ao se unirem, pode justos e injustos estarem unidos num único propósito e isto é união e talvez em particular e minúscula comunhão que é o ponto no qual e pelo qual estão unidos, e nada mais; a união é a base para a comunhão, contudo, não é comunhão; e santidade é diferente de ambas, a santidade mantem e aperfeiçoa a comunhão e a união; a prova da santidade é a comunhão com os santos( não necessariamente a plena comunhão, mas, uma comunhão progressiva que caminha para a plena); o vínculo é este que não pode haver corpo de Cristo, não pode haver a unidade dele, sem santificação para a sua integridade e comunhão e união; se faltar união o corpo é esquartejado, se faltar comunhão há rejeição e órgãos, se faltar santidade há câncer e morte do corpo, o vínculo resumidamente falando é que só podemos sermos um em Cristo, se não faltar e abundar em nós estes três itens.
E o provar de Deus está em que, ele promove a santificação do corpo, a sua integridade e regeneração, ao revelar pelos frutos os justos e os injustos, promove a união ao despertar os santos para ajudarem os que estão necessitados de apoio em todas as áreas da vida, promove a comunhão ao unir todos a Cristo, a verdade e a vida, e ao caminho; ao mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, a palavra viva e muito mais.(Filipenses 2.5/ 2 Coríntios 4)

... anterior

domingo, 4 de dezembro de 2011

A provação promove a Unidade do corpo(Santificação, união e comunhão).Parte I

Além do que já tenho dito do provar de Deus, com um apanhado;gostaria de dizer particularmente sobre cada um dos itens principais que promovem a unidade do corpo, e ligá-los ou seja descrever como a provação traz ou promove eles e com eles a unidade do corpo.
a) Talvez todos ou pelo menos a maioria saiba o que significa santificação.Se não sabe expressar em teoria sabe em prática. Toda a vez que separamos algo para um uso exclusivo, nosso ou de alguém, estamos o destacando; sabendo é claro de ante mão que santificação, não é uma consagração(separação para o sagrado)  ao ego, mas, a Deus. Todavia Deus diz a Moisés; "pois me não santificaste no meio dos filhos de Israel"(Deuteronômio 32.51), nos da a entender que santificação não é só,"ser separado para o uso santo", mas, também é "mostrar a majestade de Deus (Ezequiel 20.41)".
Sabemos também que Deus é infinitamente Santo, isto é, em toda a sua plenitude, em todos os sentidos. Mas o que é santidade, digo; não o que significa a palavra "santidade", nem as varias aplicações que a palavra pode receber; mas, o que é santidade ensinada por Jesus e seus discípulos, a qual o escritor aos Hebreus, disse,"sem a qual ninguém verá a Deus". Esta santidade é pureza de coração; intenção pura, projetos puros, um fim de vida separado para agradar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo( Hebreus 12.14/Mateus 5.8).
A pureza moral ou de coração, é exemplificada pelos rituais de pureza física do velho testamento onde o homem se separa dos relacionamentos sexuais para chegar diante de Deus nos dias de festa, e de qualquer animal morto ou imundo, ou de sangue ou de semem; ou da mulher na época da menstruação ou no período de resguardo (Números 6.1-21;9.6-14;19;31/ Levíticos 12;15). Na santificação sacerdotal, o qual não poderia se contaminar, isto é, se tornar imundo por ninguém; a não ser os da família que tivessem morrido(Levítico 21.1-15).Pureza moral é você está livre de toda a má intenção, de toda mesmo, e não somente isso, mas estar consagrado a toda boa intenção. E quando digo má intenção digo de ser egoísta, de andar segundo a carne e a     mente carnal, de  deixar de agradar a si mesmo em primazia. E quando digo de boas intenções, digo de ser caridoso, na caridade não egoísta, isto é estar consagrado a prática do bem a Deus e ao próximo, em agradar não a carne, mas, ao Espirito.


b)União. O segundo item que promove a unidade do corpo de Cristo, é a união; deixando por isso claro que união é quando um grupo de pessoas se ajuntam num único propósito ou para realizar alguma coisa, unidade é quando somos um.E todos nós estamos unidos em torno do nome de Cristo, de semear a sua boa palavra. Nada mais uni tanto os crentes em Cristo e uns aos outros do que a perseguição. E aprendi também com Cristo que a prosperidade espiritual promove a liberalidade(ou generosidade) entre os ministérios; e que o ministério prospero que retem a liberalidade para com o próximo, pode e certamente ocorrerá a sua queda (Lucas 5.4-7/12.13-21/Isaías 32.5-8).
Com isso quero dizer que sem as células que compõem um orgão, ele jamais seria o que seria, mas, se um orgão não cumprir a sua função ajudando o outro, tanto ele como o outro com as celulas que os compõem serão destruídos e perderão as suas funções vitais. Por exemplo, o coração e o pulmão. O pulmão recebe o sangue do coração, e o esvazia do gaz carbônico(CO2) e o carrega de oxigênio(O2), devolvendo ele para o coração que o próprio se beneficia do sangue que recebe do pulmão. Da mesma forma se um cristão ou ministério se recusar na sua prosperidade de ajudar o próximo, assim como os dois órgãos entrariam em falência, estes também entrariam em falência espíritual.
Portanto se estamos unidos em Cristo estejamos também unidos com o nosso próximo. Pois é mais fácil acharmos erros em alguém que vemos, do que em alguém que não vemos. Pois até mesmo Cristo quando estava aqui sendo visto pelos homens, havia os fariseus e doutores da lei que diziam. "Ele come com pecadores".

continua...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

*A Trindade e a mexerica




Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
Mateus 28. 19


A mexerica é um fruto que se divide em vários gomos, todos eles possuem sabor, a mesma cor e o mesmo cheiro, todos semente, em resumo todos são iguais. Porém cada um deles é um gomo em individual, mesmo que a laranja também possua gomos, mas, só os gomos dela é que tem a capacidade de se dividirem sem perder a sua integridade( você até pode fazer isso com a laranja, mas, exige-se uma certa técnica e cuidado, porém a mexerica, não precisa disso). Porém todos eles são unificados por uma casca, e são grudados uns aos outros, mas, são cada um, um gomo em individual. Você pode entender isso? Você pode aceitar que são o mesmo fruto? Você pode compreender que, olhando para a mexerica como um todo você tem apenas uma mexerica e não várias? Única e suficiente em si. Mas, olhando a mexerica, pelo ângulo dos gomos, você vê que ela se divide, em vários e iguais gomos, os quais são totalmente iguais, mas, pessoais e vários?
Assim é a Trindade, um Deus, três pessoas individuais. Não é a mesma coisa que três deuses. A Bíblia nos expõem Jesus, no Evangelho de João 14.16, dizendo. "Eu rogarei ao Pai, para que voz, envie outro consolador". Jesus não precisava e nem carecia de encenar, quantas vezes nos evangelhos ele disse que fazia a vontade do Pai? Se segundo os unicistas, Jesus, o Pai, e o Espírito Santo, são a mesma pessoa, outros dão outras explicações, como o fazem as testemunhas de Jeová, porém se Jesus é a mesma pessoa do Pai, por que ele falava do Pai, que incoerência é esta?E por que falava com o Pai em oração, como o fez no jardim do Getsêmani?
Não são três deuses, embora pareça, mas a unidade e cumplicidade diz o contrário. Pois nosso conceito de Deus, vem dele, segundo Paulo em Romanos 1, os homens criaram outros deuses, com base na noção que tinham do verdadeiro. Ao abandonarem o verdadeiro Deus, para suprirem a necessidade e a falta dele, criaram os primeiros falsos deuses, dai veio uma ploriferação, mas, no início não foi assim. No entanto como o homem adaptou o Deus eterno, a figura dum limitado deus humano (como o faz até hoje), é natural que seu conceito natural sobre o verdadeiro Deus ficou comprometido, por que tal como o deus é aquele que o adora. Todavia o nome Deus veio dele, o primeiro, original e verdadeiro, como não poderia esquecer de dizer único; mas, em
três pessoas, ai vem a pedra de tropeço dos unicistas.
Precisamos olhar Deus muito além de pessoa( gomo), mas, também como Deus( mexerica); ou seja Deus é único, mas, coexistente em
três pessoas distintas, e o fato de ser Deus um isso não anula as suas particularidades, a comparação com a mexerica é apenas no tocante ao fato de Deus ser um e ser três pessoas que compõem esta unidade, todavia existe na particularidade como pessoa diferenças entre os três, mas, o propósito e o ser um só coração é que acima de tudo os torna um. Agora quando falamos que Jesus é Deus, o Pai é Deus, e o Espírito Santo é Deus, não estamos dizendo que são três deuses separadamente, mas, que são Deus, pois o atributo da unipresença, coexistente nos três faz, com que estejam sempre presentes, onde um está pela unipresença o outro também. Da mesma forma como os gomos da mexerica, são indiduais mas, unidos.
São três gomos grudados, isto endossa o fato de Jesus dizer, " quem vê a mim vê o Pai", não são por ventura os gomos iguais? E onde um está os outros dois estão unidos.


OBS: Esta ilustração como muitas, não explica a trindade,  em todos os aspectos, mas, é válida para uma compreensão básica sobre o assunto.Quando falo isso digo porque existe dúvidas mais profundas sobre o assunto, que talvez mesmo lendo este texto você ainda permaneça com elas. Mas, leia a palavra e deixe que o Espírito Santo que conhece o coração de Deus(1 Coríntios 2.9-16) te revelar no tempo certo os segredos do seu coração.

Deus nos prova para o fortalecimento da nossa fé

A provação de Deus, não visa abalar a fé de ninguém; mas se a fé deste alguém não está bem fundamentada, não tem criado raízes profundas na palavra de Deus, é claro que um edifício fundado sobre a areia cairá com a chuva o vento e a enxurrada.
Deus não quer uma fé fundamentada em enganos, por isso permite que as lutas, tentações e tribulações venham sobre este crente, a fim de com a sua queda possa mostrar-lhe o seu desvario, o seu engano. Posso dizer também que esta provação não visará a morte espíritual de tal crente, mas, a restauração. Portanto é necessário distinguir-lhe do crente que recebe em si a recompensa do tentar a Deus, o qual poderá se desviar e às vezes até morrer; e distinguir aqueles que ouvem a palavra de Deus, mas não guardam, pois os tais tem conforme falou Jesus, "uma grande queda"(Mateus 7.24-27)
Então estou dizendo da "correção de Deus",ou seja, estou me referindo aquele crente que sendo servo fiel a Deus; mas, por um vacilo começa a se desviar e seguir um curso cego, como pastores santos que começam sem perceber as vezes a dar lugar no coração ao dinheiro, as vaidades da riqueza, e sem perceber esta concupiscência começa-o a levar a oprimir os santos, e a tomar atitudes carnais as quais não convém. Deus que o conhece em sua onisciência; chama lhe a atenção muitas vezes por profecias, visões, pregações, testemunho;mas, o coração cego também é surdo. Então Deus suspende a sua proteção e deixa-lhe ser corrigido pelo resultado natural de seus próprios erros, até que ele venha a reconhecer, mesmo que isso seja a última coisa que ele faça. Não é bem o caso que eu estou falando, mas, em I Coríntios 5.1-5, mostra algo parecido ou seja da para trazer uma luz sobre este assunto.
É necessário dizer também que para o justo a provação de Deus visa fortalecer a sua fé; Deus conhece quem é justo e quem não é, o verdadeiro justo Deus o classifica como seu. Em algumas versões de Hebreus 10.38 diz: "Mas, o meu justo viverá da fé", e outra só diz, "Mas, o justo..." Ao crescer em conhecimento de Deus; o homem, também cresce em confiança, a medida que mais amadurecermos espiritualmente, ou seja na nossa comunhão, na nossa vida, no nosso andar com Deus; seremos capazes de confiar em Deus, duma forma que não confiaríamos antes; se loucura é a palavra adequada seremos loucos, tão loucos que não importaremos com o mundo a nos classificar de loucos, porque a loucura de Deus é mais sábia do que a sabedoria do homem.
Deus prova os justos, para fortalecer-lhes na fé. A evidência do cuidado de Deus em toda a tribulação, é adubo para nossa fé; a evidência de sua justiça, de seu amor, de sua onisciência, de sua dignidade e fidelidade são alicerces para a nossa fé, para nós.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Porque creio? Parte VIII

B)Porque pode não ser absurdo, aquilo em que deve crer, mas, ele passou muito tempo e empenhou tanto contra aquilo ou seja na direção contrária, que o orgulho ou pesar pelo que gastou ou empenhou na verdade contrária, que agora terá que para aceitar ou para crer, terá que jogar tudo fora.Este pesar ou este orgulho, por isso, o impede.
A fé é uma opção, vivemos n'um mundo, de corações cheios de pedras(Mateus 13.20,21).Corações que creem apenas naquilo que querem crer, já conheci pessoas que creem na "existencia de Deus", mas, não creem numa vida após a morte, para eles céu e inferno, são aqui mesmo.Até mesmo cristãos vivem assim, e isso é prejudicial para a sua própria fé, que não cria raízes na palavra de Deus, como para toda a sua vida.
Já conheci pessoas, que não admitem a verdade, por puro orgulho, ou pesar em ter que deixar a mentira que tem levado a tanto tempo sobre os ombros. Em Mateus 19.16-22, vemos o caso do jovem rico, ele possuía um estilo de vida ao qual mentara desde sua juventude(Marcos 10.20). Como o texto nos relata que ele ainda era jovem, podemos concluir então que desde a sua adolescência ou infância, que ele mantinha o seu estilo de vida. Mas quando teve que ouvir a verdade acerca de seu estilo de vida, que o tal o tornara inapto para o Reino de Deus, ele não quiz aceitar a verdade, o amor que ele tinha pelo dinheiro ou seja pela sua vida medíocre, o deixou pesaroso, triste, não quiz a Cristo. Então o que impede um homem de crer?Eu digo, são tantas coisas, e isto inclui a sua própria vida, se ele ama ela mais do que a Cristo, não sendo digno d'Ele(Marcos 8.34-36).
C)Por que ainda não sabe toda a verdade, pois a verdade precisa ser completa.
"Ao que Jesus lhe respondeu: Por que te disse que te vi debaixo da figueira, crês?Pois maiores coisas do que estas verás."João 1.50
Há pessoas como Natanael, com disposição de fé, simples e incrível.Facilmente creem.Mas por outro lado, há pessoas que estão atrofiadas na fé.Existe um remédio para isso, o Espírito Santo, que tem a capacidade, de revelar ao coração do homem, verdades sobre a verdade. Neste caso sobre Jesus, sobre Deus, ele revela verdades que pela teologia, pelo estudo dela,pela Bíblia, jamais o homem teria tal capacidade de enxergar ou compreender. Não que a mente humana não possa. Mas, por serem verdades espirituais, as quais só se discernem assim.
Por isso a verdade para ser completa. Ela não pode ser compreendida apenas no âmbito da alma, ou do corpo físico.Mas, também precisa ser compreendida no âmbito espiritual. Porque a verdade ela não é algo assim, tão limitado, ela é algo muito além do que o micro ou o telescópio possa nos mostrar.
Um espírita uma certa vez, disse que a Bíblia é limitada. Mas, eu não compreendi, porque ele fugiu, quando quiz lhe citar ela.Se ela era tão limitada, porque espantara ele? Será que não era o medo do que a Bíblia poderia revelar a respeito do seu engano?Será que não era o orgulho, de ter que admitir a verdade? Ou será que ela, era tão limitada que ele não queria perder tempo? Talvez dissesse ele isso para si mesmo, tentando se convencer disso...


Aqui termino meu estudo, pensei que precisaria de mais duas postagens, mas, resolvi postar todo o resto do conteúdo deste estudo aqui. Se o amado leitor, tiver alguma dúvida sobre o que tem sido qui postado, entre em contato conosco, pelo imail, que está no meu perfil.

(leia este estudo todo desde o início, Porque creio?)
Fiquem todos na paz do Senhor Jesus!!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Porque creio? Parte VII

IV.Porque alguém resiste a crer?
 A)Porque aquilo em que deve crer é absurdo.
As verdades, existem em conjunto.Existe sempre neste conjunto uma verdade maior, a qual podemos classificar de fato, de realidade ou outro nome, que de acordo com o meio em que esta verdade se achar, será apropriado.
Usando como exemplo o nome fato.Digo que o fato é a verdade maior, e as verdades menores são as verdades sobre este fato.Eu não estou falando das hipóteses e mentiras que alguém pode levantar, e até mesmo fantasiar sobre o assunto. E sim, sobre o que realmente é verdade sobre este fato.
Acontece o seguinte, Deus é uma verdade maior aliais é a maior de todas, pelo que todas as outras verdades, se subordinam a Ele(Salmo 19.1-4).E quando alguém diz que crer em alguém, mas não acredita no que ele fala, ou nas justas revelações que outros fazem sobre ele, é mentiroso.Pois por uma lei, de coerência, ele deve também crer, não só em Deus, mas, também na sua palavra.
Um dos porquês alguém resiste a crer, é o absurdo daquilo, ao que ele foi chamado a crer. Mas só que tem uma coisa, se foi chamado a crer, num Deus tão poderoso e diz que crer.E contudo, não crer na Bíblia e nem nos sinais maravilhosos que ele opera, como curar alguém no estado terminal de um câncer, ou ressuscitar alguém a cinco dias morto. Se você diz que crer em Deus, mas, não crer no que Ele faz por que é absurdo, então você não crer em Deus, apenas se engana dizendo isso.
É verdade que existe muito absurdo e muita fantasia por ai.Por isso a fé deve ser lúcida, discernir todas as coisas ao que é chamada a ser depositada.Mas, isso trás-nos a mente, o fato de que Deus é uma realidade absurda para muitas gentes. Tai uma das razões por que alguns resistem a crer nele.Contudo, Deus sabe muito bem disso, e não existe ateu, que morre enganado, a respeito da realidade de Deus, pois a isto Deus, se ocupa de através de todos meios existentes e justos, provar a eles que Ele é real, que não é uma fantasia dos antigos, que Ele vive e é todo poderoso. Muitas das dificuldades destas pessoas, que as levam a pensar ser um absurdo a realidade de Deus, é que existe no mundo muita mentira e engano falado a respeito de Deus, por mentes perversas com o intuito satânico de obscurecer o conhecimento de Deus. E por obscurecer digo, Satanás tenta por meio de multidões de mentiras, e criação de muitos deuses, anular a soberania de Deus incluindo-o como apenas mais um mito no meio das multidões de mitos existentes por ai, e até mesmo com isso tornar Deus em uma fantasia algo não real.

Continua...

domingo, 13 de novembro de 2011

Por que creio? Parte VI


D)Precisamos nos relacionar, e a fé(confiança) é a base de todo o bom relacionamento.
"Estando ele em Jerusalém, durante a festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome;mas, o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos.E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, por ele mesmo sabe o que era a natureza humana".(João 2.23-25)
"Já não voz chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor;mas, tenho voz chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai voz tenho dado a conhecer".(João 15.15)
Em todos estes textos está subtendido uma coisa, que é a fé, como base para um bom relacionamento. No primeiro texto João comenta que certo grupo de crentes, não tinham a confiança de Jesus. Ou seja, eles criam em Jesus, mas, Jesus não cria neles, logo a relação deles, não tinha a aprovação do mestre; ele não sentia firmeza, ele não via com a sua onisciência, meio para poder também estabelecer uma boa relação com eles. No segundo texto, o caso é diferente, Jesus veio a escolher um grupo de pessoas, as quais nela ele via, que poderia compartilhar o seu particular, os segredos que a outros ele não podia. E a este ele chama amigos.O primeiro grupo aqui descrito, não são descriminados por Jesus, por um preconceito. Mas vemos no decorrer da história do evangelho de Jesus, narrado por João, que o primeiro grupo, se escandaliza (João 6) e deixa Jesus, ao passo que o segundo, se mantem cada vez mais e mais firme em sua caminhada, a ponto de dizerem, "para onde iremos nós?Pois só tu tens palavras de vida eterna"(João 6.68), no entanto os outros disseram,"duro é este discurso, quem poderá o ouvi-lo"(João 6.60).
Ele conhecia, e conhece os que são seus. Nem todos os que levantam a mão são aprovados. Por que Deus, sabe até onde vão, e a palavra é, "até a morte e dar-te-ei a coroa da vida"(Apocalipse 2.10). Portanto, não havia como Jesus estabelecer com eles, um bom relacionamento. Pois não havia como ele confiar neles(João 2.24; mas, o próprio Jesus não se confiava a eles, por que os conhecia a todos).
E)Porque precisamos progredir, crescer, fazer, fazer algo e sem fé, ninguém vai a algum lugar.
Olhemos para o livro de Juízes.Para a vida do bravo Gideão. Porém este Gideão, era alguém que tinha dificuldades para crer em Deus, devido ao sofrimento e julgo de servidão ao qual ele e Israel vivia. Por essa causa, vemos o trabalho de Deus em sua vida com a finalidade de restaurar sua fé. E esse trabalho, Deus se deu a ele, porque Deus havia visto em Gideão, as qualidade que ele precisava da pessoa certa para liderar, um pequeno exercito de trezentos homens contra uma nuvem de inimigos. Mas como Gideão faria isto, se não confiasse plenamente naquele que o havia convocado?(Juízes 6-8)
Sem confiança em Deus, em si mesmo ou no próximo, nada faz ou fará o homem.
F)Porque é preciso ser forte, e sem fé somos fracos e não resistimos.
A arte da sobrevivência, é a arte de sobre existir sobre a vida. Nesta arte permanece os fortes, mas, só é forte nela, aquele que tem esperança da vitória. Não existe força sem esperança, e quem duvida fraqueja e não tem esperança.
G)Porque é preciso.
Contudo o que já tenho dito do porque precisamos da fé, e por outros motivos, particulares ou coletivos.Só podemos dizer que ela é essencial e necessária.
Não consigo imaginar, olhando por este prisma, nem mesmo um ateu sem fé. Porque até mesmo um ateu não sobreviveria, sem que ele tivesse mesmo que seja a fé em si mesmo!!!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Sobre sexo


Existe um mundo de diferença entre as figuras nuas da capela Sistina e as que aparecem em ma revista que explora o corpo nu, e qualquer pessoa racional conhece essa diferença... Um aspecto do negócio pornográfico planejados e o milagre da impressão por transferência por transferência de pigmentos podem cobrir uma multidão de defeitos.O filme hábil com suas excitações cuidadosamente planejadas, pode fazer um relacionamento conjugal, que de outra forma seria completo parecer tedioso e sem graça em comparação.
Que mulher pode comparar-se favoravelmente, dia após pernas sensuais que aparecem nas telas hoje?Que homem pode equiparar-se aos músculos volumosos e ao corpo queimado de sol retratado na mídia moderna?
A resposta é que ninguém pode, nem mesmo as pessoas que produzem o falso espetáculo. É um mundo de sonhos, um mundo enganoso, atraente, artificial, de sonhos. O sexo do comercio pornográfico é demasiado hábil, maravilhoso e demasiado extasiante. Sexo no mundo real é uma mistura de ternura e halitose, amor e fadiga, êxtase e desapontamento. Quando as pessoas acreditam no mundo dos sonhos, começam a voltar olhos críticos para os defeitos do mundo real; de fato, começam a procurar um mundo de fantasia perfeito...
Pode se unir uma grande plateia para uma casa de strip-tease,isto é, para ver uma jovem despir-se no palco, e sua tampa ser levantada lentamente de forma que todos pudessem ver antes de se apagarem as luzes, que continha um peru assado ou um torta de maça. Será que não pensaríamos que nesse pais ha algo de errado com o instinto de alimentação?
(Texto retirado do livro, Dinheiro, sexo e poder)

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Por que creio? Parte V


III Por que precisamos crer.
A)Por que a fé é vital.(Hebreus 10.39)
A fé é necessária a vida.Fé não é confiança?Você não precisa de confiança para poder andar?Para poder pegar alguma coisa?Ai você me responde; "isso tudo eu faço automaticamente, não é preciso fé."
Eu discordo.Por que você só realiza atividades e tarefas básicas como, andar, pegar, tocar, cheirar, respirar fundo( que é diferente da respiração autônoma) por que você confia.
A fé está na essência de tudo o que você faz.Todo o seu relacionamento, toda a sua convivência depende disso.Pense.O que você faria se não pudesse em nada e em ninguém?Talvez, se você não confiasse em ninguém, mas, como seria se também não pudesse confiar em nada?
De que a fé é vital, não vejo como argumentar, pois é muito óbvio e claro.Deixo apenas as seguintes palavras de Jesus a Marta, as quais deixam muito bem subentendido o assunto.
"Eu sou a ressurreição e a vida;quem crer em mim ainda que esteja morto vivera; e todo aquele que vive, e crer em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?"(João 11.25,26)
B)Por que a fé é a base para a esperança(Hebreus 11.1).
Todo o capítulo 11 de Hebreus retrata isso é o versículo um o resume."A fé", diz ele "é a certeza de coisas que se esperam", ou seja é o fundamento, a base, aquilo que mantem firme, e a possibilita esperarmos. Que possibilita a esperança.Pois,"a fé", acrescenta ele;"é a convicção de fatos que se não veem".
O escritor aos Romanos, Paulo, sustenta uma tese sobre a esperança, a qual se assemelha a esta sobre a fé, confirmando a própria a própria escritura o que eu já tenho falado. Que é a fé a base de toda a esperança.Pois lá em Romanos 8.24 e 25 diz.
"Por que, na esperança, somos salvos.Ora a esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o esperará?Mas, se esperamos o que não vemos com paciência o aguardamos".
C)Por que mantém a sanidade.
A pessoa só não é louca, por se descansa em algo.Por que ela tem um objetivo, uma esperança, mesmo que seja muito desgastado. Os homens não enlouquecem todos, porque descansam seja na certeza de algo, ou na ilusão de algo.Quando o homem, perde a fé, ou seja não pode mais descansar em nada, não pode estar seguros.Eles perdem a esperança,eles também perdem o prazer de viver, podem mesmo até ver o suicídio como única opção de fé, ou seja perdem a sanidade e passam a pensar ser o suicídio a única solução, acontece que nem mesmo no suicídio confiam, pois pensam. "O que tenho a perder?"
Em outras palavras a fé mantem o nosso equilíbrio.


segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Por que creio? Parte IV


C)Por que a fé se baseia em um verdade, e ninguém crer numa mentira; por que cremos quando nos baseamos na hipótese de uma verdade ou nela.
Ao afirmar que "cremos quando nos baseamos na hipótese de uma verdade", quero dizer com hipótese, porque podemos estar errados, pode ser que não seja verdade aquilo em que cremos; que estamos enganados.Mas isso, se estamos enganados, há de nos ser revelado ou não, dependerá de nossa busca por toda a verdade.Pois se já nos conformamos a pequena parte da verdade, da qual estamos de posse, então não buscaremos toda a ela.
É pela busca da verdade que a encontramos, e descobrimos a verdade a respeito da verdade, se cremos numa mentira, então seremos esclarecidos a respeito disso.Mas, estando acomodados, como chegaremos a isso?Agora se cremos numa verdade real, não numa mentira vestida de verdade, então ela há de ser evidenciada com o tempo; a medida que prosseguirmos na nossa busca pelo todo da verdade. Mas, se cremos numa mentira e não buscamos a verdade, e se alguém nos revelar uma verdade a respeito dela; por exemplo que ela é mentira; então ela cairá no descrédito nosso, e será enfraquecida a nossa fé nela. Isso é se a verdade que a nós for revelada a respeito dela, for bem exposta de forma a não nos deixar dúvidas; caso contrário, a mentira continuará sendo por nós considerada como verdade.E estando nós acomodados na nossa busca pelo todo da verdade, então não chegaremos a ela e continuaremos na mentira. E nela morreremos, se a real verdade em nós não for revelada; com tal luz, com tal clareza, que venha a destrona-la do nosso coração.
O homem só crer por que supõem uma verdade, por isso afirmei, "hipótese", não pelo fato ou não de cremos em uma mentira; mas, pelo fato de não sabermos toda a verdade.Hipótese por que existe uma ideia na nossa cabeça que sustentamos, em busca de alcançarmos o seu todo, isso o todo da verdade. E se acomodarmos, é por cremos já telo alcançado.E se é verdade o que cremos, a cada passo que damos, isso fica mais claro para nós, até um dia se tornar irrefutável e inquestionável.Do contrário, se é mentira, a cada passo que damos, mais questões e dúvidas nos amontoam, sobre aquilo em que cremos; até um dia a descartarmos por completo, por não podermos mais sustentarmos tal mentira.
Ai a verdade se evidencia e a mentira se descarta.
Ai não cremos mais na hipótese e sim na real verdade.
Ai sim somos libertos, pois não haverá mais, nenhuma treva em nossos corações.

domingo, 6 de novembro de 2011

Ponto a considerar 2: Lobos cruéis


"Por que eu sei isto:que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho". Atos 20.29

Jesus também usou falar isso, ele disse:"Eis que voz envio como ovelhas ao meio de lobos"Mateus 10.16
Lobo, não se refere a crentes e pessoas não crentes, não se refere apenas, mas, quando se fala sobre lobos, se fala de carater, de uma qualidade má, e inerentemente insensível. O lobo, é carnívoro só vê na sua frente o que lhe interessa. Quando usamos essa classificação a pessoas, vemos que são pessoas que não se importam e nem tem amor, com as outras, com os necessitados.
Muitos são os lobos que se manifestaram de forma raivosa e voraz em nossos dias, em nosso século XX que se passou e hoje no seculo XXI, primeiro eles cercam com suas matilhas nossos pequenos rebanhos, depois capturam nossas ovelhas, a matam. Eles estão na Tv, nas escolas, diferente do pastor eles não demonstram amor, mas, enganam as pessoas om um falso discurso e uma falsa santidade , que na verdade é um disfarce para seus ataques, mais cruéis.
O lobo pode ser e muitas vezes é um líder, que usa de sua capacidade, de liderança, muitas vezes até mesmo de seu carisma, para ludibriar e conduzir as pessoas por um caminho segundo o seu interesse. Nem sempre a gente enxerga um lobo, por que nem sempre ele parece um lobo, pois as suas más intenções são efetuadas de forma discreta a não espantar o rebanho.
Paulo disse em seu discurso, que eles dizem coisas perversas, para atraírem os discípulos a si. Como pode ser isso? Como pode alguém dizer coisas más e mesmo assim atrair a atenção o respeito, e admiração, e ajuntar a si muitos seguidores?Isso é possível desde que, o perverso não pareça, pois todas as obras dos lobos são assim mesmo, e sendo assim o que parece ser bom ou eles usam de atos de aparente bondade, para um fim perverso.
É por que, como a própria palavra de Deus, nos revela eles fazem isso encobertamente. Eles ousam dizer, que Deus fará maravilhas, e que o problema seu será resolvido, mesmo que Deus nada tenha dito, eles usam palavras brandas, termos cristãos, expressões e ensinamentos tendo a Bíblia como base, assim como eles a suas palavras não são perversas por serem horríveis aos nossos ouvidos, mas, por que as suas intenções são más.
Deixo este ponto para você considerar melhor. Cadê o lobo?Será que te é tão fácil assim de manifestar?De o identificar?

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Por que creio? Parte III


II Porque cremos.

A)Porque temos a capacidade natural de crer ou não e decidimos por crer.
"O qual sem esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito:Assim será a tua decendência."(Rm 4.18)
Vemos aqui a história de um servo de Deus, que decidiu crer, sempre quando não havia como crer. A história de Abraão chamado a crer que seria pai de muitas nações; aos 99 anos Deus disse para ele:"Anda em minha presença". Foi depois desta época que Deus, ou seja deste ano, que Deus veio lhe conceder a graça de ser pai, sendo a sua esposa Sara, já velha e incapacitada de conceber.Talvez hoje, pelo avanço da ciência, não venhamos mais a admirar, se uma velha de 75 anos de idade, tenha desenvolvida a capacidade de gerar e dar a luz filhos.Mas, não naquela época.Por isso, e por mais; pois sendo Isaque filho de Abraão já, velho;Deus vem e pode que ele seja sacrificado; e Abraão não revolta-se, mas, confia que o mesmo Deus, que lhe deu a capacidade de ser pai poderia lhe conceder, até mesmo a ressurreição de Isaque, algo que não foi preciso.
O que quero deixar claro aqui, é que ele creu contra a esperança, e com isso exemplificara capacidade ou faculdade do nosso livre-arbítrio, que é a fé.E este é o nosso maior exemplo bíblico, visto que todo o crente em Jesus é chamado filho de Abraão.Devido ele crer, contra todas as possibilidades de crer, ele tinha essa opção, ele tinha esta capacidade e exerceu-a, mesmo em uma situação em que, sabemos, ela seria muito deficiente.
B)Por que o conhecimento que temos, naquilo em que cremos, nos fornece segurança; por que a fé está em apoiar em algo certo ou seguro.
Usando nosso maior exemplo bíblico de fé, Abraão; começo com a seguinte indagação.Que apoio tinha a sua fé?
A história nos mostra que foram os descendentes do piedoso Noé, que cultuava e vivia com Deus, que povoaram a terra após o dilúvio.Sendo assim todos os descendentes de seus filhos, vieram a ter conhecimento de Deus, e saberem do julgamento imediato de Deus, sobre o pecado, através do dilúvio e agora, para eles é claro, a confusão das línguas, que resultou no final da construção da torre de Babel. Apesar do julgamento imediato de Deus sobre o pecado, a maioria das pessoas ignorava a Deus e continuava a pecar.Mas algumas de fato se esforçaram para segui-lo, como, por exemplo, Abraão.Além dessa base, Abraão, certamente pela idade que viveu Sem(pai dos semitas) 600 anos, sendo 500 deste após o dilúvio, e pela idade que viveu Arfaxade(filho de Sem) 438 anos, os quais não só eram testemunhas do dilúvio, e da confusão das línguas em Babel; como da pessoa de Deus;por isso chego a afirmar calculando que aproximadamente com 412 anos de idade Sem, veio a conhecer a Abraão, o qual por meio dele veio a conhecer, possivelmente sobre Deus.Sendo que Sem viveu 602, destes 502 após o dilúvio aos seus 20 anos aproximadamente.Subtraindo os 100 anos que Sem viveu antes do diluvio, Abraão viveu, aproximadamente 312 anos após o dilúvio;digo ele estava aproximadamente com 20 anos nesta época em 312 anos após o dilúvio.
Somada profundamente também as experiencias de outros crentes que viveram naquela época, mais as de Sem, mais ao próprio Deus se revelar a Abraão, e podemos como nos afirma em Romanos 1.19,20, somar a isso o testemunho da natureza.
Então Abraão tinha esse algo, certo ou seguro.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Por que creio? Parte II


Porque alguém é levado a crê?
A)Por que está "cansado e sobre carregado".(Mateus 11.28-30)
Jesus sabia ao fazer tal declaração;"Vinde a mim todos os que estais cansado e sobrecarregado", que as pessoas que assim estão, são totalmente propensas a crer e aceitar a primeira crença que lhes é anunciada. Estas são pessoas que estão cansadas, que não querem mais serem auto-dependentes e tentarem por si mesmas. São pessoas propensas a crerem, crerem impulsivamente, sem questionarem duma forma passiva. Assim isso pode ser uma bênção ou uma maldição para essas pessoas; dependera das mãos em que elas vierem a caírem.
Tenho um exemplo feliz e infeliz, que aconteceu na congregação evangélica onde dei os meus primeiros passos na fé cristã. Um jovem fugindo da morte, pois estava jurado de morte, e fugindo também dos vícios do álcool; veio a se converter e através de sua conversão sua mãe também se converteu. Mulher muito sofrida a qual se encaixava bem nesse perfil dado por Jesus " cansada e sobrecarregada". Ela que era assim, como eu disse, mulher sofrida, pobre, viúva criou sozinha seus dois filhos(um homem e uma mulher).Seu Filho homem, vivia bêbado e se metendo em confusão; este seu filho aceitou a Jesus primeiro do que ela, após foi ela, e quando ela já estava firme ele voltou para a sua antiga vida. Mas, ela permaneceu firme na presenca de Jesus até a morte. E logo depois da sua morte, este jovem veio a ser assassinado.
Foi por este motivo que disse que a história era boa e má, ela era este alguém cansado e sobrecarregado, alguém que devido não querer mais continuar na sua vida sofrida, resolveu entregar o seu fardo para Jesus. Ela foi feliz por que entregou para Jesus. Mas, e quantas pessoas entregam os seus fardos para os gurus charlatães por ai? O fim destes é bem pior do que o começo.
Em Marcos 5.25-34, conta-nos de uma mulher que por 12 anos havia desperdiçado a sua fortuna com médicos e nada lhe havia aproveitado, antes indo a pior. A ciência hoje quer que, entreguemos a ela toda a glória, sendo que nada pode fazer. Aquela mulher que padecia de uma hemorragia, a qual nunca secava, e muito fraca; estava cansada de perder o seu tempo, pois sabia que nada lhe adiantaria. Também se encaixava no perfil descrito por Jesus, também era cansada e sobrecarregada. Pessoas assim não tem mais nada a perder. São armas fáceis nas mãos dos enganadores, dos exploradores da fé. No entanto mais um vez, posso dizer que foi uma historia feliz, pois ela caiu nas mãos certas, nas, mãos de Jesus. Pessoas assim são pessoas, que só lhe restam a fé.
B)Por que adota um comportamento passivo diante daquele que lhe expõem a sua crença ou opinião.
Já conheci pessoas, que eram veteranas na congregação e trocaram os 25 anos ou 40 anos de crente alí; para ir a outros movimentos, alegando ter vivido a vida toda enganados dentro da igreja e que agora é que estão no caminho certo. Ouvi de crentes que congregaram desde criança na "Assembléia de Deus", e que eram até mesmo professores da EBD, e pessoas de fé, de vida íntegra, mas, de uma hora para a outra deixaram tudo e se tornaram "Testemunhas de Jeová".
Certa vez, assisti no tele jornal da rede Globo, uma reportagem sobre as "Testemunhas de Yeushua", que quer dizer Jesus, na forma original do nome, eles sustentam que não se pode traduzir o nome de Jesus para outra línguas.E adotam vestes como a do oriente, andam barbudos e de sandálias.E nesta reportagem, assisti a triste notícia; (para mim, pois para a vítima desta seita não); de um pastor quadrangular e conhecedor das verdades santas, o qual seduzido pelas ideologias desta seita, veio a se entregar a ela; tornando se um adepto dela.
O comportamento passivo sempre é prejudicial, o comportamento ativo mesmo que seja criticado e até mesmo sofredor para aquele que o possui, no entanto é uma boa arma que o lívra de muitas enrascadas.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Em nome de Jesus


"...em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;"...Marcos 16.17

O nome de alguém só tem peso se esta pessoa é uma pessoa de peso, o nome de uma pessoa representa a sua identidade e tudo o que ela é, hoje em dia você precisa mais do que um nome, para que as pessoas saibam quem você representa não basta vestir a farda da policia, ou a roupa da coca-cola e dizer que é um representante desta instituição e desta empresa respectivamente. Da mesma forma, não é suficiente você dizer o poderoso nome de Jesus se você não é um legítimo representante do Reino de Deus.
Mas, hoje em dia as pessoas brincam com este nome, e com efeito são prejudicadas quando precisam, de usar deste nome para obterem uma resposta, um alívio e uma solução, que sem ele jamais conseguiriam. Por Jesus, não é um jargão, nem uma palavra de efeito, que se possa dizer, o poder do nome de Jesus, está ligado a vida daquela pessoa que realmente tem um compromisso com ele.
E é por isso, que se ouve e vê exemplo de pessoas que se encontram frustadas espiritualmente, e que o nome de Jesus, em sua vida não tem efeito nenhum, mesmo que se trata de uma "cristã", pois, não basta ser um religioso, é uma questão de comunhão. Ou você conhece Jesus, e tem um relacionamento de amigo com ele, ou não. Pois se você não conhece, Jesus e mesmo se dizendo discípulo dele, não conhece-o e nem procura conhecê-lo, então ele também não te conhece, e os seres do mundo espiritual, também não te conhecem, pois você só é reconhecido no mundo espiritual, se você conhece a ele o Mestre. Foi essa realidade do mundo espiritual que se revelou em Atos 19. 13-17, os espíritos imundos disseram a um grupo de exorcistas que desejavam fazer uso do nome de Jesus, mas, que não tinham comunhão com o mesmo: "Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?"

Por que creio? Parte I


Texto Base: Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição da alma, mas, daqueles que creem para a conservação da alma(Hebreus 11.39).

Antes de começarmos esta série de reflexão, quero dizer que falo sobre a fé no sentido de confiança. Então me pergunto. Por que creio?

I.Por que decidi crer, e ou por que fui levado a crer.

Confiar ou ter fé é uma escolha, e uma faculdade, pois somos capazes disso. Podemos crer por que fomos levados a crer; e isto pode se dar de diversas formas, talvez por todos creem e você simplesmente seguiu o curso, sem contudo ter raízes naquilo em que por tradição crer; simplesmente por que foi passivo e inquestionador diante daquilo que pareceu a sua mente racional ou razoavel. Mas podemos crer, também por que decidimos crer, ora a decisão é diferente de ser levado passivamente a crer; pois quando falo aqui em decidir, falo de você que estando de posse da verdade, tem o poder de lúcida e inteligentemente crer ou não, sabendo até mesmo no que implicará a sua escolha, e não digo de você de uma forma passiva e impulsiva crer.

Por que alguém decide crer(racional, lúcida e inteligentemente)?

Por que ele tem uma necessidade disso.
Quando é necessário crer e o indivíduo vê que não existe outra opção, ou ele crer para mudar ou não para continuar como esta e piorar. Então essa necessidade de crer ou quando crer se faz necessário, indispensável para alguém, então ele decide crer.
Em Marcos 9. 14-27, vemos a história de um pai, de um jovem possesso de espírito maligno, desde a sua infância. A tradição (não a Bíblia) nos conta que; ele já havia o levado em todos os entendidos, médicos, curandeiros, raizeiros que existiam na época, havia conferido toda a ciência e todo o conhecimento que as pessoas lhe havia assegurado que poderiam curá-lo. Agora a Bíblia nos assegura(não a tradição), que este homem veio a se encontrar com Jesus, já desiludido com tudo e todos, e recebe a seguinte declaração dele.
"Se tu podes.Tudo é possível ao que crer".
Ele poderia continuar como tava, verdadeiramente ele não conseguia mais crer, nem em Jesus.
"Eu creio, ajuda-me a vencer a minha falta de fé".
No entanto vemos neste episódio como a fé era indispensável para ele, o que acontece é que ele estava incapacitado. Mas, sobre a fé, tenho dito que elá é uma capacidade(Faculdade da vontade) e como todas ela falha, assim como a memória o intelecto, que são capacidades da mente. Mas, mesmo incapacitado, ele via e entendia, muito bem, que sem fé ele não conseguiria nada. No entanto teve fé pelo menos para pedir fé e ajuda da parte de Deus, o qual curou o seu filho e restaurou a sua fé.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A fé é racional


"E como crerão em quem não ouvirão"(Romanos 10.4-16 leia todo o texto)

A fé é racional. Ela é racional em sua essência, querer contradizer está verdade é o que todos fazem, tanto os religiosos, como os ateus, como os ignorantes e leigos livres pensadores.Pois dizer que para crer, não é preciso que o individuo tenha mesmo que seja um pequeno fio de luz na razão, sobre aquilo em que crer; é dizer que a fé é puro instinto.E ela é?Se é, então como responder a pergunta acima? A qual diz:"E como crerão em quem não ouvirão?"Será que confiaremos antes mesmo de ouvir? Por que será que Pedro precisou pregar para Cornélio, se ele já havia tido uma visão de anjo?(Atos 10)

Talvez a fé não precise de razão para prosseguir, digo; mas, sempre vai para iniciar, ou para começar. Ou seja, para você começar a crer.A razão te da certezas e não apenas dúvidas.Eu não posso te dizer que se você raciocinar ou parar para pensar em algo, que não surgirão nessa reflexão as dúvidas. Mas, posso te afirmar que surgirão também certezas. Precisamos saber discernir as coisas e a razão nos concede isso, uma fé alicerçada em incertezas não durará ou resistira muito aos questionamentos, mas, a fé sólida resiste até mesmo as grandes tribulações da vida. Mesmo que vierem novamente nas tribulações a surgirem dúvidas, porém duvidar durante a tribulação não é incredulidade, e sim um conflituoso coração. Pois assim somos limitados e quando chegamos ao limite, esse de dor, de sofrimento, e limite de compreensão a respeito de nossa própria tribulação; o sofrimento cega-nos e lança trevas em nossa razão, que tenta a todo custo discernir ou saber o porque de nosso sofrimento, já que agora em trevas perdeu-se a certeza que tinha. Não porque sua fé estava alicerçada em incertezas, mas, porque o sofrimento prolongado leva-nos ao limite, no limite de nossa própria fé, e é nesse momento que a razão humana procura compreender a situação para prosseguir em crer, porém ela também tem seu limite(pois não podemos compreender todas as coisas), e neste momento a Bíblia diz que Deus nos provê uma válvula de escape, deste sofrimento e mais tarde poderemos vir a compreender o mesmo(1 Corintios 10.13).
A dúvida faz parte do processo de aprendizagem e a certeza é o resultado da aprendizagem.Você sempre terá dúvidas se for sincero na sua busca pelo conhecimento, mas, não serão as mesmas dúvidas,por que as velhas duvidas serão substituídas pelas certezas.Quem sempre aprende e nunca chega ao conhecimento, nuca aprendeu de verdade ou esta a ignorar o conhecimento genuíno por conveniência.
"Andamos por fé e não por vista(2 Corintios 5.7). O texto não tem nada a ver com razão e sim com sensação. Não será talvez a razão dita pura ai verdadeiramente sensação? Por que ter o homem a razão não o torna racional, usa-la também não o torna. Mas, seguir a orientação dada por ela sim. Por isso muitos racionais são na verdade sensuais.
Ora a fé é racional, por que ela é a aceitação da verdade, e a razão só enxerga a verdade, e a palavra de Deus é a verdade e Jesus é a verdade.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A segunda vinda de Jesus e os Filmes sobre Invasões Espaciais


"E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo e ao seu exército" Apocalipse 19.19

O que será que há de passar na cabeça de todas estas pessoas que se ajuntaram ao Anti-Cristo, naquela grande batalha, contra Cristo que estará vindo do céu, arrodeado por seus anjos e pela igreja? Não sei o que se passará na cabeça de todos, mas, posso deduzir o que passará na cabeça de muitos. E sim, é aquela doutrina sempre apregoada e difundida pelos ufólogos dos cinemas, estas pessoas, muitas delas pesaram se tratarem, não da vinda de Jesus, mas, da vinda de extraterrestres para dominarem a terra, se tratar de uma invasão alienígena.
Apocalípse 20.3, "para que mais não engane as nações, até que os mil anos se acabem". Esta se referindo a Satanás, quem quiser conferir leia todo o texto.Este ser está a enganar as nações, por meio de aparições, que alimentam o imaginário popular. E através deste poderoso veículo de manipulação, o cinema, ele já tem lançado vários títulos, para doutrinar a mente daqueles que desprezam a palavra de Deus. Pois a Bíblia diz que aquele, que não aceita e nem crer na verdade fica a merce da operação do erro( 2 Tessalonicenses 2.11,12), para crerem na mentira, e serem julgados por não crerem na verdade.E sim estas pessoas, penso eu, estaram se reunindo naquele grande dia, para batalharem contra Deus, mas, teram em suas cabeças, a seguinte frase:"Este Deus, que os crentes tanto falaram primeiro os abduziram e os devoraram, coitados e agora vem para invadir a terra com suas naves espacias". E posso dizer isso pois filmes como, Guerras do Mundo, Dia da Independência, são a prova do que digo, de que Satanás através do cinema prepara o coração das nações com mentiras a respeito de Deus, e mesmo a respeito do arrebatamento.Não são apenas filmes, mas, existe toda uma cultura que prega e vive isso, tendo contato com seres demoníacos se dizendo Ets, e dizendo até mesmo conhecer a Jesus, e que até mesmo já falaram com ele, ou mesmo que são emissários dele.No filme Presságios, de Nicolass Cage, o arrebatamento ocorre antes de um grande catástrofe, onde o mundo é consumido por fogo, mas, as pessoas arrebatadas são levadas por um grupo de seres angelicais, com aparência de Ets e conduzem as crianças e outras pessoas, para a nova terra, através de Naves.
Que o Senhor nos dê discernimento.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O Espírito ou as circunstancias?


O vento sopra aonde quer, e ouves a sua voz, mas, não sabes donde vem nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. João 3.8

Há duas coisas que determinam as trajetórias da vida de uma pessoa, as circunstancias ou o Espírito Santo. Quando digo que elas determinam, estou me referindo em dois sentidos, no sentido de influencia e no sentido de submissão. Quando é no sentido de influencia se destaca mais, as circunstancias da vida, quando é no sentido submissão se destaca mais a pessoa do Espírito de Deus.
Pois o Espírito ele pode te influenciar por meio de circunstancias, a seguir por um caminho que a vontade soberana dele determinou, mas, sendo assim a sua vida não será na verdade guiada por ele e sim pelas circunstancias, que podem tanto serem manipuladas por ele, como por Satanás. Agora o Espírito de Deus pode te influenciar, e você ser verdadeiramente guiado por ele, se você resolver se submeter a vontade d'Ele. Mas, para ser guiado pelo Espírito e ter a sua trajetória determinada por ele, você precisa se submeter, você precisa decidir de coração a isso, você precisa querer, precisar fazer esta escolha.
Porém para ser guiado e ter a trajetória de sua vida influenciada e determinada pelas circunstancias, você só precisa não escolher, e não querer ser guiado pelo Espírito de Deus, pois as circunstancias, estão ai, forçando e conduzindo as pessoas, como os freios e viseiras que colocamos nos cavalos, fazem. Desde o nascimento de uma criança até a sua morte, as circunstancias estão a espreita-las e força-las a fazerem escolhas, que nem sempre serão a que elas realmente querem, que nem sempre chegaram ao fim que elas realmente desejam, neste sentido não há um arbítrio totalmente livre, mas, a sua liberdade é apenas parcial.
Termino esta breve reflexão te fazendo uma pergunta. O que você realmente quer, ser guiado pelo Espírito, ou ser empurrado pelas circunstancias?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Místico


A palavra místico é uma palavra que se refere a magia, a encantamento, ocultismo, todo o mundo sabe disso, mas, também é uma palavra que se é usada para designar uma característica de uma pessoa, ou de alguma coisa, como uma sensação, uma casa, um lugar. Por exemplo:"Finney foi um místico apaixonado pela palavra de Deus". O que eu quero dizer com isso?Misticismo aqui se refere a tendencia inata no homem, de se fascinar por aquilo que é misterioso e oculto.É claro, você não encontrara este significado por ai, mas, vai ou até mesmo já ouviu esta aparente contradição, dita a respeito de servos de Deus, assim como foi Finney.
Mas, a grande verdade é que os verdadeiros místicos(magos, mágicos, bruxos, médiuns...), por não conhecerem e nem saberem quem é realmente Deus, pensam que assim como a bruxaria, Deus é apenas mais um poder que pode ser manipulado, e que os crentes, cristãos, pentecostais, são apenas um subgrupo de místicos, que pela ignorância impostas a eles de se limitarem e passarem tudo pela palavra de Deus, veem o poder místico com outra visão. Eles simplesmente acham, que pela nossa desinformação(por que assim pensam), é que nós concluímos com bases equivocadas, de que os poderes místicos são de demônios, e que o poder que age na Igreja não é o poder místico, mas, o poder de Deus, que emana de Deus e não dos demônios. Pois segundo a visão dos místicos Deus é tudo e o universo é Deus, por isso acham que todo o poder oculto é o poder de Deus, e que até mesmo nós somos Deus apenas alguns ainda não tem consciência disso.
Diante disso, amados, não se estranhe se alguém chamar um respeitável homem de Deus, como Moody, ou Weslley, de místicos. Pois devido a estas duas visões correntes, a palavra místico deixou de significar apenas mesmo, o que ela significa ou a que ela se refere, que é ao universo da magia, mas, sim a tudo o que aos olhos dos leigos pareça mágico, e impressionante.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Obesidade ou hidropsia?


Recentemente ouvi na rádio um líder eclesiástico fazer uso de Lucas 14.1-6, a passagem sobre o homem hidrópico para defender o movimento que ocorre em sua igreja sobre a perca de peso de pessoas obesas através da oração. Interessado, pois nunca tinha tido a curiosidade de pesquisar a tal passagem , pesquisei o significado da palavra no dicionário e na Internet, e descobri que obesidade e hidropsia são coisas totalmente diferentes. A hidropsia é a retenção patológica de líquidos,doença qualificada pela acumulação anormal de líquidos nos tecidos ou em determinadas cavidades do corpo. O membro afetado começa a inchar, outros membros são atingidos e finalmente todo o corpo. A Bíblia NVI, trás a tona este real significado Lucas 14. 2." A frente dele estava um homem doente com o corpo inchado". Amados, sei que Deus através de seu filho Jesus, cura tanto obesos como hidrópicos, mas, se somos tão zelosos pela boa interpretação da Bíblia, por que então faremos menção de textos que nada tem a ver com o assunto, de textos isolados dando assim motivo para que os ímpios e escarnecedores falem mal, do bom nome do Senhor Jesus que sobre nós é invocado?

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Muçulmanos estão tendo visões e sonhos de Jesus e se convertendo ao cristianismo



Texto retirado do site Gospel Mais.

Uma revista da Califórnia publicou recentemente os resultados de uma pesquisa com mais de 600 ex-muçulmanos, que agora seguem Jesus. “Embora os sonhos pareçam desempenhar um papel menor na conversão dos ocidentais, mais de um quarto dos entrevistados ex-muçulmanos enfaticamente confirmam que os sonhos e visões desempenharam um papel vital em sua conversão, e os ajudou em momentos difíceis”, o levantamento afirmou.
Outros têm encontrado o percentual mais elevado. Karel Sanders, um missionário na África do Sul, informou que entre Africanos muçulmanos, “42% dos novos crentes vem a Cristo através de visões, sonhos, aparições angelicais e ouvir a voz de Deus.” De acordo com o site “Sexta-Feira Dawn Fax”, que se concentra em relatórios missionários de língua árabe, moderadores explicam experiências sobrenaturais, tais como sonhos, visões e curas através da oração de Jesus. “Este é um tema quente em nossa região. Pessoas de todo o Oriente Médio nos chamam, dizendo como eles foram curados através da oração em nome de Jesus”, citam os missionários. “Ouvintes muçulmanos costumam nos falar sobre sonhos e visões de Jesus, querendo saber o que isso significa para eles.”
O mesmo é contado em “I Dared to call him Father (Me atrevi a chamá-lo de pai)”, um livro fascinante, escrito por uma rica mulher ex-muçulmana paquistanesa chamada Bilquis Sheikh, que veio a Cristo através de uma série de acontecimentos místicos – começando com a presença do mal, que ela sentia, e era ligado ao assassinato recente de um cristão perseguido.
“A estranha sensação espinhosa cresceu dentro de mim enquanto eu caminhava lentamente ao longo dos caminhos de cascalho do meu jardim”, ela escreveu em um livro que acaba de ser relançado. “Eu parei de andar e olhei em volta. Como eu me inclinei para agarrar as hastes verdes, algo passou por minha cabeça, eu me endireitei, atenta. Senti uma névoa… Um frio, úmido. Uma presença profana – tinha flutuado por mim. Claro que não havia nada lá fora. Estaria lá? Como que em resposta, eu senti uma presença, muito real e misteriosa e um toque em minha mão direita.”
Esta experiência levou a uma série de sonhos que – como tantos outros – culminou na conversão da mulher muçulmana. São tais sonhos mais recorrentes agora – com a situação do mundo como ele é? Ou será que eles sempre ocorreram?
Sabemos que os sonhos podem ser importantes. Nós lembramos de Abraão. Nós lembramos de José, o pai de Jesus.
Mas eles também são cruciais no nosso próprio tempo e, no caso da mulher rica, cujo marido tinha sido um general e ministro do Paquistão, eles formaram uma parte importante de sua conversão – se não o mais importante papel. Conforme ela explica neste livro bem escrito (que foi publicado pela primeira vez em 1978), ela havia sido criada na fé muçulmana, que acreditava que, embora Jesus tenha nascido de uma virgem, ele não era o Filho de Deus. Ainda assim, a mulher sentiu-se impulsionada para explorar a Bíblia – e é aí que tudo começou.
Em um sonho, relatou Sheikh, “eu me encontrei jantando com um homem que eu sabia ser Jesus. Ele veio me visitar na minha casa e ficou por dois dias. Ele sentou-se sobre a minha mesa e em paz e alegria jantamos juntos”.
“De repente, o sonho mudou. Agora eu estava no topo de uma montanha com outro homem, João Batista. Ele estava vestido com uma túnica e calçado com sandálias. Como foi que eu misteriosamente sabia seu nome, também? Eu encontrei-me contando a João Batista sobre as minhas visitas recentes com Jesus”. O sonho – peculiar – a levou à pergunta que todos que poderiam saber responder (porque até aquele momento, Sheikh ainda não havia chegado ao trecho em que João Batista aparece na história) em sua leitura da Bíblia.
Ela se tornou uma cristã. Então, temos milhares de outros. Os relatórios incluíram moradores em lugares como Marrocos. Ouvimos pela primeira vez sobre isso no início de 1990.
“Um seguidor de Jesus da Guiné fala sobre uma pessoa de branco que lhe apareceu em sonho, chamando-o de braços abertos”, afirma a publicação da Califórnia.”Esse tipo de sonho, no qual Cristo aparece como uma figura de branco, é um padrão freqüente na obra missionária entre os muçulmanos.”
Os exemplos são numerosos. Um muçulmano da Malásia viu seus pais falecidos como convertidos aos cristianismo em um sonho, comemorando no céu. Jesus, com uma túnica branca, lhe disse: “Se você quiser vir a mim, vem!” Ele o fez.
Outro convertido, este novamente a partir do Oriente Médio, disse que ele estava deitado na cama com uma dor de cabeça muito forte. A figura branca com uma aparência maravilhosa, pacífica, apareceu e colocou as mãos sobre sua cabeça três vezes, e na manhã seguinte a dor de cabeça que era incurável até então, ​​havia cessado.
Um homem do oeste da África viu um religioso muçulmano no inferno, e um pobre cristão, que não podia mesmo dar esmolas, no céu. A voz explicou que o ponto decisivo não foi a esmola, mas a fé em Jesus.
Enquanto isso, um trabalho missionário entre os Tausugs, das Filipinas, maior grupo muçulmano daquele país, relata que um número de muçulmanos fiéis “viu Jesus” em seus sonhos após o Ramadã (mês em que os muçulmanos praticam um ritual de jejum). Um homem sonhou com Jesus matando um dragão enorme em um duelo e no dia seguinte teve o mesmo sonho, o que o levou a conhecer o Evangelho.
Um membro do povoado Yakan, na Província Basilan sonhou que o Profeta Maomé não podia olhar para Jesus no olho. Quando ele disse seu primo, um cristão, do sonho, seu primo lhe disse que o sonho significava que Jesus é maior do que Maomé.
Há histórias de guerra espiritual. Há relatos da Turquia. Há histórias de curas milagrosas. Há histórias do Iraque. Uma equipe que pertencem aos “Atletas em Ação”, um movimento de atletas missionários, relatou a partir de sua visita às repúblicas da Ásia Central do Turcomenistão e Quirguistão, que “uma das experiências mais interessantes da viagem foi para ouvir um grande número de pessoas dizendo como eles tornaram-se cristãos”. Anteriormente, eles haviam sido ateus ou muçulmanos. Alguns nos contaram como Deus havia falado com eles em sonhos. Outros nos contaram como eles tinham tido dores de cabeça por dias depois de ouvir sobre Cristo. Logo que decidiram tornar-se cristãos, a dor de cabeça havia passado. Uma mulher nos disse que na noite em que ouviu falar de Jesus, nada aconteceu até que ela foi dormir. Enquanto ela dormia, ela teve um sonho terrível, no qual uma figura satânica disse a ela “Você nunca vai escapar de mim”, porém agora ela também se tornou uma cristã.
Existem inúmeros relatos de que muitos dos Berberes que vivem nas montanhas da Argélia estão vindo a Cristo através de sonhos e visões semelhantes, formando células e igrejas, em sua maioria subterrâneas. Ahmed Ait Ben Youcef, um berbere nativo que atualmente vive no exterior, disse que encontrou Cristo no caminho que parece típico para berberes islâmicos anteriormente: “nós berberes sempre acreditamos em Deus, mas muitos o procuram à sua própria maneira, sob a pressão dos árabes islâmicos. Jovens ansiavam pelo caminho certo para nossas vidas e oravam a Deus para orientação. Um dos meus amigos morreu em um acidente de trânsito. Na noite seguinte, sonhei que ele, um outro amigo, e eu nos dirigíamos a uma cidade brilhante, rodeada por uma parede branca. Nesse sonho, meu amigo nos disse que agora ele vivia lá”.
Um muçulmano egípcio estava lendo os Evangelhos, e de acordo com mais um relatório ele tinha acabado de chegar a Lucas, Capítulo 3, quando um vento forte varreu a sala e uma voz disse: “Eu sou Jesus Cristo, a quem você odeia. Eu sou o Senhor que você está procurando.” Ele decidiu seguir a Jesus naquele dia.
Os relatórios são difundidos de tal forma que sites inteiros são dedicados a tais histórias – embora muitas vezes tomem o cuidado de manter o anonimato. Uma fonte bem informada, que por razões óbvias permanece não identificada, relata que um ex-islâmico “Imam” ou líder espiritual levou 3.000 muçulmanos para Jesus, tendo ele chegado a Cristo através de sonhos, em que um homem branco dizia-lhe para estudar a Bíblia. O método desse homem é simples: em uma conversa, ele diz aos outros: “você já viu um homem branco em seus sonhos recentemente? Se eles não tiverem visto, ele lhes diz: eu só estava me perguntando. Obrigado. Se responderem positivamente, ele continua perguntando se eles estão interessados ​​em aprender quem este homem branco é. E quem não está interessado na identidade de uma pessoa misteriosa que aparece em seus sonhos? O ex-Imam, em seguida, mostra-lhes várias passagens da Bíblia em que um homem branco vestido é mencionado, explicando: “Isso é Jesus. Ele quer falar com você, porque Ele quer que você o siga”.
Muitos muçulmanos foram preparados para em caso de encontros sobrenaturais, e aceitarem o convite. Algum tempo atrás, Bill Bright, diretor do “Campus Crusade”, escreveu que “estavam vivenciando um fenômeno surpreendente. Muçulmanos em particular, estão tendo sonhos e visões confirmando a realidade de Cristo. Depois de um programa de rádio informaram que Jesus havia aparecido para muitos muçulmanos em um sonho e havia dito a eles: ‘Eu sou o caminho’. A estação de rádio recebu milhares de cartas de muçulmanos no norte da África e do Oriente Médio, em que os ouvintes disseram que de repente tinham entendido sonhos anteriores. Eles, então, queriam mais informações sobre Jesus”.

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...