TRADUTOR

domingo, 17 de julho de 2011

Na tua luz


"Na tua luz veremos a luz"...(Salmo 36.9)

Você conhece este Salmo? Por que andamos tão confusos e desnorteados em nossa vida? Será que temos luz em nós mesmos? Como podemos estar confusos a respeito de nossa identidade, de nossa consciência, de nossa fé, do que seja realmente certo ou errado? Como podemos hoje ter certeza do amor a amanhã não termos mais certeza de nada? Como podemos hoje querer vivermos a cada minuto e amanhã ou mesmo daqui a pouco colocar uma corda no pescoço e desejarmos que tudo o mais vá pro inferno?
A verdade é que os homens amaram mais as trevas do que a luz, é muito bom estarmos esclarecidos das coisas, estarmos sempre com a cabeça no lugar, mas, este é um fato que nos persegue, de que desejamos muito mais ignorarmos a verdade e vivermos a ignorância. Temos olhos cheios de trevas, em outras palavras, nas trevas não somos criticados pelos outros e nem mesmo nos criticamos a nós mesmo, não existe um discernimento, logo tudo o que há em nós também é trevas, nossa alma vive na incerteza que o mundo tem de abundância para nós.
Por que sendo jovens, somos sempre alvos das preocupações?
Não há verdades mais profundas que as descritas na palavra de Deus, bem como esta que diz; "na tua luz veremos a luz", quando você quer achar alguma coisa você liga a luz, não a desliga, se você não quer e nem deseja viver uma vida desnorteada, triste como sinonimo, precisas de luz, e somente em Jesus Cristo poderemos encontrar a luz verdadeira que vai esclarecer os nossos passos, desembaraçar os nossos pensamentos, e nos mostrar a direção em nossos propósitos.
"Eu amo te amar Senhor"!!!!Aleluia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Finney e o pecado


Opinião de Charles Finney sobre como começa e se desenvolve o pecado na vida de todas as pessoas.

"Toda depravação moral(pecado) começa substancialmente do mesmo modo.
1. Os impulsos da sensibilidade(carne) são desenvolvidos de maneira gradual, e depende do desenvolvimento e crescimento físico.
2. Os primeiros atos da vontade obedecem a eles.
3. A gratificação própria(satisfação) é a regra prévia(que vem primeiro) ao desenvolvimento da razão(ou seja antes que a criança comesse a ter discernimento do bem e do mal, já sabe o que é agradável).
4. Não se oferece qualquer resistência à vontade em sua satisfação do apetite até que um hábito de indulgência própria( desculpar-se, não penalizar-se, ou achar que esta certo e que deve ser assim mesmo), encontra já formado.
5. Quando a razão afirma a obrigação moral, encontra a mente num estado de submissão habitual e constante aos impulsos da sensibilidade.
6. As exigências da sensibilidade tornam-se mais despóticas quanto maior o tempo que são toleradas.
7. Nessas circunstancias, a menos que o Espírito Santo interfira, a idéia de obrigação moral só se desenvolverá de maneira muito débil (com pouca força).
8. A vontade(faculdade executiva da mente), é claro, não aceita cumprir a ordem da razão e se apega a indulgência própria(desculpar-se).
9. Essa é a solução de um problema fundamental. É decidir em favor do apetite, contra os clamores da consciência e de Deus.
10. A luz, uma vez rejeitada, pode ser depois recusada com maior facilidade, até que seja excluída, quase que por completo.
11. O egoismo confirma, fortalece e perpetua a si mesmo por um processo natural.Ele cresce com o crescimento do pecador, e se fortalece com sua força; e o fará para sempre a menos que seja vencido pelo Espírito Santo por intermédio da verdade."
( Teologia Sistemática de Charles G.Finney).

Espero que tenha se beneficiado com está pérola. Deus voz abençoe e voz livre da lei do Pecado.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Por que Deus criou a vida.



Em Genesis capítulo 1, dos versos 3 a 10, o Senhor Deus após ter criado a terra em seu estado primitivo, estado este que foi resumido sua descrição no verso 2, dizendo que ela era sem forma e vazia( é claro este vazio pode ser traduzido por deserto), e somente um elemento era revelado a água(que também posso entender aqui, não se tratar apenas de água, mas, todo e qualquer elemento no seu estado líquido, não que o autor do texto esteja dizendo isso, essa é apenas uma presuposição minha).E nos versos de 3 ao 10 vemos claramente o Senhor Deus mudando toda a estrutura da terra e do universo ao redor dela, tornando ela um lugar apto para o desenvolvimento da vida. Ele cria a luz, torna-a distinta das trevas; tira um pouco das águas da terra e cria os céus e os mares, então pela primeira vez, Ele mostra o surgimento dos elementos sólidos com o surgimento da porção seca a qual é classificada como terra.
Após todo este preparo e só após todo este preparo, cuidadoso, através do qual Ele estabelece as leis da física com as quais ele estabelece as condições ambientais perfeitas, ai Ele começa a criar a vida. E nos versos 11 e 12 já tendo luz( embora nos versos 14 ao 18, é que é descrita a criação dos astros, mas, podemos deduzir que Ele já os havia criado antes, porém no capítulo 2 e verso 5, a Bíblia os revela e deixa subtendido, que estas arvores e plantas estavam ainda num estado embrionário de sementes, e não haviam crescido), já tendo ar ou atmosfera, já tendo terra, Ele cria as primeiras vidas as plantas, depois Ele nos versos 20 a 25 por meio de sua palavra cria todas as espécies. Notemos uma coisa quando já existia luz, mas, num estado pouco concentrado pelo fato de ainda não haver luminares, Deus lança as sementes das arvores, o capítulo 2 é que esclarece que a terra só veio a produzir mesmo bem mais tarde, e que o primeiro lugar aonde a terra floriu e começou a brotar os primeiros sinais de vida foi no Éden. Foi lá que surgiu as primeiras espécies de feras e animais do campo, e Deus após ter criado o homem se inspirou nelas para criar também a mulher para companhia do homem.
Por que Deus criou a vida? Ele primeiro cria um meio ambiente adequado e depois cria nele a vida. Será que Ele já havia criado vida antes? O fato e o que sei ou penso que sei, é que Ele não apenas criou vida, mas, externou a si mesmo colocou um pouco de si em sua própria obra e criação, Ele deu vida, deu ao que era caótico beleza e expressão, colocou sentimento e valor aonde nada havia, o valor nosso está em que Deus se interessou por nós, a Bíblia em todo o processo criativo disse, "e viu Deus que era bom"...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O provar de Deus é a prova de seu cuidado.


O provar de Deus é a prova do seu cuidado, para com seus justos, e o instrumento ou meio pelo qual ele é manifestado. Deus tem cuidado de nós, não vem tentação sobre nós que não seja humana, Ele não nos deixará tentar além de nossas forças, " sabendo que a tribulação produz a paciência"(I Cor 10:13/Rm 5.3). O fato de ser assim mostra o bastante, quando nos permite sermos tentados e atribulados em tudo e que lutas tamanhas venham sobre nós; ensinando-nos a sermos pacientes, perseverantes na fé e na esperança. Revelando e executando o seu cuidado por meio disso tudo, é a prova ou evidencia do seu cuidado, porque quando chegamos lá na frente, após termos passado por tudo, lutas, tribulações e tentações; e olhamos para trás, vemos que se não fosse tudo, não teríamos crescido e desenvolvido na nossa vida com Deus, vemos as provisões de Deus.
Vemos que quando pensávamos que íamos cair, mas, estávamos mais do que seguro; e se nesta hora de reflexão estivermos passando por crises, tentações e afrontas, seremos consolados e estimulados ao vermos em tudo isso o cuidado de Deus. Como teste ou prova, o provar de Deus o provar de Deus é o instrumento ou meio pelo qual ele revela o seu cuidado, pois em uma luta ou numa tentação que possa significar perda ou miséria espiritual, esta luta ou tentação será reprovada por Ele, não permitindo que venha sobre nós.
E que durante o tempo em que ele nos prova por meio daquela luta ou tentação, também esta a por meio da prova como sábio mestre que não cansa de ensinar e sanar dúvidas, a nos instruir em fé, amor, esperança, perseverança, maturidade, auto-conhecimento, conhecimento de Deus entre outras, matérias de sua escola santa.

domingo, 10 de julho de 2011

O provar de Deus é o instrumento de sua justiça!


"E Deus que conhece os corações lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós"(Atos 15.8).

Quem ousa questionar a justiça de Deus?A palavra questionar é por em dúvida ou lançar dúvidas a respeito de algo.Mas a razão humana estará cheia de questões ou seja dúvidas, do por que Deus a veio repreender, corrigir ou reprovar, se ato justo de Deus não houver algo que evidencie a sua justiça.É como já afirmei o provar de Deus o evidenciar de sua justiça.
Mas, quando Deus nos prova; através de nossas tribulações.A nossa reação diante das lutas e tentações( as quais ele já sabe quais serão), serão provas irrefutáveis; por que elas manifestarão ou seja deixarão descoberto o nosso coração(Mt 12.35/Lc 6.45).
"O homem bom do seu bom tesouro do coração tira boas coisas, e o homem mau do mau tesouro do seu coração tira coisas más". Deus não implanta provas em ninguém; mas, deixa com que o livre curso de seus caminhos o denuncie a sua própria consciência (Rm 2.15,16). E quando vier o juízo de Deus, seja o passageiro ou o eterno, Deus prova ao homem como é justa a sua sentença usando a sua própria consciência e razão. Em Ap 2.23, vemos que ficara provado aos outro também o desvario ou loucura desta pessoa a quem Deus julgou e condenou.
Portanto o provar de Deus é usado por Ele como um instrumento ou meio pelo qual fica evidente a sua justiça (Atos 1.23,24/Mc 14.27-31,66-72). Deus instrui a Samuel de que a sua justiça não se baseia em aparências as quais estão sujeitas a dúvidas, a lançar dúvidas a razão; mas, se baseia em certezas. Por que como disse em Mateus 12.35, o que há no coração do homem são tesouros; são coisas preciosas a sua alma. E se o mau estiver em seu coração estará ele apegado ao mau, por que é muito precioso para ele. E não importa se por fora ele faça o aparente bem ao próximo e a Deus, por que ele é egoísta em tudo o que ele faz, e se faz o bem é para agradar a si mesmo a sua carne; será sempre para satisfazer algum sentimento ou pela necessidade de senti-lo.
Ou por medo justiça de Deus ou das consequências naturais do mau; ou por afeição; por paixão a alguém, sempre é algo que tem alguma relação com o ego, seja ela qual for.Seja por cobiçar o céu, ou por egoísmo propriamente dito, tendo interesse nos consequências naturais do bem, seja por que esta é a sua natureza de alguém bondoso, ou por que se sente oprimido e sentirá aliviado, ou pela alegria de ajudar a alguém, ou senti impulsionado por um sentimento qualquer. Por que a carne ou sensibilidade é involuntária, não há nela mal ou bem, por ela mesmo não escolhe o bem e nem é capaz de o fazê-lo. E se andarmos segundo ela seremos como a animais e somos a imagem de Deus.
Portanto o mal ou bem está nas nossas escolhas, se escolher andar segundo a carne; serei egoísta por que farei só o que a carne quer; e serei irracional por que não há nisso a escolha do bem pelo seu valor próprio e sim por que satisfaz a minha própria carne, e por que não estarei obedecendo a lei de Deus revelada a consciência através da razão, aquilo que me da o discernimento através do Espírito Santo o que é conveniente ao bem do próximo e a Deus. Não haverá bem nisso, mesmo que aparente. Mas, se escolher andar segundo o Espírito Santo, jamais serei egoísta, por que não escolherei viver para mim e sim para o Reino de Deus.Serei racional, por que andarei em discernimento e não como um ébrio, por que horarei a imagem de Deus que há em mim, não tornando a como a de um animal, serei a sua semelhança por que andarei em Espírito. E nisto há todo o bem.
"Por que em Cristo Jesus nem a circuncisão nem a incircuncisão tem virtude alguma(valor moral),mas, sim o ser uma nova criatura"(Gal 6.15) A aparência não tem valor para Deus, mas, sim o ser uma nova criatura.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O provar de Deus é a manifestação de sua justiça!


O provar de Deus é o evidenciar e o manifestar de sua justiça.Quem conhece o homem senão Deus, e quantos pecados comete ele no seu coração sem o manifestar exteriormente? Mas o provar de Deus revela o que está em oculto no coração. Deus não permite que o homem seja tentado e peque para ai o acusa-lo; mas, Deus permite para que o pecado que ele já comete em seu coração torne evidente e ele não tenha como desculpar-se.
A justiça do justo também se manifesta por meio das provações assim como a iniquidade do impio. Assim como a cobiça de Ananias e safira se manifestou diante da tentaçao do dinheiro, ou seja do objeto da tentaçao, ou do objeto da cobiça, o dinheiro, no caso aqui. Assim também a justiça de José se manifestou diante da tentação da luxuria( Gn 39.7-23/40/41/Atos 5.1-11). Uma coisa é certa somos tentados pelos nossos desejos ou sentimentos e caímos quando somos seduzidos ou convencidos por eles; e que a vigilhança tem como objetivo principal evitar a tentação sendo um ato nosso; e a oração tem o de pedirmos a Deus também que nos livre sendo um ato d'Ele. Por que quando estamos em tentação estamos muito propícios a cair, mas a recomendação de Jesus "Vigiai e orai" é "para que não entreis em tentação"(Mt 26.41) e não" para que sejais livres n tentação". Mas, se por um minuto descuidamos seremos tentados, ou seja, seremos atraídos, como Tiago disse. Mas o justo se vier a ser seduzido por ela, poderá cair e se arrepender, ou perserár e com isso se fortificar diante de Deus. Todavia o impio sempre cairá ou seja deixará ser seduzido por ela, visto já estar caído; mas ainda não o ter manifestado exteriormente ou seja tenha tido a oportunidade; e ela aparecerá, e ele cairá e ficará descoberto o seu coração. Davi caiu, mas, se arrependeu, José perseverou e foi abençoado por Deus, e como justos estivera diante de Deus. Ananias e Safira caíram e morreram na sua iniquidade e o que fizeram ficou como evidencia da justiça de Deus aos condenar, assim como a reta conduta de José ficou como evidencia da justiça de Deus ao colocá-lo sobre os seus irmãos e o abençoar.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

O Provar de Deus é a sua vontade.




Com esta postagem pretendo continuar a série, sobre o "Provar de Deus".

A princípio o provar de Deus é a sua vontade. Mas de Deus não vêem mal, e ele não é tentado por cobiças e nenhum mal, e nenhuma espécie de mal, e portanto não faz uso de tais coisas para tentar as pessoas.
E como já afirmei as lutas não vêem de Deus. E as tentações também não vem de Deus, elas são males que nos induzem as suas práticas. As lutas porém são resultado natural do viver, e o viver em Cristo se opõem ao viver na carne. Por isso, o viver em Cristo ser guerra contra o mundo, o Diabo e a carne.
Agora, o provar de Deus vem d'Ele; e Ele o planeja. Na sua presciência Ele vê ao longe uma onda de lutas e tentações vindo sobre a praia do viver em Cristo de muitos justos, e vê aquelas que poderão serem usadas para o crescimento espiritual, para o desmascarar dos falsos e o revelar dos sinceros, para a correção de seus filhos, e já tem planejado as usarem e como fará isso. Se alguém não é sincero o seu viver se evidenciará através das lutas, se alguém se esconde atrás da Bíblia a sua pele de lobo o será descoberta.

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...