TRADUTOR

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Muçulmanos estão tendo visões e sonhos de Jesus e se convertendo ao cristianismo


Texto retirado do site Gospel Mais.

Uma revista da Califórnia publicou recentemente os resultados de uma pesquisa com mais de 600 ex-muçulmanos, que agora seguem Jesus. “Embora os sonhos pareçam desempenhar um papel menor na conversão dos ocidentais, mais de um quarto dos entrevistados ex-muçulmanos enfaticamente confirmam que os sonhos e visões desempenharam um papel vital em sua conversão, e os ajudou em momentos difíceis”, o levantamento afirmou.
Outros têm encontrado o percentual mais elevado. Karel Sanders, um missionário na África do Sul, informou que entre Africanos muçulmanos, “42% dos novos crentes vem a Cristo através de visões, sonhos, aparições angelicais e ouvir a voz de Deus.” De acordo com o site “Sexta-Feira Dawn Fax”, que se concentra em relatórios missionários de língua árabe, moderadores explicam experiências sobrenaturais, tais como sonhos, visões e curas através da oração de Jesus. “Este é um tema quente em nossa região. Pessoas de todo o Oriente Médio nos chamam, dizendo como eles foram curados através da oração em nome de Jesus”, citam os missionários. “Ouvintes muçulmanos costumam nos falar sobre sonhos e visões de Jesus, querendo saber o que isso significa para eles.”
O mesmo é contado em “I Dared to call him Father (Me atrevi a chamá-lo de pai)”, um livro fascinante, escrito por uma rica mulher ex-muçulmana paquistanesa chamada Bilquis Sheikh, que veio a Cristo através de uma série de acontecimentos místicos – começando com a presença do mal, que ela sentia, e era ligado ao assassinato recente de um cristão perseguido.
“A estranha sensação espinhosa cresceu dentro de mim enquanto eu caminhava lentamente ao longo dos caminhos de cascalho do meu jardim”, ela escreveu em um livro que acaba de ser relançado. “Eu parei de andar e olhei em volta. Como eu me inclinei para agarrar as hastes verdes, algo passou por minha cabeça, eu me endireitei, atenta. Senti uma névoa… Um frio, úmido. Uma presença profana – tinha flutuado por mim. Claro que não havia nada lá fora. Estaria lá? Como que em resposta, eu senti uma presença, muito real e misteriosa e um toque em minha mão direita.”
Esta experiência levou a uma série de sonhos que – como tantos outros – culminou na conversão da mulher muçulmana. São tais sonhos mais recorrentes agora – com a situação do mundo como ele é? Ou será que eles sempre ocorreram?
Sabemos que os sonhos podem ser importantes. Nós lembramos de Abraão. Nós lembramos de José, o pai de Jesus.
Mas eles também são cruciais no nosso próprio tempo e, no caso da mulher rica, cujo marido tinha sido um general e ministro do Paquistão, eles formaram uma parte importante de sua conversão – se não o mais importante papel. Conforme ela explica neste livro bem escrito (que foi publicado pela primeira vez em 1978), ela havia sido criada na fé muçulmana, que acreditava que, embora Jesus tenha nascido de uma virgem, ele não era o Filho de Deus. Ainda assim, a mulher sentiu-se impulsionada para explorar a Bíblia – e é aí que tudo começou.
Em um sonho, relatou Sheikh, “eu me encontrei jantando com um homem que eu sabia ser Jesus. Ele veio me visitar na minha casa e ficou por dois dias. Ele sentou-se sobre a minha mesa e em paz e alegria jantamos juntos”.
“De repente, o sonho mudou. Agora eu estava no topo de uma montanha com outro homem, João Batista. Ele estava vestido com uma túnica e calçado com sandálias. Como foi que eu misteriosamente sabia seu nome, também? Eu encontrei-me contando a João Batista sobre as minhas visitas recentes com Jesus”. O sonho – peculiar – a levou à pergunta que todos que poderiam saber responder (porque até aquele momento, Sheikh ainda não havia chegado ao trecho em que João Batista aparece na história) em sua leitura da Bíblia.
Ela se tornou uma cristã. Então, temos milhares de outros. Os relatórios incluíram moradores em lugares como Marrocos. Ouvimos pela primeira vez sobre isso no início de 1990.
“Um seguidor de Jesus da Guiné fala sobre uma pessoa de branco que lhe apareceu em sonho, chamando-o de braços abertos”, afirma a publicação da Califórnia.”Esse tipo de sonho, no qual Cristo aparece como uma figura de branco, é um padrão freqüente na obra missionária entre os muçulmanos.”
Os exemplos são numerosos. Um muçulmano da Malásia viu seus pais falecidos como convertidos aos cristianismo em um sonho, comemorando no céu. Jesus, com uma túnica branca, lhe disse: “Se você quiser vir a mim, vem!” Ele o fez.
Outro convertido, este novamente a partir do Oriente Médio, disse que ele estava deitado na cama com uma dor de cabeça muito forte. A figura branca com uma aparência maravilhosa, pacífica, apareceu e colocou as mãos sobre sua cabeça três vezes, e na manhã seguinte a dor de cabeça que era incurável até então, ​​havia cessado.
Um homem do oeste da África viu um religioso muçulmano no inferno, e um pobre cristão, que não podia mesmo dar esmolas, no céu. A voz explicou que o ponto decisivo não foi a esmola, mas a fé em Jesus.
Enquanto isso, um trabalho missionário entre os Tausugs, das Filipinas, maior grupo muçulmano daquele país, relata que um número de muçulmanos fiéis “viu Jesus” em seus sonhos após o Ramadã (mês em que os muçulmanos praticam um ritual de jejum). Um homem sonhou com Jesus matando um dragão enorme em um duelo e no dia seguinte teve o mesmo sonho, o que o levou a conhecer o Evangelho.
Um membro do povoado Yakan, na Província Basilan sonhou que o Profeta Maomé não podia olhar para Jesus no olho. Quando ele disse seu primo, um cristão, do sonho, seu primo lhe disse que o sonho significava que Jesus é maior do que Maomé.
Há histórias de guerra espiritual. Há relatos da Turquia. Há histórias de curas milagrosas. Há histórias do Iraque. Uma equipe que pertencem aos “Atletas em Ação”, um movimento de atletas missionários, relatou a partir de sua visita às repúblicas da Ásia Central do Turcomenistão e Quirguistão, que “uma das experiências mais interessantes da viagem foi para ouvir um grande número de pessoas dizendo como eles tornaram-se cristãos”. Anteriormente, eles haviam sido ateus ou muçulmanos. Alguns nos contaram como Deus havia falado com eles em sonhos. Outros nos contaram como eles tinham tido dores de cabeça por dias depois de ouvir sobre Cristo. Logo que decidiram tornar-se cristãos, a dor de cabeça havia passado. Uma mulher nos disse que na noite em que ouviu falar de Jesus, nada aconteceu até que ela foi dormir. Enquanto ela dormia, ela teve um sonho terrível, no qual uma figura satânica disse a ela “Você nunca vai escapar de mim”, porém agora ela também se tornou uma cristã.
Existem inúmeros relatos de que muitos dos Berberes que vivem nas montanhas da Argélia estão vindo a Cristo através de sonhos e visões semelhantes, formando células e igrejas, em sua maioria subterrâneas. Ahmed Ait Ben Youcef, um berbere nativo que atualmente vive no exterior, disse que encontrou Cristo no caminho que parece típico para berberes islâmicos anteriormente: “nós berberes sempre acreditamos em Deus, mas muitos o procuram à sua própria maneira, sob a pressão dos árabes islâmicos. Jovens ansiavam pelo caminho certo para nossas vidas e oravam a Deus para orientação. Um dos meus amigos morreu em um acidente de trânsito. Na noite seguinte, sonhei que ele, um outro amigo, e eu nos dirigíamos a uma cidade brilhante, rodeada por uma parede branca. Nesse sonho, meu amigo nos disse que agora ele vivia lá”.
Um muçulmano egípcio estava lendo os Evangelhos, e de acordo com mais um relatório ele tinha acabado de chegar a Lucas, Capítulo 3, quando um vento forte varreu a sala e uma voz disse: “Eu sou Jesus Cristo, a quem você odeia. Eu sou o Senhor que você está procurando.” Ele decidiu seguir a Jesus naquele dia.
Os relatórios são difundidos de tal forma que sites inteiros são dedicados a tais histórias – embora muitas vezes tomem o cuidado de manter o anonimato. Uma fonte bem informada, que por razões óbvias permanece não identificada, relata que um ex-islâmico “Imam” ou líder espiritual levou 3.000 muçulmanos para Jesus, tendo ele chegado a Cristo através de sonhos, em que um homem branco dizia-lhe para estudar a Bíblia. O método desse homem é simples: em uma conversa, ele diz aos outros: “você já viu um homem branco em seus sonhos recentemente? Se eles não tiverem visto, ele lhes diz: eu só estava me perguntando. Obrigado. Se responderem positivamente, ele continua perguntando se eles estão interessados ​​em aprender quem este homem branco é. E quem não está interessado na identidade de uma pessoa misteriosa que aparece em seus sonhos? O ex-Imam, em seguida, mostra-lhes várias passagens da Bíblia em que um homem branco vestido é mencionado, explicando: “Isso é Jesus. Ele quer falar com você, porque Ele quer que você o siga”.
Muitos muçulmanos foram preparados para em caso de encontros sobrenaturais, e aceitarem o convite. Algum tempo atrás, Bill Bright, diretor do “Campus Crusade”, escreveu que “estavam vivenciando um fenômeno surpreendente. Muçulmanos em particular, estão tendo sonhos e visões confirmando a realidade de Cristo. Depois de um programa de rádio informaram que Jesus havia aparecido para muitos muçulmanos em um sonho e havia dito a eles: ‘Eu sou o caminho’. A estação de rádio recebu milhares de cartas de muçulmanos no norte da África e do Oriente Médio, em que os ouvintes disseram que de repente tinham entendido sonhos anteriores. Eles, então, queriam mais informações sobre Jesus”.

domingo, 25 de setembro de 2011

Crer em alguém


Para se crer em alguém tende se saber se este alguém é de confiança, ou seja alguém fiel que cumprirá o que diz ou que tem testemunho de que é alguém confiável. Deus fornece para todo o homem sincero, este testemunho; este saber a seu respeito (I João 5.9-11).A respeito de sua existência ele deixou a sua Palavra, como o texto diz, que a fé vem pelo ouvir a palavra de Deus, também através de Jesus Cristo conforme Hebreus 1.1,2/João 1.18.E nós juntos ao Espírito Santo somos o testemunho de Jesus Cristo conforme João 15.26,27 e Atos 1.8.
A respeito de seu eterno poder e sua divindade, veja em Romanos 1.20.
I. Deus não precisa de testificar, ou de conceder evidencias para que creiam nele a quem já crer nele, já o conhece e prossegue em conhece-lo, este é o caso de Noé, filho de uma geração de pessoas tementes a Deus, da linhagem de Sete(Gn 4.26).
Creio ser este também o caso de Abraão, descendente de Sem, filho de Noé, que possivelmente conhecia o seu avô e fora por ele informado sobre Deus, e este passou a servi-lo também e conhecê-lo. E se para Abraão, Deus teve alguma vês que conceder-lhe evidências, foi para afastar as dúvidas dele e fortificá-lo na fé.
II. Como já disse acima, Deus fornece provas ou evidencias de sua pessoa, as pessoas que estão duvidosas como no caso de Pedro na passagem em que Jesus veio andando sobre as ondas do mar.
III Também no de ignorância, como aconteceu com o cego de nascença que Jesus curou, e que após se encontrar de novo com Jesus, é interrogado pelo mesmo que lhe diz; "Crês tu no filho de Deus ?"O qual responde com outra pergunta. "Quem é ele, Senhor, para que nele creia?". Ora o cego não conhecia o filho de Deus. E como poderia crer em quem não conhecia? Mas, em Jesus sim, pois a este conhecia e testificara dele diante dos judeus que era homem de Deus, neste sim ele cria. Por isso então deparando-se com esta pergunta, vemos que aquele cego precisava de uma prova de que aquele Filho de Deus era alguém de confiança, para que nele apoiasse a sua fé. E vimos também,que porque ele declarou ser o Filho de Deus, àquele cego, pelo testemunho que dele tinha, pois Jesus o curara, ele então creu no Filho de Deus. E foi isso que Jesus fez, e o cego novamente respondeu. "Creio, Senhor" João 9.

sábado, 24 de setembro de 2011

Homem no buraco (Dublado português)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Deus nos prova para que tenhamos maturidade.


Maturidade é crescimento completo, uma pessoa imatura é uma pessoa que cresci em algo, mas, noutro ela ainda é uma criança. Este crescer é crescimento e desenvolvimento.A vida espiritual no meu entendimento conforme o que a palavra me faz entender, não é necessariamente a vida do espírito. Por que pela palavra de Deus, "todo o mundo está morto em trevas de pecado", isto não quer dizer que os seus espíritos estejam mortos, mas, que como diz aquela frase, "você esta morto para mim".Ou seja, " estou brigado com você, somos agora inimigos, não temos mais comunhão um com o outro". Está é a palavra, comunhão; a morte espiritual apregoada é a ex-comunhão, o homem que vive em pecado é como se estivesse morto, por que está em guerra com Deus. Portanto a "vida espiritual" é a vida em comunhão Jesus(Efésios 2.1-10/4.18).
Digo isso por que todo o ser humano tem um espírito, e vive; mas quando se fala em Jesus, diz "espírito vivificante" ou que traz vida, este é aquele que estabeleceu novamente a comunhão do homem com Deus, tornando o vivo para Deus(I Coríntios 15.45/Romanos 5.1-11).
Então a maturidade espiritual é o crescimento e desenvolvimento completo de nossa comunhão com o Pai."Enoque andou com Deus", para se andar com Deus tem que necessariamente também andar no seu caminho, isto é ter comunhão com Ele, portanto "andemos com Deus".

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Deus nos prova para que o conheçamos melhor.


A prova também leva-nos a conhecer melhor ao Deus a quem servimos. As vezes temos conhecimento teórico de Deus, seja ele tradicional( pelos nossos pais e parentes e compatriotas), seja ele denominacional( pela nossa denominação ou Deus segundo a visão denominacional a qual pertencemos),seja ele teológico( pela teologia moderna, histórica e tradicional; preconceituosa e esclarecida, seja qual for ela) ou qualquer outro.Todavia Deus nos chama a um conhecimento pessoal e prático com ele, ele quer provar e aprovar ou reprovar a nossa teo-teórica-logia. Mas, para quem?Para nós ou para ele?Certamente que para nós, visto ser ele conhecedor de tudo o quanto o homem diz ou venha a dizer a seu respeito. Há um caso de um homem que defendia a "teologia da prosperidade" o tal fim deste foi a mendicância.
Jó e seus amigos eram adeptos da teologia utilitarista, defendiam que tinha que ser útil, se alguma coisa estava errada era por que estava em pecado, se padecia era por que estava em pecado. Mas, quando veio-lhe a adversidade mudou então o seu parecer, e veio a tomar aulas com o próprio Deus.Por que Deus está a testar o nosso conhecimento a seu respeito.Com o conhecimento pessoal que adquirimos através das provações viemos a por em teste o que pensamos conhecer sobre Deus e na maioria das vezes reprovar.
Feliz daqueles que vem a crescer com a prova. Por que a prova também revela a nossa sinceridade ou hipocrisia, quem é sincero se evidenciara e o hipócrita será desmascarado ou ele há de se arrepender ou se desviar. O provar de Deus revela o que está em oculto.
O provar de Deus nos mostra quem Ele é.Por muitas experiencias seremos confrontados em nossa caminhada ao seu lado, e é neste momento que os aspectos de seu caráter santo se evidenciaram para nós. Pois em meio a dor ele será o Consolador, em meio as nossas incertezas ele demonstrara firmeza, durante as nossa tentações sera conselheiro e compreensivo, em nossa queda mostrara ser justo, mas, disposto a nos erguer. Durante nossa rebeldia, Ele será inflexível, mostrando assim que Ele é sempre fiel (2 Timóteo 2.13), mesmo quando somos infiéis; e que nele a gente pode confiar como diz aquele hino "Jesus, nele a gente pode confiar", e como diz também o Salmo 125.1, que os que confiam nele nunca se abalam.

domingo, 18 de setembro de 2011

Deus nos prova para o nosso auto conhecimento


Já tenho dito que Deus nos prova para nos trazer o bem.Esse bem pode e significa todo bem, que justamente ou seja segundo a sua lei e sabiamente, isto é da melhor e mais inequívoco e justa forma, que em sua uniciência Ele pode nos assegurar.Para isso Deus nos prova, para o nosso próprio proveito( Hebreus 12.6-11).E isso significa primeiramente, " maturidade espiritual"; também "Fé fortalecida", "unidade do corpo", "auto-conhecimento","conhecimento de Deus" e toda sorte de bem, espiritual, moral ou física que isso nos possa propor.Quero comentar um pouco sobre os bens que tenho alistado a cima:
Auto conhecimento. Por que precisamos conhecer o nosso limite como seres humanos diante do ilimitado Senhor do universo?
Olha havia milhares de homens na companhia de Gideão para batalhar contra os midianitas, mas, o Senhor sabia que com aquele número de pessoas, se Israel ganhasse a batalha não haveria de reconhecer que Deus é quem os havia feito vencedores, por isso os reduziu ao pequeno número de 300 homens. Pois estes sim ao ganharem reconheceria que Deus, e não eles é quem havia vencido a batalha e glorificariam o nome de Deus. Do contrario estariam cegos e privados de ver o poder e o manifestar da glória de Deus, pensando ser eles mesmo os que haviam feito tudo aquilo.Ao vermos a nossa pequenez a nossa fé não será fingida, aprenderemos a confiar mais em Deus e menos em nós mesmos, " maldito é o homem", diz a palavra," que confia no homem" ou seja que faz do seu próprio braço o seu socorro. Concederemos a glória de Deus a ele por que lhe pertence.Reconheceremos que não podemos fazer nada além de nossas forças, não tentaremos a Deus para Ele com justiça nos abandone diante de nossos obstáculos.Conheceremos que confiando em Deus venceremos os nossos limites e os ampliaremos.E saberemos que Deus não nos exige nada além de nossos limites."Se tropeçardes em pedras"o texto é claro revela um acidente não algo intencional, deliberado.Mas, Satanás dizia pule daqui abaixo. Isso é tentar a Deus, isso é não reconhecer os nossos limites. É diferente de agir por fé, por fé é quando Deus diz" vai lança a rede no mar", ou diz a Pedro que viesse de encontro a ele andando pelas águas do mar. Por que quando Deus nos ordena algo, em sua onisciência ele sabe que está além do que podemos fazer para ele com nossas próprias forças, então ele nos concede força, ele amplia através da nossa fé o nosso limite.
E conhecendo o nosso limite melhor nos conheceremos. A prova de Deus tem por objetivo nos mostrar quem nós verdadeiramente somos. Digo não há ninguém que melhor nos conheça que o nosso próprio Criador. Por que muitas vezes como Pedro dizemos."Senhor nunca tal faria eu". Mas, o que acontece é que quando assim nos pronunciamos, estamos enganados a respeito de nossas resistências. Assim como há necessidade de que o homem conheça as suas resistências físicas, para que não abuse em suas atividades e práticas. Há também que conheceremos as resistências da alma e do espírito humano.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ponto a considerar 1: Cuidados da Vida


E olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.(Lucas 21.34)

O que é isso, ou o que Jesus haveria querer dizer com esta expressão? Cuidados da vida?Outra semelhante é "cuidados com as coisas deste mundo", outra é a que define melhor esta expressão, ou seja a palavra ansiedade. Os cuidados desta vida como a própria pronuncia o diz, são os cuidados que as pessoas tem com as coisas essenciais da vida, como roupa, abrigo, alimento, saúde.A expressão ou preocupação de Jesus ao expressá-la, é devido as pessoas se sobre carregarem de cuidados e preocupações excessivas com a vida. Então estes cuidados sufocam a palavra de Deus, e esfria a fé da pessoa por que, esta é uma ferramenta com a qual o inimigo ocupa o coração das pessoas e não as deixa tempo, para meditarem e refletirem sobre as suas próprias vidas e caminho com Deus e o próximo.Analisando a vida das pessoas, você verá que a grande maioria das pessoas vivem no automático, vivem uma vida, sem reflexão, sem raciocínio, como dizia aquele poeta" vida de gado". Passam o tempo todo com a mente ocupada pelas ansiedades da vida, se você quer que uma pessoa não pense, é só você a sobre carregar de trabalhos, e ansiedade, com isso grandes mentes se tornam obtusas, grandes pensadores apenas trabalhadores braçais.Toda vez que você prega o evangelho você chama as pessoas a refletirem, a ansiedade torna-se como uma viseira na mente das pessoas,viseira é colocada na cabeça dos cavalos para que eles não olhem para os lados, e sigam apenas aquilo quer seu condutor.E é justamente isso que o inimigo quer, que os cristãos da atualidade se sobre carreguem com os cuidados, ansiedades e temores desta vida, e com isso não lhes sobrem tempo para se dedicarem a Deus de o adorarem.
Que Deus nos guarde e nos livre dos cuidados desta vida!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Batismo por revelação


"Vim por isso batizando com água"...
"Eu não o conhecia, mas, o que me mandou batizar com água, me disse:Aquele sobre quem vires descer e permanecer o Espírito, esse é o que batiza com o Espírito Santo."(João 1.31,33)
Concluímos com isso, que o batismo de João, foi um método dado, por Deus, de revelar a pessoa de Jesus a ele; para que ele pudesse assim testificar.João por ser primo de sangue de Jesus, já havia conhecido por sua mãe a respeito de Jesus, mas, foi através do Batismo, no qual ele viu a pessoa do Espírito Santo vir sobre Jesus na forma de uma pomba, que suas dúvidas caíram. É claro, já no fim de seu ministério temendo, ter se iludido com Jesus, pediu a seus discípulos que buscasse saber de Jesus, mais, uma vez. Neste mesmo instante Jesus num ato de demonstração de poder curou a muitas pessoas na presença deles, e lhes disse, para irem e contarem tudo o que haviam visto.
Eu sempre falei que Deus procurar nos provar para que tenhamos certeza e convicção de suas verdades. Foi assim com João e é assim conosco. No João havia recebido um ministério, pregar a palavra de Deus e preparar o coração das pessoas para a chegada do Messias, e havia sido lhe dado um sinal, e ele viu quem era Jesus, que ele era realmente o Messias. Mas, assim como João que depois de tudo feito, ainda veio a duvidar, acontece também conosco, quando algo da errado pensamos que falhamos com Deus, que julgamos e agimos errado, que não era aquilo que Deus queria, foi o que aconteceu a João ele pensou que não era aquele o Messias, mas, ele não estava enganado, e Jesus sem questionar a fé de João, apenas lhe ofereceu mais uma prova de que era ele mesmo o Messias.

Deus voz abençoe!

domingo, 11 de setembro de 2011

Como Zaqueu...


Na vida de Zaqueu, vemos o que a fé em Jesus e nas verdades reveladas por ele no evangelho, pode fazer(João 8.31,32/Lucas 19.1-10).
A esperança de Zaqueu estava em que o Reino Deus é mais precioso do que as suas riquezas, que é contrário da esperança do Jovem Rico, que estava em que através de suas riquezas ele poderia fazer alguma coisa para herdar a vida eterna, ou seja ele confiava em sua riqueza, de que com ela ele poderia fazer algo de bom para herdar a vida eterna. Fé é aceitar a verdade, incredulidade é rejeitar a verdade. Zaqueu aceitou a verdade revelada a ele, de que o Reino de Deus é mais precioso do que as suas riquezas.
Por isso confiando nessa verdade, não teve mais motivos para roubar e acumular bens, pois não confiava mais nas suas riquezas, e perdendo a confiança nelas, para ele, elas perderão também o valor.
E cheio de Esperança produzida por essa fé, de que o Reino de Deus é mais precioso do que suas riquezas deu metade do que tinha aos pobres e devolveu a quem roubara quatro vezes mais. A fé nesta verdade revelada pelo Espírito Santo, através de Jesus, teve um resultado oposto ao da fé nas riquezas, que com esperança nelas roubava e acumulava bens. A fé na verdade revelada pelo Espírito Santo, produz resultados opostos ao da fé que a pessoa tinha antes da revelação desta verdade, como no caso de Zaqueu.
Zaqueu é o personagem ou seja representa bem ele, o personagem da parábola em que o Reino de Deus é comparado a uma pérola. Nela Zaqueu retrata aquele homem que achou a pérola e vendeu tudo quanto tinha e a comprou. Por que desprezou suas riquezas? Por que tinha a vida eterna por mais preciosa(Mateus 13.45,46).

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...