TRADUTOR

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Por que creio? Parte I


Texto Base: Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição da alma, mas, daqueles que creem para a conservação da alma(Hebreus 11.39).

Antes de começarmos esta série de reflexão, quero dizer que falo sobre a fé no sentido de confiança. Então me pergunto. Por que creio?

I.Por que decidi crer, e ou por que fui levado a crer.

Confiar ou ter fé é uma escolha, e uma faculdade, pois somos capazes disso. Podemos crer por que fomos levados a crer; e isto pode se dar de diversas formas, talvez por todos creem e você simplesmente seguiu o curso, sem contudo ter raízes naquilo em que por tradição crer; simplesmente por que foi passivo e inquestionador diante daquilo que pareceu a sua mente racional ou razoavel. Mas podemos crer, também por que decidimos crer, ora a decisão é diferente de ser levado passivamente a crer; pois quando falo aqui em decidir, falo de você que estando de posse da verdade, tem o poder de lúcida e inteligentemente crer ou não, sabendo até mesmo no que implicará a sua escolha, e não digo de você de uma forma passiva e impulsiva crer.

Por que alguém decide crer(racional, lúcida e inteligentemente)?

Por que ele tem uma necessidade disso.
Quando é necessário crer e o indivíduo vê que não existe outra opção, ou ele crer para mudar ou não para continuar como esta e piorar. Então essa necessidade de crer ou quando crer se faz necessário, indispensável para alguém, então ele decide crer.
Em Marcos 9. 14-27, vemos a história de um pai, de um jovem possesso de espírito maligno, desde a sua infância. A tradição (não a Bíblia) nos conta que; ele já havia o levado em todos os entendidos, médicos, curandeiros, raizeiros que existiam na época, havia conferido toda a ciência e todo o conhecimento que as pessoas lhe havia assegurado que poderiam curá-lo. Agora a Bíblia nos assegura(não a tradição), que este homem veio a se encontrar com Jesus, já desiludido com tudo e todos, e recebe a seguinte declaração dele.
"Se tu podes.Tudo é possível ao que crer".
Ele poderia continuar como tava, verdadeiramente ele não conseguia mais crer, nem em Jesus.
"Eu creio, ajuda-me a vencer a minha falta de fé".
No entanto vemos neste episódio como a fé era indispensável para ele, o que acontece é que ele estava incapacitado. Mas, sobre a fé, tenho dito que elá é uma capacidade(Faculdade da vontade) e como todas ela falha, assim como a memória o intelecto, que são capacidades da mente. Mas, mesmo incapacitado, ele via e entendia, muito bem, que sem fé ele não conseguiria nada. No entanto teve fé pelo menos para pedir fé e ajuda da parte de Deus, o qual curou o seu filho e restaurou a sua fé.

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...