TRADUTOR

sábado, 5 de novembro de 2016

Fé convicta e fé inconvicta


Nesta reflexão falo de fé de uma forma universal, como sinônimo de confiança. Neste sentido há dois tipos fé a intelectual ou nominal(que não é fé de verdade, apenas se resume a uma confissão vazia) e a fé de coração. Mas, explorando a fé de coração, digo que existe a fé que é por convicção e a que não é; e sobre a fé convicta (por convicção) podemos diferenciar entre a que é enganada e a que não é; e que da fé que não é por convicção(inconvicta) podemos diferenciar a que é por tradição e a que não é.
I.                    Fé convicta é a fé estabelecida em certezas. “A fé vem pelo ouvir e o ouvir a palavra de Deus”.Esta é a fé inabalável do Salmo 125, é a fé que a pessoa tem, ou seja confia, crê, porque tem certeza dentro de si em quem ou que está confiando, tem certeza da veracidade, induvitabilidade( não sendo duvidável) da verdade ou aparente verdade filosófica, teológica, ou existencial, etç... em que crê. Hebreus 11.1 diz que a fé genuína, é a certeza( ou convicção) das coisas que se esperam. Logo fé convicta é que é a verdadeira fé.

1.    Portanto quando a fé convicta está fundamentada em preconceitos, em supostas verdades(sendo mentiras), como por exemplo a existência de seres mágicos(duendes, fadas, sacis), ou mesmo seres extraterrestres, sabemos pela palavra de Deus que os demônios tem o poder de tomar a forma de algo ou alguém para enganar. Para essa pessoa desconhecedora da palavra de Deus, que tem um ou outro encontro com seres assim, a fé na existência desses seres é inquestionável. Porque não podemos crer naquilo de que não temos conhecimento. O relacionamento das pessoas com estes supostos deuses e seres místicos, fazem os ter certeza da existência e do poder de tais seres, e esta fé é convicta até que o conhecimento a respeito destes deuses e seres místicos seja confrontado e posto em questionamento. E digo esta fé continuara intacta até que uma verdade maior seja revelada, até que uma verdade diferente a respeito das supostas “verdades” que costumeiramente esta pessoa tem ouvido e que com as mesmas ela tem sido guiada (ou mesmo manipulada) até aquele exato momento. Pois aquela verdade maior e oposta as outras, transformará ou revelará que as outras são na verdade mentiras. Pois a razão só aceita verdades e só aceitara uma mentira se ela estiver com aparência de verdade, mas esta mentira só permanecerá até que uma verdade lance sua luz sobre ela e a revele como mentira. E ai a razão a rejeitará. A razão é a faculdade intuitiva do intelecto que vê e defende as verdades ( neste caso há uma diferença entre verdades puras da razão e verdades da sensação, quando falo que a razão está vendo uma mentira como verdade, estou dizendo de verdades que a sensação ou os sentidos mostram a razão, não são verdades puras da razão, ou seja que a razão enxerga com seus próprios olhos ).
Este tipo de fé que estou falando é convicta, mas, é enganada. As pessoas podem crer profundamente numa mentira pensando ser ela verdade, e a vão defender com argumentos e raciocínios lógicos, perante alguém que a ouse questionar. Mas, o dia em que uma verdade revelar a razão, que está verdade é uma mentira, então a pessoa deixara de crer nestas verdades e se por ventura ela continuar a crer nelas, sua fé não será mais por convicção, mas será abalada e dividida. Permanecerá firme até que um questionamento invada a sua mente ou alguém a questione estará inseguro ou achara não existir verdades absolutas, e que a sua fé é como a de todo o mundo, e que as pessoas tem que ter fé, que a fé é poderosa, mas, que não há verdades absolutas, mas, apenas relativas. Pensará que a verdade depende da fé pra se tornar uma verdade para uma pessoa em particular, dependendo assim do ponto de vista de que a enxergo, e que se eu não creio será uma mentira, ou se eu ver de outro ângulo será uma mentira.Mas, a verdade não depende da fé para ser verdade. E se é exigido crer numa mentira para que ela se torne verdade para mim, eu poderei estar iludido, mas, a mentira continuara a ser mentira. O pensamento de que depende da forma como eu vejo, ou o ângulo que eu olho, é apenas uma forma de aceitar a mentira, uma forma de cultivar o orgulho. Por acaso isto fará com que eu mude a mentira fazendo a ser verdade?
Há na realidade somente um tipo de verdade relativa, e é a verdade que esta relacionada com o ponto de vista, e esta verdade não pode ser uma mentira se mudar o ponto de vista, pois é uma verdade incompleta, parcial ou em crescimento de perspectiva, o que eu quero dizer com isso? Como no exemplo de um acidente de carro, visto por varias pessoas, cada uma olhando o de um ângulo diferente. Ao serem entrevistados cada um vai descrever o fato de acordo com o ângulo de sua visão, isso é a verdade relativa, ela é parcial ou descrita da acordo com a perspectiva de cada pessoa, e pode crescer de acordo com o crescimento da perspectiva de cada um, o fato este é a verdade absoluta, ela não cresce e não se altera, pois é a essência da realidade, ela é o fato em si não a descrição segundo uma ótica particular.
Muitos até dizem, ou seja, argumentam: “Antigamente pensávamos que o sol girava em torno da terra, hoje descobrimos que é a terra que gira em torno do sol; pensávamos que o giro ou a orbita era circular, hoje se vê que também não é bem assim”. Mas, também se pode dizer a respeito disso, que cremos no que conhecemos e a medida que aprofundamos nesse conhecimento ou no seu aperfeiçoamento também ampliamos e aperfeiçoamos a nossa fé. Porque não temos todo o conhecimento a respeito de algo. Com respeito as supostas verdades  relativas( que na verdade são mentiras, pois uma verdade não pode deixar de ser verdade, se o ponto de vista mudar), o que se pode dizer é: “O que se pensava era apenas o que se pensava, mas não o que se tinha certeza, e se é que se tinha certeza de alguma coisa estávamos enganados.” Mas, a respeito das verdades absolutas e das verdadeiras verdades relativas assim, como eu já as tenho exposto, posso dizer que todo o conhecimento que evidencia uma verdade, não a abole, e todo o conhecimento que se opõem a ela  se enfraquece a si mesmo; e toda a dúvida a respeito dela se subtrai.Há aqueles que não confiam na existência de verdades absolutas, mas, independente da opinião pessoal, as verdades absolutas existem, se assim não  fora, o homem não estaria em busca da verdade, e poderia apenas aceitar uma mentira como verdade, como assim muitos o fazem.
2.       Mas quando a fé convicta esta fundamentada em verdades reais, ou seja quando não está enganada, esta é a fé do Salmo 125, que podemos chamar de fé inabalável. Ela é aquela que está fundamentada numa verdade real, numa verdade que seja como o ouro mais puro, e como o dia em que o sol está mais forte, ela não se opõem  a outras verdades como ela. E se opõem a uma “verdade”, é porque não é uma verdade e sim uma mentira, e essas mentiras com aparência de verdade, são formadas de preconceitos, de conclusões, afirmações e observações equivocadas, de parcialidades de visões limitadas a certo contexto cultural, social ideológico e de informações bem limitadas e míopes. Digo que possuem aparência é porque devido seu desenvolvimento e argumento lógico, esta mentira complexa ilude o seu receptor convencendo-o de ser verdade, ou parecendo, mas, a verdade não se anula diante da luz, ou do esclarecimento.
Por fé inabalável, não descrevo um mito, na verdade não se pode abalar a fé em Deus, quando ela é segundo as escrituras, pois na verdade foi isso, que Jesus disse: “quem crer em mim, como diz as escrituras, rios de água viva fluíram do seu ventre”João 7.37,38.

II.                  Mas, também há a fé que não é por convicção. Esta é a fé cega, que não possui certeza. Tem se um mito na religião e na ciência, que diz que toda a fé é contrária a razão, mas, quem crer em alguém deve por consequência crer nas verdades por ele afirmadas, e isso não é fundamentar-se na ilógica e sim na lógica da razão.
1.       Fé por tradição: É possível crer por tradição e isso ser de coração?Quando é que creio de coração? Creio de coração quando a minha fé produz obras(que são os aspecto físico da esperança).Quando aceito a crença ou ideologia popular em alguém; crença esta aceita pelo meu grupo social; e me ponho a exercê-la e andar segundo a mesma. Por exemplo; se moro numa nação onde o budismo é forte, ou se trabalho num lugar onde todos são, ou se meus pais e ou amigos são budistas. Então aceito a crença deles e passo a andar como eles andam e a professar os ensinamentos de Buda, então isso é crer de coração por tradição. Esse tipo de fé é uma fé que não pode ser questionada; pois se o for ela cai, ou deixa de ser de coração e passa a ser apenas nominal intelectual. Pois não é por convicção, quando você crer ou aceita algo sobre uma pessoa apenas porque o meio em que você vive aceita; por que a fé convicta, é de alguém que tem certeza a respeito de quem ou do que tem crido. Tem certeza daquilo que o levou a crer, de que é ou não digno de confiança e porque é digno de confiança, e do porque é digno de confiança. Por exemplo: Eu tenho a certeza de que Deus existe, de que a evidência mostrada pela natureza a respeito de sua existência e seu grande poder bem como a experiência pessoal que aquele que se chega a Deus adquire da pessoa dele, me levaram a crer nele. De que essa verdade tem se mostrado digna de confiança e não consigo achar motivos fortes e justos, e fieis o suficiente para rejeitá-la. Agora é possível crer ou confiar de coração por tradição? Não sendo por convicção?Será que esta fé não é apenas intelectual?Ela vai durar, ou seja, ser de coração até o dia em que for questionada; no caso da fé convicta enganada, precisará de que outra verdade lance luz sobre a mentira e a desmascare. Nesse caso é diferente, da fé por tradição, é diferente está fé é muito frágil não resistira ao questionamento, por que não tem bases para se firmar, é como o homem que constrói a sua casa sobre a areia (Mateus 7.24-27).A fé que é convicta mas enganada, resistira ao questionamento mantendo-se apegada a mentira te que ela seja desmascarada e se revele como  ela é, uma mentira.
Como confiar em alguém de coração não sendo por convicção?Eu posso nascer confiando, porque vejo que todos ao meu lado confiam; ou eu posso ser levado pela voz da maioria. A fé que não é por convicção é a fé que não tem certeza de quem ou o que é levado a confiar.Você confia por tradição quando não tem motivos para desconfiar, não tendo motivos para rejeitar a fé tradicional, quando não tem certeza como motivo para confiar, tendo apenas a influência da tradição como motivo para confiar. A pessoa confia de coração quando está fé produz esperança; e quando confio por tradição é a minha fé na tradição ou a minha fé tradicional, me levando esperançosamente ou em esperança a fazer algo; porque não tenho motivos para e sou influenciado pela tradição (por sua beleza, ou aparente alegria e outras influencias da tradição) a confiar, então somente então, o farei de coração. Porque quando é que uma criança que nunca foi paralítica, e é saudável; questionou a sua capacidade de andar? Ou desconfiou da resistência de suas pernas, para que andasse? Porque se vier a desconfiar, não andará com medo de cair, até que lembre que suas pernas são fortes e saudáveis e tenha certeza disso. Assim também como no caso das pernas, é a fé por tradição e não por convicção.
2.       Fé inconvicta que não é por tradição. Para se confiar, basicamente precisa-se da decisão, e para se decidir confiar seriamente, ou seja, de coração deve-se não ter motivos para dúvidas e desconfiança. Mas, a fé inconvicta que não é por tradição pode ser uma fé de coração? Existe tal fé?Que motivos podem ser o desta fé?O que é esta fé?A fé inconvicta é a fé que não pode ser questionada porque cai e fraqueja, não necessariamente ou exclusivamente é tradicional; mas, sempre que não for convicta. A fé verdadeira leva a pessoa a viver seguro de descansado na fé, ou seja, naquilo que crer ou em quem crer. E leva a esperança.  A tradição são costumes, crendices, e filosofias cultivados, por um seleto grupo, ou pela maioria. Há pessoas que são fascinadas por algo ou em algo, Israel era fascinado pelo estilo de culto e adoração do povo gentil a seus deuses, isso era porta psicológica para que eles se tornassem adoradores de falsos deuses. Igualmente as tradições exercem fascínio sobre algumas pessoas e as atraem com as cordas do fascínio, e estas pessoas creem nisto que exerce esse fascínio, esse domínio espírito-mental (espiritual e mental), sem nada questionar sem pensar e raciocinar, este é o poder da tradição. Deus não quer escravos, ele não quer cego, ele não quer uma fé nele que seja tal. Agora há pessoas que creem no que é diferente, no que é contrária a tradição, não sendo, porém está fé segundo a razão, que creem no que é aparente, que tem uma aparência de bom de confiável, que transmite confiança. Digo toda a fé que não poder ser questionada, ou seja, que não resistir a um questionamento não é uma fé convicta. E que toda a fé convicta inabalável, é baseada em verdades reais, o que é o contrário da outra a abalável ou enganada que se baseia em verdades irreais (ou seja, verdades “relativas”, segundo a visão, que algo pode ser ou não verdade de acordo com o seu ponto de vista, pois de certo, algo que deixa de ser verdade dependendo de sua relação, é algo que nunca foi verdade, pois a verdade natureza da verdade é imutável).Agora a fé inconvicta, não está baseada em convicções, antes crer sem exigir algo sólido, apenas crer como neste caso, tendo como motivo a aparência de algo que inspire confiança, ou que este algo é diferente; não tendo motivos para dúvidas estará disposto a confiar. É como alguém que entrega tudo ao seu mordomo pela primeira vez, não tendo feito isto antes, e sai confiando na fidelidade dele, sem antes atesta-la.
3.       Fé  inconvicta e fé convicta enganada. A diferença entre a fé convicta enganada e a inconvicta; é que a convicta enganada está fundamentada ou baseada em provas ou evidências a respeito da verdade em que crer(verdades sobre a verdade), e a inconvicta não tem bases ou evidencias, a pessoa aceita-a quando vem a mente, a luz de sua primeira compreensão; sem antes procurar a confirmação daquilo. Procurar saber se é verdadeiramente assim, ter a convicção, a certeza disto. Há os que têm medo por pensar que hão de se tornar incrédulos, porque seus raciocínios irão deduzir que aquilo não é verdade. Então permanecerão no engano?Você só rejeitara a verdade se rejeita outra verdade relacionada a ela. Por exemplo: Você não poderá crer que Jesus pode te curar se antes rejeitou ou rejeita que Jesus é o Filho de Deus e que ele pode te salvar. Ou seja, rejeitara a verdade, se rejeita uma verdade maior sobre a qual ela é submissa, sobre a qual ela esta fundamentada ou relacionada, da qual ela advém, que concorde. Porque concorde ou advém dela? Porque pode ser uma mentira a respeito desta verdade maior; ou pode ser uma verdade a respeito desta “suposta verdade maior”, que na verdade não é uma verdade maior...                                                                                                                                                         O meu pensar me levara a rejeitar certa verdade, se em mim rejeito outra verdade que concorde com ela, da qual ela advém, ou se submete. E se eu nunca ouvira falar de Jesus e ouço pela primeira vez?Ai vem que o evangelho é uma verdade espiritual, revelada primeiramente ao homem primeiramente pelo Espírito Santo, “todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim” João 6.43-47; um revelação consciente e ou inconsciente; após esta revelação o intelecto do homem fica receptível a palavra de Deus e se o homem aceita estas verdades, pregada-lhes pelo pregador e explicada a alma pelo Espírito Santo. A compreensão que ele tem dada pelo Espírito se fortificara pelas evidencias também concedidas pelo Espírito a ele no decorrer de sua vida, e a sua fé será inabalável e convicta. E de novo pergunto, mas, está fé, não é a luz de sua primeira e imperfeita compreensão? É a luz de sua primeira compreensão, mas, também a luz de evidencias indubitável concedida pelo Espírito. E digo mais, o Espírito Santo não deixa a compreensão das verdades do evangelho continue na mente do crente como estão, mas, está sempre ampliando ao conceder a razão, “muitas e infalíveis provas”. (Atos 1.3). Portanto a fé genuína no evangelho não pode ser considerada inconvicta, e se em algum momento foi abalável(enganada) por estar fundamentada em preconceitos, supostas verdades, mentiras, digo que a luz de um desejo sincero por conhecer mais de Jesus, o Espírito Santo a seu tempo quando a mente o coração(vontade) estão preparados, substitui as supostas verdades, por verdades reais, ou seja as mentiras por verdades.

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...