TRADUTOR

quinta-feira, 26 de março de 2015

Táticas do espírito do Anticristo. Parte 13

13°. Tornando o cristianismo ortodoxo o inimigo.

Não estou me referindo a denominação cristã de nome " Igreja Católica Ortodoxa "; por ortodoxo estou me referindo a genuíno, verdadeiro, autêntico. Estou me referindo a uma qualidade que distingue o cristão que é Igreja do Deus Vivo, daquele que é apenas um membro de uma instituição cristã. Agora quando amplio, digo não apenas sobre o " cristão ortodoxo", mas, sobre o cristianismo ortodoxo, me refiro a um grupo de cristãos classificados de forma pejorativa pelas correntes ideológicas do mundo atual como "fundamentalistas". E porque fundamentalistas? Porque agem tendo o fundamento da palavra de Deus. E não apenas isso, mas, porque tem este fundamento como, inquestionável, essencial para orientação de fé e vida, verdade absoluta e imutável, resposta para as perguntas mais importantes da humanidade.
Com isso se dividiu o cristianismo em duas correntes a ortodoxa (fundamentalistas) e a nominal ( progressista e pós-moderna). Mas o sutil opositor, não procura ir apenas contra os ortodoxos, mas, procura vencê-los primeiro porque estes é que são as ultimas colunas ainda erguidas, ou que pela fé no cordeiro se mantem de pé( João 1.29,36/Apocalipse 7.14).
O anglicanismo, o presbitarianismo já em algumas nações tem abandonado os fundamentos doutrinários de sua fé, em troca de membrezia e prestígio do mundo, sucumbido as pressões desta ímpia sociedade. Acontece que o ardor do inimigo de nossas almas, não se acalma e não se farta, ele procura fazer cair a todos e aqueles que como Mardoqueu não se curvam ele já os tem marcado aos olhos do mundo e das denominações corruptas, como os inimigos da paz.Estes são postos aos olhos do povo como aqueles que destilam ódio em seus discursos, que promovem a homofobia, o machismo, a intolerancia religiosa. Não estam se referindo a mulçumanos, ou outra religião, e sim a cristãos. Eles assim nos reputam e a todo que zela pela palavra de Deus, ainda que isso seja mentira, e é mentira, mesmo assim o nosso opositor o espírito do Anticristo, assim tem agido, colocando os maus como bons e os bons como maus.
Não estou falando de uma perseguição como os mulçumanos e os indus fazem aos cristãos nos países onde estes( os indus e os mulçumanos) são a maioria. Nem mesmo estou falando de perseguição. Pois quando a perseguição vier vira até mesmo sobre aqueles que acham que porque negociaram os seus valores e passarem para o lado dos "politicamente correto" serão poupados. Porque se você é cristão você já trás consigo o rótulo como aconteceu com Pedro, " vejo que você é um deles, pois também é galileu."( Marcos 14.70  ) Mas quando falo, estou me referindo a mentalidade do inferno, que distorce a nossa mensagem santa e pacífica aos ouvidos do mundo, alegando que o evangelho é na verdade um discurso de incitação ao ódio.
Você pode estar agora numa encruzilhada da fé e se pergunta, quem está certo? Pois uma técnica muito usada para confundir a opinião, é apelar para a emoção. A pessoa vem e coloca os sentimentos sobre a mesa e procura conquistar os corações passando a mensagem de que ele é um coitado, e as pessoas comovidas com seu discurso apelativo deixam a sua racionalidade se subjugar a emoção, e então são convencidas. Não quero apelar para a emoção, não somos coitados, pois o ódio do mundo é a certeza do amor do pai, agora o amor e a simpatia do mundo é a nossa confusão e desgraça eterna. Deixo a você a sua conclusão, mas, não deixarei de expor a minha. Esta é uma questão sobre a tática satânica na qual o maligno procura, tornar aos olhos do mundo os cristãos ortodoxos os verdadeiros cristãos, como inimigos. Lembro da passagem onde tentou usar contra Elias esta tática, acusando-o de "perturbador de Israel", quando na verdade era com as suas práticas que Acabe e Israel traziam perturbação sobre si próprio( 1Reis 18.17,18).
E porque eles e não todos os cristãos?

1. Porque estes não negociam os seus princípios, os outros como Acabe já se venderam para o mundo (1Reis 21. 25,26).
Princípios são leis de necessidades, leis tão essências, que o negociar deles é o comprometimento de uma vida, ou seja lá o que for a quê este princípio esteja ligado. Sendo em referência ao cristianismo, os princípios são as bases os fundamentos doutrinários da nossa fé. Por princípios também entendo como aquilo que vem primeiro, e sob o qual toda a cristandade, está fundamentada, construída, uma casa sobre a rocha. Jesus e o seu evangelho é o principal principio, depois a doutrina dos apostolos e profetas ( Efésios 2.20,22/ Colossenses 2.7/Atos 2.42). Qualquer ensino que vem depois não deve os contradizer (Gálatas 1.6-9).

2. Porque estes não amaram o mundo.
O que é amar o mundo afinal? É amar esta vida, seus prazeres passageiros e momentaneos, mais do que a Deus.E porque mais do que a Deus? Porque não estão dispostos a sacrificar a sua vida por Deus, mas, estão sempre a abdicar de seus princípios, seus valores e seu amor a Deus, por causa do mundo, são bem parecidos com os corações simbolizados pela semente que caiu sobre pedregais e a que cresceu entre espinhos( Mateus 13.20-22).
*"A que caiu sobre pedregais". Estes são pessoas de pouca duração e de pouca resistência na fé. São ótimos crentes, mas, que assim como " ovo de pele", estouram a primeira alfinetada.
* "A que cresceu entre os espinhos". São corações cheios e sobre carregados com os cuidados desta vida, iludidos pelo engano das riquezas, e viseirado pelas ambições mundanas. Sendo assim a palavra de Deus não encontra meios para crescer e frutificar nesta vida ou morre antes( o que na maioria das vezes acontece) ou dão frutos defeituosos.(  Lucas 8.14 Almeida)
*Semelhante a estes aqueles que se dizem, "cristãos progressistas", ou " emergentes", ou seja lá o título que a eles queira se dar, ou mesmo muitas antigas e respeitadas denominações históricas, tem sido de fé fraca e muitas vezes já não a possui, são apenas cascas nominais. Tem sido também cheios dos cuidados desta vida, estão tropeçando na sedutora e enganosa riqueza ( graças a praga denominada "teologia da prosperidade"), e conduzidos pelo triunfalismo às ambições viseirantes ( viseira é um instrumento usado no olho dos cavalos de charretes, para impedir que os mesmos olhem para o lado, assim facilitando ao condutor lhes mostrar a direção que ele deseja que o animal vá).
Há três coisas no mundo( neste viver pecaminoso), as quais tendenciosamente quem ama o mundo as ama também, estas são relacionadas pelo apóstolo João (I João 2.16).
* "A concupiscência (cobiça) da carne."
Quem ama o mundo sempre estará preso a sentimentos escravisadores, a ansiar aquilo que os homens caídos desejam. A tentação não será uma tentação e sim um estímulo. Tudo isto por causa dos espinhos, as "ambições doutras coisas" e as " seduções das riquezas "( Marcos 4.19), os enlaçaram em muitas concupiscências das quais por amar o mundo geraram dificuldades em larga-las.
* "A concupiscência ( cobiça) dos olhos."
Quem ama o mundo, ama aquilo que é aparente. Suas escolhas sempre serão contaminadas pela concupiscências dos olhos.
* " E a soberba (ostentação, orgulho) da vida."
João percebeu um fato, que os que amam esta vida são cheios de orgulho, que a soberba e não a humildade é a marca ou legado do homem caído. Fazem escolhas guiados e inspirados pela arrogância, seus caminhos só agradam em uma observação mais apurada a si próprios, isso é egoismo outro legado seus.
 E como isto tudo que tenho falado, tem a ver com os cristãos nominais deste século? Analisemos a nós mesmos, nossos templos, nossas doutrinas mais difundidas e apreciadas, nossas denominações, os exemplos que temos dado ao mundo. E vejamos se não há "concupiscência dos olhos, da carne, soberba da vida, cuidados da vida, sedução das riquezas, ambições doutras coisas".

3. Porque amaram a Jesus acima deles mesmos.

"Mas qualquer cristãos ama a Jesus". Alguém pode dizer. Mas, os frutos denunciam se o amam verdadeiramente ou não. Jesus disse:
"Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim." (Mateus 10.37,38)
As palavras que eu gostaria de tomar neste versículo é, "não é digno de mim". Porque quem não está disposto a sacrificar tudo, até a própria vida pela causa do evangelho, que é a mesma causa de Jesus, não é digno d'Ele. Jesus mesmo disse: "...a minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou." ( João 4.34). A satisfação d'Ele era fazer a vontade do Pai, e fazer a vontade de Jesus deve ser a nossa realização. Se é que o amamos verdadeiramente.
O cristãos fundamentalista, cujos fundamentos são a palavra de Deus, não as palavra de homens corruptos de coração e entendimento que distorce a Bíblia para própria conveniência( 2 Pedro 3.15,16), este cristão ama realmente a Jesus, e não apenas de palavra ou de um sentimento que o toma no momento da adoração, mas, também em obras e vida. Pois não há como você dizer que ama a Jesus e contrariar a sua vontade e a sua palavra a todo o tempo. Respondeu  Jesus: "Se alguém me ama, guardará a minha palavra. Meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos nele morada. Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. Estas palavras que vocês estão ouvindo não são minhas; são de meu Pai que me enviou. ( João 14.23,24)
Considero fundamento cristão apenas a Bíblia, em sua interpretação sã, ou seja sem contaminações ideológicas, no sentido literal dentro do contexto e da proposta de cada livro que a compõe, sem interpretação de textos isolados. Isso de uma forma ampla, mas, duma forma mais restrita e objetiva, considero fundamento cristão,a Jesus, a sua palavra, e a doutrina dos apóstolos.
Outra coisa não considero um cristão fundamentalista bíblico, só porque tem conceitos fundamentalistas. Mas considero um cristão fundamentalista aquele que não apenas conhece, mas, vive os fundamentos da fé cristã. Pois a minha defesa neste texto não é a hipocrisia e sim a sinceridade de vida.

Concluindo se você ama a Jesus, não só de palavras mas, em espirito e em verdade( João 4.23) o adora e ama; se você não ama o mundo, nem abre mãos dos princípios e valores cristãos por causa das pressões e clamores do mundo. Então você é um alvo do ódio do mundo( João 15.20), assim como Jesus foi, não espere a simpatia deles. Mas ame as pessoas para salvá-las, não para se perder do caminho com elas.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Táticas do espírito do Anticristo. Parte 12.

12° Substituição encoberta do Cristo verdadeiro pelo Cristo Falso nos movimentos cristãos.

Um coisa é certa quando o Anticristo vier, muitos ficaram admirados e confundidos, pois ele satisfará a idéia de Cristo que o mundo espera e deseja. Enquanto isso não acontece, o espírito do Anticristo vem tirando de muitos movimentos cristãos o verdadeiro Jesus Cristo e o substituindo por um falso. Ele tem procurado tirar Cristo do cristianismo, não da igreja porque está é o corpo de Cristo. O corpo sem a cabeça está morto. Mas, está é a sua real intenção, tirando o Cristo verdadeiro do cristianismo vir com isso a atingir o corpo de Cristo que é a igreja.  E como isso tem si dado? É o que vamos estar abordando nesta reflexão.
 Já notava eu que o natal de Jesus já não existe em algumas denominações, porque alegam que Jesus não nasceu em 25 de dezembro. E eu concordo, Ele não nasceu mesmo nesta data. Mas, quando é então que Ele nasceu? Se não sabemos com precisão então porque não comemorar nesta data mesmo? E porque não podemos, e não comemoramos então? Não esqueçam do que já tenho dito; " o espírito do Anticristo, ele ataca por todos os lados." Pois o natal do mundo já substituiu a figura de Jesus pela do Papai Noel há muito tempo, assim como na Páscoa substituíram Jesus pelo Coelho da Pascoa. E da mesma forma seguindo o caminho do mundo muitos movimentos cristãos o tem feito. Há a desculpa de ser dia de festa pagã, mas, será que os cristãos o fazem por motivo pagão? Se o fizermos como o mundo faz, só pra agradar a carne, ai sim posso concordar. Mas a igreja é que tem o compromisso com o evangelho, em dizer que Jesus veio e nasceu (natal) e viveu como homem a fim de nos dar o exemplo, e depois morreu para remissão dos nossos pecados e ressuscitou para nossa salvação e esperança da vida eterna ( páscoa). E estas datas, que ainda são comemoradas, mesmo que de forma errada, são para nós igreja ferramentas muito importantes na propagação do evangelho. E o que fazemos com elas? As estamos entregando nas mãos do opositor. É por isso que vamos abordar sobre como se da este fato e de que maneira o opositor tem tirado Jesus e introduzido um usurpador no lugar.
A). Exaltando a visão particular de cada denominação.
Muita das vezes a denominação cristã através de seus dogmas, e costumes acabam por o incutir em seus membros uma visão equivocada de Jesus. Esta visão entra em contramão a visão bíblica a qual é a única visão certa da pessoa de Jesus. Qualquer visão extra precisa passar pelo crivo da palavra de Deus, não contradizendo a mesma então pode ser aceita, mas, se vier a apresentar alguma oposição deve ser descartada. Não se pode forçar uma interpretação ou tentar adequar de alguma forma a visão bíblica a nossa visão.
Por isso o  opositor procura exaltar esta visão em detrimento a bíblica. Por que esta é uma visão falha de um Cristo falho. O Cristo da denominação pode ser e é dependendo da visão da denominação.
1. Legalista. Denominações legalistas, que primam pela observância de muitas tradições e usos baseando-os em sua maioria em textos isolados da Bíblia ou em interpretações forçadas da mesma, transmitem uma imagem de um Cristo também assim. O Cristo do legalismo ele se preocupa com essas observâncias mais do que com o amor ao próximo e dedica-se a disciplinar e excluir ao invés de salvar.
2. Avarento. Igrejas cujo foco é a vida financeira de seus membros, mostram um Cristo bem capitalista e materialista. Um Jesus que constrói templos suntuosos e de pura vaidade como o templo de "Salomão" construído pela denominação "Igreja Universal do reino de Deus", que extorqui o bolso dos fiéis não pra sustentar os necessitados, mas, para alimentar a ganância dos " exploradores da fé ". Esse Jesus desentoa com o bíblico, Jesus reconheceu a possibilidade do rico que não deposita sua fé nas riquezas de se salvar, mas, insentivou seus seguidores a ter um tesouro no céu onde o ladrão não rouba nem a traça come. "Vendam o que têm e dêem esmolas. Façam para vocês bolsas que não se gastem com o tempo, um tesouro nos céus que não se acabe, onde ladrão algum chega perto e nenhuma traça destrói" ( Lucas 12.33).
3. Ecumênico. A bandeira do ecumenismo nunca foi realmente a união das denominações cristãs, e sim das religiões. A denominação cristã que segue essa bandeira tem que admitir que "todos os caminhos levam a Deus" e por consequência que Buda, Alá, Jesus e outros nomes são todos nomes de um mesmo Deus. Logo o Jesus dessa igreja é um mentiroso, por que ele sai por ai condenando as pessoas através de suas religiões e de seus diversos nomes, é também um cara confuso pois ao mesmo tempo que ele diz algo no cristianismo, ele diz o contrário no espiritismo e no budismo.
4. Progressista. Progressismo é sinônimo de pós-modernidade. Uma denominação progressista defende as bandeira do politicamente correto, ou seja segue as correntes de pensamentos seculares. Nela todas as bandeiras humanistas tem o seu lugar, mesmo aquelas que são anti bíblicas.
Logo a imagem de um Jesus diferente do da Bíblia surge, ele não pode e não quer transformar as pessoas. Ele deseja que as pessoas se conforme com seu estado de miséria espiritual. Assim este falso Cristo é a cara de seu inspirador e não o Filho de Deus.
5. Denominacional e outros. É um Cristo que corresponde a visão ministerial, restrita e limitada da congregação. Isso digo para resumir, que o ambiente e as doutrinas, de uma denominação em particular podem e traduzem em muitas vezes uma visão errada e deturpada da pessoa de Jesus. E que o nosso inimigo fazendo uso disto procura doutrinar as pessoas fazendo as desejar, querer e imaginar um Cristo contrário ao verdadeiro Cristo de Deus, contrário ao Cristo da Bíblia. Não é a carne, nem o sangue que revela o verdadeiro Jesus e sim Deus o Pai(Mateus 16.16,17).
B). Exaltando a visão particular de cada pessoa.
Assim como cada denominação tem uma visão diferente de Jesus. Muitas pessoas também o tem. Muita das vezes temos uma visão parcial, incompleta de Jesus e isso é comum e normal, estamos num relacionamento com Deus e isto é feito de forma lenta e gradual. O problema não é a visão incompleta e sim a visão antibíblica. E é nesse foco que o opositor se esmera, exaltando ou seja, colocando ela como a certa acima da visão bíblica. Ele exalta a visão particular de cada um de Cristo, com isso ele relativiza a visão da pessoa de Jesus. E relativizando ele a desvaloriza.
Já vi um Cristo negro, coreano e conhecemos o mais famoso o europeu, mas, quando falo da visão particular de cada pessoa, falo de algo que vai além disso. Quando porém, vemos as pessoas que estão por traz destas representações de Cristo, percebemos então que há uma ideologia por trás de tudo isto.
O Jesus individual é manipulável, nunca contradiz a ninguém, é descartável a pessoa só o usa quando precisa do mesmo. Na maioria das vezes está visão particular de Cristo, parte do meio, é inspirada pelas ideologias predominantes e que mais influenciam a vida desta pessoa.Há Jesus marxista, Jesus niilista, Jesus espirita, e tem Jesus até mesmo na macumbaria africana, são fantoches das ideologias filosóficas e religiosas. Já falamos do Cristo denominacional, vamos refletir em ou na idéia de Cristo trazida por algumas correntes ideológicas.
1. Movimento negro.
Jesus não toma partido de nenhuma causa ideológica, por mais legítima que ela seja assim como a causa negra. Mas, nem tudo no movimento negro é legítimo, nem tudo é compatível com o evangelho, pois dentro dá idéia de consciência negra existe a determinação e preferência pelas religiões africanas e o culto aos seus deuses. Um Jesus do movimento negro concerteza é ecumênico e procura magia para ajudar seus eleitos. Isso é inconcebível ao evangelho genuíno.
2. Filosofia pós-moderna.
A visão de muitos filósofos sobre Jesus, trás uma idéia materialista, muitos vêem o como apenas um formador de opinião, um homem afrente de seu tempo um grande homem, mas, não como o Filho de Deus. Ja ouvi pensador dizer que Jesus era esquizofrênico, porque Ele falava com Deus e se dizia o Filho de Deus. Na filosofia pós-moderna não há lugar para o Cristo Filho do Deus vivo. Muitos cristãos não sabem, mas, quando vão contra a religião estam manifestando uma idéia enraizada de um filosofia pós-moderna de nome niilismo.
3. Progressismo.
Para movimentos como o gay, o feminista e o ateísta, o grande vilão é o fundamentalismo cristão, pois o mesmo depõem contra o " progresso ". Para os mesmos na época e no século em que estamos vivendo, os valores, princípios e doutrinas cristãs são uma pedra de tropesso a felicidade e as realizações das pessoas. Com isso alguns cristãos doutrinados por eles trazem consigo a visão de um Jesus que não deseja um novo nascimento, mas, que para o mesmo tudo esta bem assim como está, ele só pede para as pessoas não serem alcoólatras porque a sociedade assim o deseja também. O Jesus destes jamais ensinou a Nicodemos sobre o nascer de novo ( João 3. 1-21).
4. Espiritismo.
O espiritismo vê Jesus como um ser iluminado, aperfeiçoado e um espírito de luz. Eles não o vêem como o Filho do Deus vivo.
5. Islamismo.
 Para estes Jesus foi apenas um profeta. O Alá deles não é trino, portanto Jesus ta na mesma categoria ou até abaixo de Maomé.
C). Desprezando a visão bíblica.
O espírito do Anticristo já incutiu na cabeça de muitos que a palavra de Deus é um livro ultrapassado, fonte de discursos de ódio contra gays, negros e mulheres. Na idade média ele usou do catolicismo para proibir a bíblia aos leitores leigos e fora do clero. Assim hoje ele procura promover um crescente desprezo pela Bíblia , pois ele sabe que somente a visão de Jesus nela revelada, que é poderosa para poder libertar e transformar os homens. Já ouvi falar em bibliolatria mas, nunca cri ser isto possível. Pois a Bíblia diz que Jesus é o verbo ( logos, palavra), que a palavra santifica, e são elas que de Jesus testificam ( João 1.1/17.17/ 5.39). Sem a visão de Jesus que a Bíblia oferece, ele apresenta ao mundo e aos crentes adúlteros sua própria visão de Jesus de acordo com a conveniência de cada um.
D). Retirando o do centro de nossas pregações, estudos.
Não estou dizendo que não se ouve falar em Jesus, mas, em muito do que se ouve é uma visão secularizada, e mesmo quando o ministro tem uma visão bíblica, o centro todavia da mensagem é cada vez menos a pessoa amada de Jesus. Pregações triunfalistas, mensagens de auto-ajuda, o foco mais centrado no ego humano que no evangelho. E acontece de a pregação ou o estudo até ser cristocêntrico, mas, o Jesus que esta no coração e na visão do pregador não ser o da Bíblia.
E). Retirando o do centro de nossas canções.
As canções mais famosas do meio evangélico são de cunho triunfalista, positivista, materialista e com Jesus em segundo plano, o nome de Jesus nem sempre é evidenciado, o centro delas é o homem, não Cristo.
F). Retirando o do centro de nossas reuniões e comemorações mais importantes.
Já no início desta reflexão disse sobre o que foi feito da páscoa e do natal. Quando falo "retirando-o do centro", é por que não é mais em nome de Jesus, e sim ou em nome da denominação, ou em nome do pastor, do cantor, ou do ministério fulano de tal.
G) Incentivando o antropocentrismo.
Canções triunfalistas, pregadores egocêntricos e ou bajuladores de crentes, denominações com lideres que reinam e passam o reino para seus filhos, convenções ministeriais que para não perderem seus fiéis e seus dízimos abrem mãos da sã doutrina, dos princípios imutáveis da Santa Palavra de Deus. Se é o homem quem está no centro então onde fica Jesus?
H) Incentivando o culto ao corpo.
Até mesmo a aparência aparece mais do que Jesus, para vergonha nossa. O homem em seu antropocentrismo tem passado a venerar o seu próprio corpo, ouve de pouco tempo para cá um estouro de academias de ginástica e musculação. Igrejas se tornaram vitrines de moda e sensualidade. Não que o homem não deva cuidar de seu corpo e sim que Jesus deve vir e ser sempre o centro de nossa vida. Que o nosso corpo é o templo de sua habitação, e não um deus a ser adorado, nem mesmo instrumento de sensualidade.
I). Um deus chamado fé.
Expressões tais como," o importante é ter fé ", " o poder da sugestão ", "tem que ter muita fé", revela que para alguns a fé é que é o mais importante que o quê faz alguma coisa não é Deu,e sim, a fé. É um ideal que esvazia o Deus verdadeiro de todo o poder, e coloca este poder nas mãos do homem, ou melhor da sua fé. Elege a fé pessoal como um " deus" do homem é o homem como um "deus".
Quando na verdade a fé é apenas confiança em quem pode e faz realmente alguma coisa. Deus não precisa no entanto dela, ele apenas a exige como condição para a benção.

Concluindo, o inimigo procura sempre tirar Jesus de nossos corações, tirando o nosso tempo para ele através dos cuidados e ansiedades da vida, através das ambições mundanas, e por meio de seus mensageiros entre o povo santo. Estes mensageiros espalham mentiras em nome de Deus, e proclamam um outro Cristo, um outro evangelho, e isso nem sempre é feito de forma consciente. E depois da praga espalhada é preciso esperar a colheita para não arrancar o trigo com o joio( Mateus 13.25-30,36-43).

sábado, 7 de março de 2015

Os que estão "a beira do caminho".

" Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. "Mateus 13:4

Este tipo de coração é o oposto do que é simbolizado pela "boa terra". A boa terra é um terreno preparado, arado, capinado, enquanto que " à beira do caminho " é um terreno pisado, socado é uma estrada, não uma roça. Este é o primeiro terreno listado por Jesus e entre este e a " boa terra há outros dois terrenos o pedregoso ( pedregais) e o " entre espinhos ", dos quatro terrenos este é o único que simboliza um coração que ouve, mas, não recebe a palavra. A parábola do semeador retrata a reação e a conduta das pessoas diante da exposição do evangelho. O evangelho é a notícia alegre da chegada do "Reino de Deus", anunciada por João e depois por Jesus e seus discípulos conforme registrado nos evangelhos. Até o momento que a pessoa não aceita a Jesus o reino a quem ele pertence é o reino do "príncipe deste mundo"( João 14.30/12.31) expressão que faz referência a Satanás. Embora o mundo físico esteja sobre o domínio do homem, todavia os homens estão sobre o domínio de Satanás, logo dominando o dominador ele domina sobre tudo a quem o dominador exerce seu domínio ou influência. Agora quando a pessoa aceita a Jesus, ele é resgatado do domínio de Satanás, comprado e pago pelo sangue de Jesus, assim sendo Satanás não mais tem legalidade sobre ele, o homem com Jesus esta livre do domínio de Satanás. A ele então é chegado e estabelecido sobre si um outro domínio, um outro reino, o "Reino de Deus". Não basta apenas você ser súdito do reino de Deus, você precisa buscar constantemente conhecer e experimentar as virtudes deste reino, porque as do outro ele já conhece. Então não é do interesse do "Maligno"(outro nome usado para designar o diabo), que a palavra de Deus encontre lugar em nosso coração. Se a pessoa despreza e ou não intende a mensagem do Reino, logo nisto ele vê a oportunidade de remover qualquer vestígio da palavra de Deus, para que o mesmo não possa voltar atrás.
Vamos então considerar os detalhes dados a nós por Jesus, concernentes a este coração.

1°."...parte dela caiu à beira do caminho,"

No canto da estrada ou de uma trilha, lugar de movimento de pessoas e animais. Este tipo de terreno é impróprio para o plantio, e a gente pode até questionar o porque de o semeador ter lançado parte de suas sementes ali. Poderia ter sido o vento, que empurrou as pequenas sementes para longe fazendo-as cair entre pedregais? Ou à beira do caminho? Ou ser o semeador alguém inexperiente, que não teve o devido cuidado de preparar a terra? Sim, de certo poderia! Mas, a parábola em si é apenas uma ilustração da pregação do evangelho do Reino de Deus, não é uma narração real de uma semeadura de sementes em terra. Porque a semente da parábola na verdade é o evangelho e os diferentes tipos de solos que a recebe são os corações humanos, que são diferentes, mas, não são como um solo de terra real, que a gente pode olhar com os nossos olhos carnais e saber como são. Nisto está também a justiça de Deus, que o próprio semeador é também humano, sendo assim ele não pode ver os corações e com isso a palavra é pregada a todos por igual, com o mesmo empenho, sem discriminação. Com isso perante o Altíssimo não há que se reclamar uma vez que todos tem oportunidades iguais, até mesmo aquele que está a beira do caminho.

2°"...foi pisada," "Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende,... "( Lucas 8.5/Mateus 13.19).

Este tipo de coração pode ser também caracterizado pelo desprezo a palavra de Deus, são pessoas que quando ouvem a palavra de Deus, não lhe dão atenção. A aqui posso entender então que há dois tipos de pessoas que não entendem e que por isso não conseguem receber a palavra.
Há os que não entendem por uma questão de discernimento, a causa pode ser que o expositor da mensagem evangelística não o faz com clareza a exposição da mesma. Mas o motivo pode ser a própria pessoa com uma mente conturbada, cheia de preocupações, com um coração aflito, sem conseguir com isso da a devida atenção a boa semente que lhe é lançada. Sendo assim, mesmo que ouça as palavras lhe serão ininteligíveis, ou seja incompreensíveis.
E às que desprezam. E porque a que despreza pode ser tido também como alguém que ouve mas não entende? Porque como você poderá entender algo que despreza antes mesmo de saber direito sobre o mesmo? Sobre o que se trata? Não entendem porque não dão atenção, ouvidos a palavra, pelo contrário estão com a mente tão cheias de pensamentos, ambições e outras coisas que ficam como solo rochoso, impenetráveis para a palavra de Deus.

3° "... e as aves do céu as comeram". "Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada. "( Lucas 8.5/Marcos 4:15)

As aves do céu são na parábola símbolos do maligno ou dos demônios emissários de Satanás. Como já dissemos, não é do interesse do "príncipe deste mundo", que as pessoas deixem de serem seus súditos, deixem de se submeterem aos seus poderes, passando a desfrutar do Reino de Deus. Assim quando a pessoa despreza a palavra de Deus, mesmo assim a semente permanece ali, mas, a atitude da pessoa é como um chão socado, rígido. Todavia o inimigo sabe que mesmo sendo o chão socado e rígido, porém ele não deixa de ser terra, a semente estando ali, conserteza ao lubrinar, vindo o orvalho, a terra ficara um pouquinho macia e a raiz surgiram da semente penetrando-a. Por isso ele não espera muito tempo, se a pessoa não deu crédito, ele trata logo de retirar a semente.
Mas, quais são os meios pelos quais ele faz isso? A Bíblia diz que ele faz de forma violenta, ele vem e "lhe arranca o que foi semeado em seu coração "( Mateus 13.19).
A). Escândalo. Promovendo um escândalo para por meio dele desacreditar o evangelho. O escândalo é um atentado contra a "boa fé" das pessoas. Para pessoa cujo coração está como o descrito no texto o escândalo varre do seu coração toda a chance que ele tinha de mais tarde poder remoer, meditar, trazer a memória aquela palavra. Pois tira o crédito daquela palavra para a pessoa que a ouviu, por a pessoa associar ela ao que a ministrou, a sua vida. Pois a pessoa passa a des credibilizar a palavra que ouviu daquela pessoa que se ela está envolvida naquele escândalo. E mesmo que a mesma não esteja envolvida no escândalo por ser ela cristã, o inimigo diz em seu coração que todos são "farinha do mesmo saco". O fato é que por a pessoa não ter crido no evangelho quando o ouviu, ela não experimentou o seu poder (as virtudes do Reino), sendo assim ela acredita mesmo na palavra do opositor.
B). O contra evangelho. Se a pessoa ouviu mas, não deixou que a palavra encontrasse lugar em seu coração, então vem o opositor e traz "o contra evangelho", diante desta exposição a pessoa tem qualquer vestígio do que ouviu sobre o evangelho sufocado. Sua visão para com os cristãos passa a ser crítica e pejorativa. O contra evangelho é o evangelho do  Anticristo, um monte de mentiras ideológicas que o inimigo fala e enche a cabeça da pessoa contra o bom evangelho, no intuito de sufocar a boa semente do coração do pecador, para que ela não brote, não consiga penetrar em sua alma. Em 2 Tessalonicenses 2.7,9-13, fala deste mistério da iniqüidade, descrevendo a ação de Satanás, nos corações daqueles que desprezaram o evangelho. É claro que o texto trata de algo que esta para acontecer, mas, a descrição do texto de como a operação do erro se da sobre a vida daquele que não da crédito ao evangelho, é a mesma forma como o inimigo já age hoje sobre a vida de quem não dá crédito. E de quem não  não entende por uma deficiência na explanação do pregador ou por estar com a cabeça muito cheia de coisas, ele o inimigo vem com sua mentira para impedir que ele venha a crer"...porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar.Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira,"...(  2 Tessalonicenses 2. 10,11)
 Ele seduz e engana, ele promove sinais de mentira, e estas pessoas crêem, depositam a fé em fábulas e em enganos do "príncipe deste mundo", que o mesmo "espirito do Anticristo."
C) Sedução e mentira. Com base ainda no texto acima de Tessalonicenses e no que já tenho dito até agora. Ele usa os próprios desejos e ambições da pessoa para impedir que aquela semente encontre algum meio para poder brotar naquele coração.
Ele seduz ou seja ele convence de forma persuasiva, retirando os olhos e a atenção da pessoa de forma que mesmo que ela ouça mas não consegue entender pois não consegue prestar atenção no que lhe é dito acerca de Jesus.
Ele mente, se a pessoa ouviu mas, não entendeu, ele traz a sua explicação. De forma a desvirtuar a palavra aplicada nele.

 Para concluir. Os tipos de corações aos quais Jesus se referiu não são estados permanentes da alma. Hoje uma boa terra pode ser o que ontem era a beira do caminho. Por isso não podemos desistir deles, nem mesmo dos corações que são como solo rochoso, ou entre espinhos. Não cabe a nós deixarmos de semear ou julgar o caráter do campo. O semeador de certo saiu de madrugada bem escura a semear, e lançou a sua semente sem olhar para o campo. Da mesma forma não somos capazes de ver o coração, só vemos a reação externa, que nem sempre é mostrada instantâneamente. No caso do coração como a beira do caminho, podemos perceber a sua reação, que no geral é a indiferença. Mas isto pode significar apenas um momento de sua vida.
Nesta reflexão disse sobre o que ocorre e o porque. Mas uma pessoa que não entende ou despreza o evangelho quando o ouve, poderá seguir ou não ( isso quem sabe é Deus) um longo caminho até ouvir novamente a palavra e pode ser que dessa vez ela encontre um meio de brotar antes que seja arrancada novamente. Pode ser que naquele mesmo dia ou semana ou mês ele ouça o evangelho de diversas formas, e caberá a ele deixar e pode ser que de uma destas vezes Satanás não consiga evitar que ele entenda a boa semente, mas, pode ser que já esteja bem contaminado pelo " contra evangelho ", e tenha dificuldades para aceitar a boa verdade.
E digo que quem ouvir a mensagem do evangelho várias vezes será feliz por ter estas oportunidades. Pois o príncipe deste mundo fara de tudo para que ele não tenha uma próxima vez. E muito mais feliz ainda será aquele que em meio a tantas oportunidades vier a aceitar a Jesus numa delas. Há pessoas que tem uma única vez.

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...