TRADUTOR

domingo, 12 de novembro de 2017

Unidade cristã

                             
João: 17. 21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. - Bíblia JFA Offline
A unidade é um tema que hoje tem sido mais subjetivado do que tratado como uma questão de necessidade. Ou quando o veem, o veem apenas no contexto denominacional. O que não é e nunca foi objetivo do mestre a ideia de partido denominacional. Agora no tocante a unidade da igreja local, isso deve ser considerado, mas,em que sentido deve ser considerado? Denominacional ou no contexto de toda a localidade?
Congrego numa cogregação  e no predio ao lado existe outra congregação de outra denominação, fica-me extranho passar e dizer: "A paz do Senhor!" Se eu não poder comungar com os mesmos. Já é uma falha nosso denominacionalismo, quanto mais o exclusivismo que temos nela. Alguns veem uma certa "união" nas igrejas, o que na verdade ainda não consegui ver, embora união não seja unidade, de certo até tem união, mas, é uma coisa muito diluída. Outros falam de "unidade no Espírito", mas, o que é a unidade no Espírito? E o que ela abrange?
Quando Jesus fala ," assim como Tu o Pai, és em mim", será que isso é tão superficial e inexpressivo?( Penso que não). Jesus dizia aos discipulos, " quem ve a mim ve o Pai"(João 14. 9). Penso que após a Reforma Protestante, ouve um descuido dos reformadores, o deixar de fazer uma coisa que a igreja da era apostolica fez no primeiro seculo e que as igrejas nos três séculos seguintes mesmo que de forma sofrida e imperfeita o fez, que é o "concilio". Mas, concilio não é convenção. A igreja em Atos 15, fez aquilo que foi digno do nome, "Concilio". Pois havia uma discordancia a respeito do caminho da Salvação e um desentendimento dos meios da graça, ou seja um grupo achava que precisava guardar a lei mosaica, já outro grupo tendo Paulo e Barnabé a frente se posicionava contra a observância da lei mosaica pelos convertidos ao evangelho, pois a lei foi instituida para os judeus. No entanto Tiago assim como os demais lideres entenderam, que havia sim a necessidade de observancia de alguns pontos da lei mosaica os quais eram, " evitar alimentar-se da carne sufocada e do sangue, da prostituição e da idolatria", mas, que no demais não precisariam de se submeter a outras observancias da lei pois, do contrario estariam invalidando o sacrificio de Cristo, a graça oferecida por Deus aos homens, e buscando uma auto-justiça. Com isso eles conciliaram a ambos os grupos. É claro que aqueles que não eram crentes de verdade continuaram a contender.Mas a igreja foi conciliada, evitando com isso um cisma entre os cristãos do primeiro século. Coisa que os demais concilios não foram tão bem sucedidos. Mas, penso que a ideia teria sido valida se os reformadores a tivessem observado, e isso evitaria ou pelo menos evitaria o numero de divisões e denominações que temos hoje.
Pois a divisão não é apenas de nome, mas, de ideias,sentimentos e coração. Poderia eu concordar com aqueles que acham haver hoje unidade na igreja, mas, as divisões são muitas e sangram. Há muitos motivos para o mesmo, vai desde bons  motivos, até motivos espurios e malignos.

Agora quero falar sobre a unidade, ou pelo menos, começar a esboçar o assunto:
*"Para que todos sejam um".
Este texto vem de um clamor de Jesus. Ele quer que sejamos um, em nenhum momento Ele tem a ideia de unidade fisica ou material, nem mesmo Ele, Jesus, é um desta maneira com o Pai.
* "Assim como Tu, o Pai, és em mim, e eu em Ti".
Agora uma coisa é certa, o modelo desta unidade está na relação do Pai com o Filho. Jesus dizia muito desta relação, "João: 14. 9. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10. Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras. 11. Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras."
Se Jesus pela sua vida, revelava o  Pai, e fazia isto de tal forma que Ele, tinha a ousadia de dizer  que quem o via,  via o Pai, ai alguém te pergunta,"mostra-me Jesus, ou onde está Jesus?" E o que você pode lhe responder?
* " Que tambem eles sejam um em nós". Quando Felipe pediu a Jesus que lhe mostrasse o Pai, Jesus lhe respondeu. " Estou a tanto tempo convosco e você me pede para te mostrar o Pai?" Por que Jesus revelou e revela o Pai ao mundo, e de igual modo nós unidos a Jesus no Espírito Santo revelamos ao mundo Jesus.
Porque assim como as pessoas que receberam a Jesus nos dias de seu ministerio terreno, vinham a conhecer a verdade sobre Deus através do Mestre, igualmente elas precisam hoje através da igreja conhecer a Jesus e saber que Ele é verdadeiramente Deus e o Filho de Deus.
*"afim de que o mundo creia que Tu me enviaste".
O objetivo desta unidade cristã é revelar a verdade sobre a pessoa de Jesus ao mundo. Assim como a unidade de Jesus com o Pai, revelava e revela a verdade de Deus aqueles que o recebem. E qual é esta verdade?
1ª. De que Deus existe e ele pretende salvar os perdidos no mundo. A todos quanto receberem a Jesus como Salvador pessoal.
2ª. De que este Deus é real, que desenfeitou sua Glória mandando uma parte de si, o seu Filho(ou o seu igual, semelhante ou de mesma natureza), para resgate de muitos, isso é de todo aquele que n'Ele crer.
O mundo tem estado confuso a respeito de quem é Jesus, era já assim na época do ministério terreno de Jesus, e hoje a confusão não diminui, e nem poderia pois o pai da mentira zela, por mantê-la, e garantir a sua expansão. Se Jesus é o único caminho, Verdade e vida que revela Deus ao mundo, a igreja é designada por Ele também para ser o único caminho para revelar quem é Jesus ao mundo. Pois já muitas versões enganosas e malignas Satanás tem expalhado pelo mundo.
Mateus 16: 13. Tendo Jesus chegado às regiões de Cesaréia de Felipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? 14. Responderam eles: Uns dizem que é João, o Batista; outros, Elias; outros, Jeremias, ou algum dos profetas. 15. Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou? 16. Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. -
Mateus 28: 19. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20. ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. -

* Mas, como se estabelece está unidade cristã?

Alguém pode argumentar que a "Igreja", quanto corpo místico de Jesus, permanece em unidade, mas, apenas a igreja quanto organização é que se mantém dividida. Olha no século um, na era apostólica, não se via assim, e não se falava de igreja como duas coisas distintas coexistindo juntas(corpo místico de Jesus e organização cristã religiosa), essa ideia surgiu depois para explicar a divisão que se sucedeu no cristianismo, como resultado da dureza do coração do homem. Aí fica hoje difícil de se conceber está ideia de unidade cristã, e sim apenas a de união cristã. É muito mais fácil dividir, do que unificar. Eu compreendendo está dificuldade, ponho apenas a observar que está divisão não é desejo do coração de Jesus, e que podemos pelo menos se formos sinceros de coração a empreender esforços nesta meta. Por isso também não tenho a ilusão de que poderemos chegar a ser o que éramos no princípio, pois a dureza do coração do clero cristão a isto dificulta, prova essa que mesmo os grandes avivamentos, que tinham potencial para o mesmo não conseguiram realizar, antes acabaram por provocar novas divisões.
Mas afirmo que devíamos empenhar para uma busca desta unidade, pois é e sempre foi o desejo do coração do Mestre. Pois embora os grandes avivamentos não conseguiram estabelecer a unidade cristã, todavia no seio dos mesmos,ficou-se evidente o espírito desta verdade. Pois aqueles que deles gozavam pelo fogo do Espírito Santo, estavam soldados, unificados tinham um mesmo coração.
Portanto a unidade cristã, a verdadeira unidade se estabelece em dois pilares, a união e a comunhão, pilares estes que são estabelecidos, fortalecidos e mantidos, quando se dão ouvidos ao Espírito Santo.
 De forma fraca, superficial e parcial permanece de pé o pilar da união. Já o pilar da comunhão já não existe mais, dele apenas ruínas existem.
Estamos unidos no nome de Jesus, mas, como barro e pedaços de ferro, como água e óleo, não estamos comungando neste nome. Não digo com isso que não haja comunhão na igreja, mas, estamos falando de união e comunhão os dois pilares da unidade cristã, num âmbito panorâmico, compreendendo todo o cristianismo, e não no âmbito local ou de uma pequena comunidade cristã, pois assim como as ruínas demonstram a existência anterior de algo maior, ou que compreendiam o todo. Assim e de igual modo nos referimos em nosso texto, comunhão local ou parcial, não reflete a realidade do que se espera. E ao mesmo tempo que admito a realidade da existência de comunhão num âmbito local e congregacional, não vemos a mesma no âmbito interdenominacional, o que por si só já é muita coisa para podermos sustentar a nossa argumentação de que este pilar já não existe. E será que está comunhão local, denominacional e congregacional é verdadeira ou é fachada?

E para dar uma pausa aqui sobre o assunto. Venho com outra pergunta. Porque será então, que estes dois pilares estão em estado tão deplorável, de forma a comprometer a unidade do cristianismo?
O Rev. Ernandes Dias da igreja presbiteriana, diz que chegamos ao estado em que estamos hoje no cristianismo é porque não estamos dando ouvidos ao que o Espírito tem a dizer a igreja. Ele diz que as sete igrejas da Ásia, que simbolizavam as igrejas em todas eras, vieram a desaparecer. E aí, ele pergunta. Porque? E responde, é porque no final de cada mensagem a cada uma destas igrejas estava a sentença."Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas". E eles ou pelo menos os que surgiram após os mesmos não deram ouvidos. De igual modo a igreja pelos séculos tem feito este discado, talvez em questões pequenas, até tenham o cuidado (não sei), de perguntar ao Espírito e de ouvir (não sei se o fazem) o que Ele tem a dizer, e em seguida tomam as suas decisões conforme a d'Ele (também não sei se assim ofazem mesmo). Mas, em questões de cunho extremamente importante, tal como está que estou a dizer. Talvez até busquem a sua direção, mas, quando a recebem, não procedem conforme a mesma. Dar ouvidos é inclinar o coração a orientação de Deus, e não meramente escutar seu murmúrio como quem finge dar atenção a alguém que lhe fala, mas, está com o coração em outras coisas.
O Espírito Santo é a liga que mantém e sustém estes dois pilares da unidade cristã, assim com o cimento mantém a firmeza e a estabilidade do concreto, de igual modo é o Espírito Santo o responsável. E se não o damos ouvidos, como podemos afirmar ou sustentar uma igreja una? É hipocrisia nossa querermos separar igreja de cristianismo, pois o cristianismo é o receptáculo da mesma, e quando o mundo olha ele não vê uma igreja invisível, mas, sim um cristianismo que é visível. E é por causa disso é que buscar está unidade. O versículo base desta reflexão diz, "  que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste."
Eis aqui as bases bíblicas para minhas afirmações:
João 17: 21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; 23. eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim.
João 13: 34. Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. 35. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.
Mateus 12: 25. Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. 26. Ora, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino? 27. E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes. 28. Mas, se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de Deus. 29. Ou, como pode alguém entrar na casa do valente, e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente? e então lhe saquear a casa. 30. Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.

*Sobre dar ouvidos a voz do Espírito Santo em todas as decisões:

João 8: 47. Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não as ouvis, porque não sois de Deus. -
Mateus 11: 15. Quem tem ouvidos, ouça.
Mateus 13: 9. Quem tem ouvidos, ouça.
Mateus 13: 43. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça.
Marcos 4: 9. E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Lucas 8: 8. Mas outra caiu em boa terra; e, nascida, produziu fruto, cem por um. Dizendo ele estas coisas, clamava: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Lucas 14: 35. Não presta nem para terra, nem para adubo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Atos dos Apóstolos 15: 28. Porque pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas necessárias: 29. Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Bem vos vá.
Apocalipse 2: 7. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus. 11. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. O que vencer, de modo algum sofrerá o dano da segunda morte. 17. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe. 29. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Apocalipse 3: 6. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. 13. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. 22. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Apocalipse 22: 17. E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida. 

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...