TRADUTOR

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Série pecados 11: Ódio

"Números 35: 20. Se também o empurrar com ódio, ou com mau intento lançar contra ele alguma coisa, e morrer; 21. Ou por inimizade o ferir com a sua mão, e morrer, certamente morrerá aquele que o ferir; homicida é; o vingador do sangue, encontrando o homicida, o matará.
Gênesis 27: 41. E Esaú odiou a Jacó por causa daquela bênção, com que seu pai o tinha abençoado; e Esaú disse no seu coração: Chegar-se-ão os dias de luto de meu pai; e matarei a Jacó meu irmão.
Tito 3: 3. Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros."

 O ódio, assim como as demais paixões, cega a mente de seu possuidor. A lascívia, a fome extrema, a dor, e outras paixões as quais somos susceptíveis, tornanos incapazes de uma atitude de ponderação consciente sobre o que estamos sentindo, nos relegando a uma ideia fixa sobre o propósito da satisfação daquela paixão. Ou seja, você não consegue pensar ou ter uma autoconsciência sobre o estado em que se encontra, sobre a malignidade e as consequências de seus atos sobre o assunto. Você não consegue pensar ou raciocinar contra a paixão a não ser pela paixão, como um animal instintivo, pode até ser que dê forma fraca a mente veja o mal de suas ações, mas, não consegues sentir o peso das mesmas. É uma mente cativa e passiva diante do mal.
O ódio de Esaú levou com que Jacó ficasse exilado na casa de seu tio Labão por muitos anos. Como iniqüidade o ódio é um atentado contra a vida e harmonia em comunidade. Mas as pessoas do mundo nutre este veneno em escalas maiores e menores uns para com os outros, em alguns casos o ódio é o resultado oposto a outra paixão chamada pela opinião popular de amor, na qual num tempo a pessoa estava até doente e abobada de 'amor", depois como resultado da rejeição desta paixão a pessoa passa a ficar embriagada de ódio. Revoltas de grupos de pessoas movidas por cede de justiça ou vingança, também são ocasiões muito propicia aonde a manifestação do ódio. Nestas revoltas pessoas são assassinadas, violentas, agredidas em nome de uma suposta justiça, as pessoas ficam cegas e enfurecidas incapazes de raciocinar. Não há discernimento em suas ações a não ser aquele que favoreça a tal desejo maligno. O ódio também se manifesta numa opinião apaixonada de uma pessoa sobre um assunto, ideia e ou grupo e outra pessoa. Ouvi-se hoje em dia, falar dos chamados discursos de ódio, que são na maioria das vezes referenciado a nós cristãos, devido a nossa pregação contra o pecado, dizem que ao fazer-mos isso estamos a estimular o ódio das pessoas, o que não é verdade. O intuito da pregação contra o pecado é gerar arrependimento, ou o quebrantamento em um coração duro para que o mesmo possa após dar ouvidos a vós do Espírito Santo(  o qual, vem cooperando com a mensagem de arrependimento, convencendo no coração o pecador de seus pecados) se arrependendo e crendo no evangelho, e não de gerar atrito e discriminação entre as pessoas. É claro existe por parte de alguns (por não dizer muitos), um entendimento equivocado a respeito da doutrina e dos ensinamentos cristãos, e este equivoco sim, é o que leva estes a uma conduta de ódio.
 Mas, está mensagem de ódio, realmente existe e parte muita das vezes de partidários e ativistas, exaltados na defesa de suas bandeiras politicas e ideológicas, pois assim como disse Tiago a sabedoria do mundo é animal, diabólica(Tiago 3.13 a 18). Aplicando a fala de Tiago com uma adaptação a realidade destes movimentos, vemos que seus conhecimentos ideológicos aliado a fé cega e apaixonada nos mesmos leva a atitude de odio. Assim como feministas que odeiam homens, marxistas que brigam e até batem em quem manifesta a opinião contrária a eles. Já li em uma reportagem que uma feminista entrou e urinou dentro de uma igreja católica.
 Mas, o perfeito entendimento e aplicação da doutrina cristã, não gera ódio e nem nutriente para o coração de quem nutre o ódio.
"Tiago 3: 17. Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. 18. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz."

"Mateus 24: 10. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão."

O ódio como um sentimento natural é oposto a afeição natural. Em alguns casos surge em pessoas que tiveram uma afeição muito intensa, apaixonada por alguém, que após ser rejeitada e ou maltratada pela outra ( o objeto de seu " amor", de sua afeição), passam a manifestar antipatia e repúdio pela outra. Também vem como decorrência da nutrição bde mágoas, recebimentos, pensamentos negativos, memórias ruins a respeito de alguém. Em minha experiência de observação, o ódio, nunca surge de forma espontânea e sem um histórico precedente. É um fruto de alimentação de pensamentos e sentimentos depreciativos em relação ao próximo ou em alguns casos com o aspecto depressivo contra si mesmo. O ódio sempre tem um objetivo, ele é sempre contra algo.
O ódio se mostra pecado por dois motivos, ser fruto de alimentação de sentimentos e pensamentos depreciativos, e por ser direcionado contra alguém ou objeto personificado e ideia.
1°. " Ser fruto da alimentação ou nutrição de sentimentos e pensamentos depreciativos."
Quem não lembra da história de Caim e Abel, Caim ao ter seu sacrifício reprovado por Deus, passou a nutrir uma raiva em relação a seu irmão Abel, e o odiou até que o matou( Genesis 4.4 a 8 ).
Logo aqui há duas realidades concernentes ao pecado, uma é o sentimento que é a involuntária, e a outra é a nutrição (ou alimentação,ou i investimento) que é a voluntária. Ninguém senti ódio de forma espontânea é um sentimento estimulado, mas, ninguém continua ou permanece sentindo ódio de forma espontânea porque neste caso há um investimento. Então a pessoa nutri mágoa, frustrações pensamentos depreciativos em relação a algo ou isso resulta em ódio. Por ser um atentado muita das vezes contra a honra, integridade, contra a felicidade, e contra a visão ou a imagem que se tem de alguém, e outros males é um pecado.
*" A imagem que se tem de alguém". Aqui se tem os discursos de ódio, as manifestações que resultam em depredações de prédios públicos, em assacinatos e brigas e outras coisas. É a nutrição de pensamentos maus, instingado por ativismos inescrupulosos e inconsequentes contra algo ou alguém.
Neste exemplo temos atitudes ferozes de feministas, ativistas, contra templos e entidades cristãs.
2°. "Por ser direcionado contra alguém, ou contra objeto e ou ideia personificado."
* "Atentado contra honra integridade", como assim?
O indivíduo possuído pelo ódio, não consegue discernir honra e integridade em alguém que é objeto do seu ódio. Este sentimento amargurado contamina a visão da pessoa de forma que tudo o que o objeto de seus sentimentos depreciativos faz, para ele em particular é odioso. E o problema acrescenta-se quando ele parte para a difamação, da imagem que os outros têm desta pessoa. O que pode ser chamado hoje em dia de desconstrução.
* "Contra a felicidade". acaba sendo um pesadelo contra felicidade própria da pessoa que o tem, ou que nutre este ódio pela outra.
* "Objeto ou ideia personificado."
quando a pessoa odeia uma roupa ou carro ou qualquer tipo, isso é algo bem irracional, mas aqui existe uma personificação da ideia ou objeto. Ele trata aquele objeto como um mau, como alguém que deliberadamente ou instiga o ódio. Na verdade o objeto é inocente nisso tudo, mas ele projeta nele seu ódio, como se fosse uma pessoa. Por causa da ideia que ele acha que aquele objeto representa, o que aquele objeto representa para ele, como maligna ou digna de ódio, de seu ódio.
Isso acontece muito em ativistas ateus, quando atentam contra o cristianismo e tudo o quanto ele representa, também em relação a ativistas feministas e gays, quando atentam contra o cristianismo e tudo o quanto o cristianismo e o conservadorismo cristão representa, eles nos chamam de fundamentalistas, como se isso(ser fundamentalistas cristão) fosse algo mal. Há uma diferença e já falei isso em outra postagem, entre radicalismo e fundamentalista em cristianismo para mim são dois opostos diferentes. Muitos defendem suas pautas apenas ideologicamente, outros já agarram de forma bem apaixonada e agressiva estás bandeiras ativistas, de jeito a nutrir ódio contra o conservadorismo e fundamentalismo cristão, por eles assim chamado, devido este mesmo se opor as suas pautas ideológicas. Suas ideologias são a verdadeira fonte ou discurso de ódio, ironicamente eles dizem que nossas pregações é que o são.
Como fundamentalista cristão, eu digo que a Bíblia não defende o ódio, mas, segue a baixo três conselhos da Bíblia.
"Romanos 12: 18. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas."
"1 Timóteo 2: 8. Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda."

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...