TRADUTOR

sábado, 19 de janeiro de 2019

O que há de vir virá.


Hebreus 10: 35. Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão. 36. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. 37. Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará. 38. Mas o justo viverá pela fé; e, se alguém se retirar, a minha alma não tem prazer nele. 39. Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.

O que há de vir virá e não tardará. Esta sentença do escritor aos Hebreus e precedida e sucedida por uma orientação de fé, uma recomendação de paciência e perseverança na promessa de Deus. Ele diz, " necessitais de paciência". Somos por natureza tentados estimulados desde pequenos a procurar uma vida de independência, e isto cria em nós uma certa impaciência para com aquilo que não cabe a nós. E no tocante a promessa da redenção, precisamos ser pacientes e perseverantes, porque não podemos abandonar a nossa fé, não podemos deixar a nossa posição, relachar a nossa vigilância, frouchar ou negociar os nossos princípios. Não podemos deixar de crer, ou fazer uma adaptação na promessa tentando nos enganar, não podemos também seguir fazendo as mesmas coisas, mas, não acreditando mais nelas, não podemos abandonar o primeiro amor.
Logo então, não é apenas ser paciente, mas, é também ser perseverante na fé que uma vez nos foi entregue. A paciência que não tem perseverança nela, é uma paciência desgastada. Quando nos desgastamos, somos contaminados pelo misticismo e seticismo que nos atrofia. Passamos a crer de forma diferente, deixamos As Escrituras, e passamos a seguir as diversas modalidades pseudo cristãs, que surgem aos montes por aí. Ainda estamos esperando pacientes, mas, não com perseverança, pois já abandonamos a fé. E muitos já não crêem, na existência nem mesmo de um inferno o qual será a condenação dos infiéis, outros teem o cristianismo apenas como mais uma religião e a sua fé como mais uma fé. Aparentemente muitos ainda crêem e aguardam a tão bem-aventurada esperança, mas, é só intelectualmente, é apenas um dogma, que tem medo de negar com a boca, mas, já o tem abandonado no coração, e as suas obras e a sua conduta cotidiana o testificam isso, o que está em seu coração.
Mas, o que há de vir virá. Nossa esperança precisa permanecer a mesma, nada mudou, muito menos Aquele que nos prometeu. Eu não espero Jesus só nesta vida, a esperança no Eterno jamais falhará.
Mas, alguém dirá, quantos séculos se passaram desde que o sacro escritor pronunciou estas palavras? De certo há muitos, mas, o mesmo disse que o justo de Deus, não recoa de sua fé. E é justamente essa fé paciente e perseverante que,  identifica o justo do Senhor. A perseverança dos Santos é tema doutrinário importante no meio cristão, a forma como essa perseverança se dá, pode ser de discordância entre alguns ramos da igreja, mas, todos são unânimes quanto à necessidade desta perseverança, para o cristão e a realidade dela na vida do cristão verdadeiro.
Hoje assim como em todos os tempos, na era da Igreja,sempre se houve pessoas que não perseveraram, parece que há uma grande massa acrescente, entre pessoas que não querem saber de perseverar, de congregar de ficar firme na sua fé. E assim surge muitos movimentos que tentam segurar essas pessoas, mas, se uma pessoa precisa de ser segurada por movimentos, logo essa pessoa não está querendo mais, ela já realmente abandonou a sua fé, e está querendo apenas viver um cristianismo de faixada. Porque o cristão verdadeiro, ele se sustenta apenas na fé, e não precisa de movimentos para sustentá-lo na presença de Deus.
A verdade está inalterada, não precisamos costurar algum argumento explicativo, para justificar a aparente demora, os próprios apóstolos profeticamente, como no texto base desta reflexão já, prévia tanto o espaço de tempo de vinda de Jesus, e também o argumento daqueles que não creriam. Pedro diz em sua carta que os escarnecedores andaram de um lado para o outro questionando o dia da vinda do Senhor dizendo o texto que nos nossos pais morreram temos ouvido falar sobre a sua vida mas até hoje não aconteceu nada(   2 Pedro 3.4 ). No entanto mesmo com o espaço de tempo e os apóstolos já prevendo tal coisa, eles incentivavam os cristãos, aqui a manter sempre este sentimento de iminência, este desejo e esta esperança, vivos. Assim como a chama do fogo do altar no tabernáculo deveria ser mantida sempre acesa, de igual forma a chama da esperança precisa ser mantida, acesa isso é um desafio para a fé daquele que serve realmente ao Senhor. Morrer em Cristo significa que um dia ressuscitaremos, corpo transformado em glorificado, mas, a grande esperança nossa é que nós seremos arrebatados. Portanto meus amados e amigos leitores perseverem não apenas fisicamente na presença de Deus, mas, procure manter firme e acesa a chama da esperança na vinda do eterno na vinda de Cristo porque o que há de vir virá e não tardará.

"2 Pedro 3: 3. Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, 4. E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. 5. Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste. 6. Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, 7. Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. 8. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. 9. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. 10. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. 11. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, 12. Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? 13. Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça."

Das religiões do mundo a nossa é a única que tem uma esperança real, para dar ao mundo. Portanto não deixemos a chama inflamada em nós pelo evangelho se apagar.

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...