Que recompensa tereis?


 Mateus 5:46 Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? 47 E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? 48 Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.

 A resposta a esta pergunta, é que a recompensa a gente recebe antes, pois quando a gente ama os que nos amam estamos apenas a retribuir um bem que nos foi feito com amor, isso é normal, comum e muito natural e espontâneo a acontecer com qualquer ser humano normal. Logo é algo que não nos torna nem bom, nem maus, nem dignos de nenhum galardão, nem diante de Deus, nem diante dos homens, pois reagir com amor aos que nos amam, é tudo o que se espera como resposta.

Agora se fazemos o bem, se amamos aqueles que não nos amam, que não fazem nada de bom para nós, então estamos fora do comum, fora do natural, ai estamos promovendo uma ação com a intenção de operar mudanças na vida de outro, mesmo sabendo que isso nem sempre ocorrerá. Todavia, esta conduta se não for feita buscando a glória pessoal, mas, a de Deus; se esta conduta não for feita esperando receber algo, mas, sendo apenas um ato benevolente sem desejos agoistas. Ai sim neste caso, diante de Deus, temos um tesouro que a traça não consome.

Quando Jesus fala de galardão, Ele foca na recompensa eterna dada por Deus aos filhos do Reino no grande e magestosos dia. Ou seja, quem entende isso aqui, como recompensa terrena, está bastante equivocado, não que Deus não nos agracie nesta vida, mas, grifando a palavra Ele nos agracia é graça. E este galardão é mostrada em passagens como a de Apocalipse as cartas de Jesus as sete igrejas da Asia Menor, como coroa da vida, direito de comer da árvore da vida, vestes brancas, pedra com novo nome, coluna no templo de meu Deus(   Apocalipse 2.7,11,17,26-28/3.5,11,12,21) ou seja, é uma recompensa eterna e espiritual.

Devemos ter em mente que os valores eternos são diferentes dos valores celestes, a figura de uma Jerusalém Celestial, onde os fundamentos são de pedras preciosas, os muros são de jaspe, e as ruas são de ouro, nos revelam o quanto importante são as riquezas humanas para Deus, ou seja, não são. Pois se as ruas são de ouro, logo o ouro lá é como a pedra, e o asfalto aqui, com os quais fazem os calçamentos. Isso deixa claro qur os valores são outros. Logo se estamos de olhos em valores desta vida, saibamos que os valores eternos não são iguais os desta vida, nem deseja-los corrompe os homens. Mas, os valores desta vida até deseja-los nos expõe a corrupção.

Mas, Jesus nos chama a sermos perfeitos como é nossi Pai que está no ceu. Esta perfeição aqui, tem um modelo de referência, este modelo é Deus. Não é para sermos perfeitos como as modelos, pois não se trata de perfeição fisica( e Deus já nos fez perfeitos). Não é para sermos perfeitos como os grandes mestres das ciências e filosofias, pois também não se trata de perfeição intelectual, ainda porque por mais admiração que suas brilhantes mentes possam nos trazer, elas não são perfeitas, para Deus se você consegue receber a Cristo Jesus você já um homem muito sábio. Se trata de uma perfeição moral, o que chamamos de santidade, mas, não se refere a santidade de Deus no seu absoluto, pois não podemos ser como Ele, mas, santis naquilo que vimos ou que Ele nos revela, e que está ao alcance de nossa compreensão, e capacidade intelectual e moral de exerce-la. Quando ele disse para sermos como nosso Pai que está nos céus, em outra passagem ele dá um exemplo que trás o significado desta perfeição, ele diz: " que faz com que seu sol se levante sobre maus e bons(Mateus 5. 45  )." Portanto o bem que Deus nos faz não é porqur merecemos, não existe nenhuma dignidade, aqui temos um sentido não de uma perfeição inalcançável, mas, uma que trás o sentido de completude, e de benevolência sem egoísmo. Sabemos que isto pode ser alcançável se deixar-mos que o Espirito Santo nos guie, e produza o seu fruto em nós.

Um grande abraço a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Muletas da fé

Transformados

Não vos conheço...