TRADUTOR

domingo, 26 de novembro de 2017

Conversão a Jesus.

Antes de procurar promover a conversão dos outros, certifique-se primeiro de que você está convertido a Jesus, para não acontecer de converteres outros a outro alguém que não seja Jesus. Pois antes das pessoas serem discípulas de Jesus, elas são discípulas de você, e se você não é convertido ao Mestre, se você não aprende d'Ele, então o que você ensina não vêm dele e as pessoas por você convertidas não são convertidas a Jesus.
Como saber se sou convertido a Jesus, ou se estou enganado?
*Certifique-se de toda a sua vida estar em Jesus.
Isso não significa você estar num estado initerrupto de adoração, oração, estar sentindo a sua presença. Isso é algo que nos é impossível, mas, também desnecessário. Mas, estar em Cristo não é o que fazemos ou sentimos, mas, é simplismente estarmos ou residirmos na sua vontade, no seu coração. Isso é estarmos em comunhão com Ele, por isso não carece de um fazer frenético, mas, sim de um concordar com seu coração, ou de você submeter-se e a tudo o que é teu, ou prevem de ti, ou pertence a ti a Ele, a vontade de Jesus.
Ele é o caminho...
Ele é a verdade...
Ele é a vida...
Você está n'Ele e as palavras d'Ele estão em você ( Ele encontra lugar em você, as Palavras d'Ele encontram lugar em ti?).
João 15: 3. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado. 4. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em mim. 7. Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito.

* Certifique-se de estar consagrado ao mesmo caminho que Ele ( João 3.16)
Você daria a sua vida por Ele? Qual é o grande mandamento? Você ama o seu próximo como a si mesmo? Se você diz sim a todas estás perguntas, há verdade em todas estás confições?
Deuteronômio: 6. 5. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças.
2 Coríntios: 5. 14. Pois o amor de Cristo nos constrange, porque julgamos assim: se um morreu por todos, logo todos morreram; 15. e Ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. -

* Certifique-se de estar observando as suas palavras.
João: 8. 31. Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; 32. e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. -
Comece pelo evangelho pelo ensinamento ali contido, pois há muitos ensinamentos e palavras de forma que está orientação parece vaga. Mas, quando Jesus fala aqui, ele é específico ao seu ensinamento nos evangelhos. Depois observe os escritos apostólicos, pois os tais são desenvolvidos encima dos ensinamentos de Jesus, ou seja, tem o evangelho como base.
O Primeiro Testamento (Antigo Testamento), revela a pessoa de Cristo, e muito do que se lê no Novo Testamento, se é entendido quando o lemos. Mas, a minha ênfase aqui nesta reflexão é sobre as específicas palavras de Jesus. Específicas, porque são específicas, são diretas para a igreja, para todo aquele que n'Ele crer. São toda a sua doutrina escrita nos evangelhos.

* Certifique-se de estar dando frutos.
João 15: 4. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em mim. 5. Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 7. Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito. 8. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. 16. Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. 17. Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros. -
Gálatas 5: 22. Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade. 23. a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei. 25. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. -
Na ilustração de uma  árvore, Jesus é o tronco, nós os seus galhos e o Espírito Santo é a seiva. A seiva é o sangue das árvores, é ela que leva os nutrientes até os galhos, através da raiz o tronco capita a água e os nutrientes do solo, e a seiva sai do tronco levando estes nutrientes até os galhos. Sem a seiva os galhos murcham, secam e morrem, sem a seiva eles não dão frutos. Da mesma forma sem o Espírito Santo não temos condições de frutificar, Ele é o Espírito de Vida que procede de Deus,  Ele também é chamado de Espírito de Cristo. Assim como os galhos não podem receber da seiva da árvore se não estiver ligado ao seu tronco, de igual modo não podemos receber deste Espírito, se não estivermos em Jesus.

* E certifique-se de receber em seu espírito, o testemunho do Espírito Santo de que és filho de Deus.
Romanos 8: 15. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai! 16. O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; 17. e, se filhos, também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.
John Wesley, em seu primeiro sermão sobre "O testemunho do Espírito", diz:
Mas o que é este testemunho do Espírito de Deus, que está adicionado, e unido a isto? Como ele 'testemunha com nosso espírito que nós somos filhos de Deus?'. É difícil encontrar palavras, na linguagem dos homens para explicar 'a profundidade das coisas de Deus'. De fato, ninguém irá expressar adequadamente o que os filhos de Deus experimentam. Mas, talvez, alguém possa dizer (desejando que seja alguém, ensinado por Deus, para corrigir, suavizar ou fortalecer a expressão):'O testemunho do Espírito é uma impressão interior da alma, por meio da qual o Espírito de Deus testemunha diretamente ao meu espírito, que eu sou um filho de Deus; que Jesus Cristo tem amado a mim, e dada a si mesmo por mim; e que todos os meus pecados estão apagados, e eu, até mesmo eu, estou reconciliado para Deus. 

Aqui falamos do testemunho do Espírito Santo a nós mesmos, ou seja no nosso espírito, e não do testemunho do Espírito Santo através de nós, que é o fruto do Espírito, conforme Gálatas 5.22. Isso é uma certeza que parte da sua real comunhão com Deus, estabelecida através de sua reconciliação com o mesmo por meio de Cristo Jesus. Essa certeza é dada a você pelo Espírito Santo, que agora em ti habita, sendo o mesmo o penhor santo de Deus. Que estabelece ou firma a garantia de que és salvo, e enquanto o retiverdes em si permanecerás garantido, assegurado desta certeza.
2 Coríntios 5: 1. Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. 2. Pois neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu, 3. se é que, estando vestidos, não formos achados nus. 4. Porque, na verdade, nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser despidos, mas sim revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. 5. Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu como penhor o Espírito.

Logo concluo, que uma pessoa realmente convertida a Jesus seja assim, ela está em Jesus e as palavras de Jesus estão nela, ela se consagra ao mesmo caminho que Jesus, está observando as suas palavras, está dando frutos e tem em si o testemunho do Espírito Santo. Se estás ciente desta realidade, e que está é a sua realidade então a partir de então estarás apto a procura a conversão de outros a Jesus, pois não estarás enganado quanto ao caminho.

sábado, 18 de novembro de 2017

Palavra importante 26: Paz

A verdadeira paz interior é uma mistura de fé convicta e boa ( limpa) consciência em Deus( Atos 24.16/1 Timóteo 1.5,19).
Porque? Como assim? Para início, a nossa paz procede ou se origina de uma fonte, a qual é a nossa reconciliação com Deus, após termos sido justificados pela fé em Jesus Cristo, com Deus, conforme Paulo em:
Romanos 5: 1. Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, - Bíblia JFA Offline
A partir de então não estamos mais em rebelião, não somos mais inimigos de Deus, recebemos em nós um Espírito que nos conduz pelo caminho da santificação, operando a mesma em nós por meio de sua ferramenta que é a verdade. A verdade é aquele tipo de ferramenta personalizada, que só na mão certa faz maravilhas, e sim somente na mão do Espírito Santo, também chamado por Jesus, de Espírito da Verdade, é que ela pode ser um agente libertador e transformador. Não existe, "a minha verdade", somente existe "a verdade", a Palavra de Deus é a verdade de Deus, sobre a realidade do homem e do universo,  e sobre os caminhos e planos eternos de Deus para os mesmos.
Então seguindo neste caminho de verdade o qual é Jesus, e também é a sua palavra, conforme os textos abaixo, desenvolvemos diante de Deus uma boa consciência.
João 14: 6. Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
João 14: 16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre. 17. a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.
João 15: 26. Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim;
João 16: 13. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras. 14. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará.
João 17: 17. Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade. - Bíblia JFA Offline
Então o pecador ouve a voz do Espírito Santo através da pregação do evangelho, se arrepende ao ser convencido do pecado,da justiça e do juízo, e então confia que Jesus o justo, poderá alcançar diante do Pai o perdão de seus pecados e a anulação de seu histórico pecaminoso(justificação). Jesus tem diante de Deus o Pai um feito, que é substituição governamental da punição dos pecadores pelos sofrimentos de Cristo. Tendo em mãos seu arrependimento sincero e sua fé n'Ele, ele pode te justificar pois os mesmos são condições para a sua salvação, uma vez que não tem como Deus declarar alguém justo se ele continuar a ser criminoso. Com a abertura feita no coração do homem pelo arrependimento e pela fé, o Espírito Santo através da verdade vai o guiando por um caminho de justiça e aí se estabelece aquele dito, " o meu justo viverá da fé", pois confiando totalmente em Cristo ele se deixa moldar de forma que não é mais um velho homem, mas, sim uma nova criatura em Cristo Jesus.
Logo em sua mente reina uma consciência livre da culpa do pecado, livre de mas intenções, ele é bem aventurado pois tem um coração limpo.
Está é a paz verdadeira.

domingo, 12 de novembro de 2017

Unidade cristã

                             
João: 17. 21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. - Bíblia JFA Offline
A unidade é um tema que hoje tem sido mais subjetivado do que tratado como uma questão de necessidade. Ou quando o veem, o veem apenas no contexto denominacional. O que não é e nunca foi objetivo do mestre a ideia de partido denominacional. Agora no tocante a unidade da igreja local, isso deve ser considerado, mas,em que sentido deve ser considerado? Denominacional ou no contexto de toda a localidade?
Congrego numa cogregação  e no predio ao lado existe outra congregação de outra denominação, fica-me extranho passar e dizer: "A paz do Senhor!" Se eu não poder comungar com os mesmos. Já é uma falha nosso denominacionalismo, quanto mais o exclusivismo que temos nela. Alguns veem uma certa "união" nas igrejas, o que na verdade ainda não consegui ver, embora união não seja unidade, de certo até tem união, mas, é uma coisa muito diluída. Outros falam de "unidade no Espírito", mas, o que é a unidade no Espírito? E o que ela abrange?
Quando Jesus fala ," assim como Tu o Pai, és em mim", será que isso é tão superficial e inexpressivo?( Penso que não). Jesus dizia aos discipulos, " quem ve a mim ve o Pai"(João 14. 9). Penso que após a Reforma Protestante, ouve um descuido dos reformadores, o deixar de fazer uma coisa que a igreja da era apostolica fez no primeiro seculo e que as igrejas nos três séculos seguintes mesmo que de forma sofrida e imperfeita o fez, que é o "concilio". Mas, concilio não é convenção. A igreja em Atos 15, fez aquilo que foi digno do nome, "Concilio". Pois havia uma discordancia a respeito do caminho da Salvação e um desentendimento dos meios da graça, ou seja um grupo achava que precisava guardar a lei mosaica, já outro grupo tendo Paulo e Barnabé a frente se posicionava contra a observância da lei mosaica pelos convertidos ao evangelho, pois a lei foi instituida para os judeus. No entanto Tiago assim como os demais lideres entenderam, que havia sim a necessidade de observancia de alguns pontos da lei mosaica os quais eram, " evitar alimentar-se da carne sufocada e do sangue, da prostituição e da idolatria", mas, que no demais não precisariam de se submeter a outras observancias da lei pois, do contrario estariam invalidando o sacrificio de Cristo, a graça oferecida por Deus aos homens, e buscando uma auto-justiça. Com isso eles conciliaram a ambos os grupos. É claro que aqueles que não eram crentes de verdade continuaram a contender.Mas a igreja foi conciliada, evitando com isso um cisma entre os cristãos do primeiro século. Coisa que os demais concilios não foram tão bem sucedidos. Mas, penso que a ideia teria sido valida se os reformadores a tivessem observado, e isso evitaria ou pelo menos evitaria o numero de divisões e denominações que temos hoje.
Pois a divisão não é apenas de nome, mas, de ideias,sentimentos e coração. Poderia eu concordar com aqueles que acham haver hoje unidade na igreja, mas, as divisões são muitas e sangram. Há muitos motivos para o mesmo, vai desde bons  motivos, até motivos espurios e malignos.

Agora quero falar sobre a unidade, ou pelo menos, começar a esboçar o assunto:
*"Para que todos sejam um".
Este texto vem de um clamor de Jesus. Ele quer que sejamos um, em nenhum momento Ele tem a ideia de unidade fisica ou material, nem mesmo Ele, Jesus, é um desta maneira com o Pai.
* "Assim como Tu, o Pai, és em mim, e eu em Ti".
Agora uma coisa é certa, o modelo desta unidade está na relação do Pai com o Filho. Jesus dizia muito desta relação, "João: 14. 9. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10. Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras. 11. Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras."
Se Jesus pela sua vida, revelava o  Pai, e fazia isto de tal forma que Ele, tinha a ousadia de dizer  que quem o via,  via o Pai, ai alguém te pergunta,"mostra-me Jesus, ou onde está Jesus?" E o que você pode lhe responder?
* " Que tambem eles sejam um em nós". Quando Felipe pediu a Jesus que lhe mostrasse o Pai, Jesus lhe respondeu. " Estou a tanto tempo convosco e você me pede para te mostrar o Pai?" Por que Jesus revelou e revela o Pai ao mundo, e de igual modo nós unidos a Jesus no Espírito Santo revelamos ao mundo Jesus.
Porque assim como as pessoas que receberam a Jesus nos dias de seu ministerio terreno, vinham a conhecer a verdade sobre Deus através do Mestre, igualmente elas precisam hoje através da igreja conhecer a Jesus e saber que Ele é verdadeiramente Deus e o Filho de Deus.
*"afim de que o mundo creia que Tu me enviaste".
O objetivo desta unidade cristã é revelar a verdade sobre a pessoa de Jesus ao mundo. Assim como a unidade de Jesus com o Pai, revelava e revela a verdade de Deus aqueles que o recebem. E qual é esta verdade?
1ª. De que Deus existe e ele pretende salvar os perdidos no mundo. A todos quanto receberem a Jesus como Salvador pessoal.
2ª. De que este Deus é real, que desenfeitou sua Glória mandando uma parte de si, o seu Filho(ou o seu igual, semelhante ou de mesma natureza), para resgate de muitos, isso é de todo aquele que n'Ele crer.
O mundo tem estado confuso a respeito de quem é Jesus, era já assim na época do ministério terreno de Jesus, e hoje a confusão não diminui, e nem poderia pois o pai da mentira zela, por mantê-la, e garantir a sua expansão. Se Jesus é o único caminho, Verdade e vida que revela Deus ao mundo, a igreja é designada por Ele também para ser o único caminho para revelar quem é Jesus ao mundo. Pois já muitas versões enganosas e malignas Satanás tem expalhado pelo mundo.
Mateus 16: 13. Tendo Jesus chegado às regiões de Cesaréia de Felipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? 14. Responderam eles: Uns dizem que é João, o Batista; outros, Elias; outros, Jeremias, ou algum dos profetas. 15. Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou? 16. Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. -
Mateus 28: 19. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20. ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. -

* Mas, como se estabelece está unidade cristã?

Alguém pode argumentar que a "Igreja", quanto corpo místico de Jesus, permanece em unidade, mas, apenas a igreja quanto organização é que se mantém dividida. Olha no século um, na era apostólica, não se via assim, e não se falava de igreja como duas coisas distintas coexistindo juntas(corpo místico de Jesus e organização cristã religiosa), essa ideia surgiu depois para explicar a divisão que se sucedeu no cristianismo, como resultado da dureza do coração do homem. Aí fica hoje difícil de se conceber está ideia de unidade cristã, e sim apenas a de união cristã. É muito mais fácil dividir, do que unificar. Eu compreendendo está dificuldade, ponho apenas a observar que está divisão não é desejo do coração de Jesus, e que podemos pelo menos se formos sinceros de coração a empreender esforços nesta meta. Por isso também não tenho a ilusão de que poderemos chegar a ser o que éramos no princípio, pois a dureza do coração do clero cristão a isto dificulta, prova essa que mesmo os grandes avivamentos, que tinham potencial para o mesmo não conseguiram realizar, antes acabaram por provocar novas divisões.
Mas afirmo que devíamos empenhar para uma busca desta unidade, pois é e sempre foi o desejo do coração do Mestre. Pois embora os grandes avivamentos não conseguiram estabelecer a unidade cristã, todavia no seio dos mesmos,ficou-se evidente o espírito desta verdade. Pois aqueles que deles gozavam pelo fogo do Espírito Santo, estavam soldados, unificados tinham um mesmo coração.
Portanto a unidade cristã, a verdadeira unidade se estabelece em dois pilares, a união e a comunhão, pilares estes que são estabelecidos, fortalecidos e mantidos, quando se dão ouvidos ao Espírito Santo.
 De forma fraca, superficial e parcial permanece de pé o pilar da união. Já o pilar da comunhão já não existe mais, dele apenas ruínas existem.
Estamos unidos no nome de Jesus, mas, como barro e pedaços de ferro, como água e óleo, não estamos comungando neste nome. Não digo com isso que não haja comunhão na igreja, mas, estamos falando de união e comunhão os dois pilares da unidade cristã, num âmbito panorâmico, compreendendo todo o cristianismo, e não no âmbito local ou de uma pequena comunidade cristã, pois assim como as ruínas demonstram a existência anterior de algo maior, ou que compreendiam o todo. Assim e de igual modo nos referimos em nosso texto, comunhão local ou parcial, não reflete a realidade do que se espera. E ao mesmo tempo que admito a realidade da existência de comunhão num âmbito local e congregacional, não vemos a mesma no âmbito interdenominacional, o que por si só já é muita coisa para podermos sustentar a nossa argumentação de que este pilar já não existe. E será que está comunhão local, denominacional e congregacional é verdadeira ou é fachada?

E para dar uma pausa aqui sobre o assunto. Venho com outra pergunta. Porque será então, que estes dois pilares estão em estado tão deplorável, de forma a comprometer a unidade do cristianismo?
O Rev. Ernandes Dias da igreja presbiteriana, diz que chegamos ao estado em que estamos hoje no cristianismo é porque não estamos dando ouvidos ao que o Espírito tem a dizer a igreja. Ele diz que as sete igrejas da Ásia, que simbolizavam as igrejas em todas eras, vieram a desaparecer. E aí, ele pergunta. Porque? E responde, é porque no final de cada mensagem a cada uma destas igrejas estava a sentença."Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas". E eles ou pelo menos os que surgiram após os mesmos não deram ouvidos. De igual modo a igreja pelos séculos tem feito este discado, talvez em questões pequenas, até tenham o cuidado (não sei), de perguntar ao Espírito e de ouvir (não sei se o fazem) o que Ele tem a dizer, e em seguida tomam as suas decisões conforme a d'Ele (também não sei se assim ofazem mesmo). Mas, em questões de cunho extremamente importante, tal como está que estou a dizer. Talvez até busquem a sua direção, mas, quando a recebem, não procedem conforme a mesma. Dar ouvidos é inclinar o coração a orientação de Deus, e não meramente escutar seu murmúrio como quem finge dar atenção a alguém que lhe fala, mas, está com o coração em outras coisas.
O Espírito Santo é a liga que mantém e sustém estes dois pilares da unidade cristã, assim com o cimento mantém a firmeza e a estabilidade do concreto, de igual modo é o Espírito Santo o responsável. E se não o damos ouvidos, como podemos afirmar ou sustentar uma igreja una? É hipocrisia nossa querermos separar igreja de cristianismo, pois o cristianismo é o receptáculo da mesma, e quando o mundo olha ele não vê uma igreja invisível, mas, sim um cristianismo que é visível. E é por causa disso é que buscar está unidade. O versículo base desta reflexão diz, "  que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste."
Eis aqui as bases bíblicas para minhas afirmações:
João 17: 21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; 23. eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim.
João 13: 34. Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. 35. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.
Mateus 12: 25. Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. 26. Ora, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino? 27. E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes. 28. Mas, se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de Deus. 29. Ou, como pode alguém entrar na casa do valente, e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente? e então lhe saquear a casa. 30. Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.

*Sobre dar ouvidos a voz do Espírito Santo em todas as decisões:

João 8: 47. Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não as ouvis, porque não sois de Deus. -
Mateus 11: 15. Quem tem ouvidos, ouça.
Mateus 13: 9. Quem tem ouvidos, ouça.
Mateus 13: 43. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça.
Marcos 4: 9. E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Lucas 8: 8. Mas outra caiu em boa terra; e, nascida, produziu fruto, cem por um. Dizendo ele estas coisas, clamava: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Lucas 14: 35. Não presta nem para terra, nem para adubo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Atos dos Apóstolos 15: 28. Porque pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas necessárias: 29. Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Bem vos vá.
Apocalipse 2: 7. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus. 11. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. O que vencer, de modo algum sofrerá o dano da segunda morte. 17. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe. 29. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Apocalipse 3: 6. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. 13. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. 22. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Apocalipse 22: 17. E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida. 

sábado, 4 de novembro de 2017

Série Creio 13: Juízo Final

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15). 
 Juízo Final, onde comparecerão todos os ímpios: desde a Criação até o fim do Milênio; os que morrerem durante o período milenial e os que, ao final desta época, estiverem vivos. E na eternidade de tristeza e tormento para os infiéis e vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis de todos os tempos (Mt 25.46; Is 65.20; Ap 20.11-15; 21.1-4)."Texto tirado do credo atualizado na declaração de fé das Assembleias de Deus"

No antigo credo das Assembleias de Deus, este texto era dividido em tópicos 13 e 14, agora aparte de 2017, formam um tópico só o de número 15, isso porque foram inseridos, mais 3 tópicos e foi mudada a ordem dos tópicos.
O juiz final, é a penúltima realidade dos perdidos, a última será ou virá da sentença lavrada, sobre os mesmos, a qual é o lago de fogo e enxofre. Pelo que depreendemos do texto de Apocalipse 20.11-15, não haverá neste julgamento absolvição alguma, pois neste julgamento não está em jogo se o réu é culpado ou não, pois todos são culpados.
João 3: 18. Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. - Bíblia JFA
Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porque não acreditou no Nome do Filho unigênito de Deus. - Bíblia king James atualizada

Mas, neste julgamento estará se manifestando o clímax da justiça divina. Onde de uma vez por todas será desmascarada a maldade dos homens e anjos caídos, de forma tal, que não se poderá erguer um simples olhar que seja, com altivez, diante do manifesto da justiça do Criador.
Neste julgamento compareceram os homens ímpios e malignos de todas as eras e lugares,  desde Caim, até o último homem que der ouvidos a Satanas, na rebelião humana pós milenial.

Apocalipse 20: 7. Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, 8. e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha. - Bíblia JFA

Após este juízo, não haverá outro, pois com este todo o problema do mal universal será de uma vez sanado. E os ímpios ficaram eternamente em tormento. Já li num blog, alguém sugerir que este tormento eterno, não será eterno, mas, que com um certo tempo Deus levaria este lugar para a inexistência, ou consumiria.
Todavia este lugar, ainda existirá por toda a eternidade como um memorial a todos os seres pensantes ( anjos e homens) que existem ou que vierem a existir( pois o ato de criar de Deus é continuo, João 5 .17), da justiça e do zelo eterno de Deus.
Neste dia haverá um julgamento de obras para estabelecer o nível de punição, ele será feito através dos livros das obras, e por fim a leitura do livro da vida apenas como uma confirmação da justiça de Deus sobre cada sentença lavrada.

Apocalipse 20: 12. E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. - Bíblia JFA

Neste Juízo também não será julgado Satanás, nem o Anticristo (a Besta), nem o falso profeta, apenas as noções que os seguirão.
Primeiro será lançado a Besta e o falso profeta antes do milênio após a batalha do Armagedom, no lago de fogo e enxofre, depois do milênio será Satanás após sua última rebelião, e os últimos a irem para este lugar serão os homens ímpios e os demônios (anjos seguidores de Satanás) após o julgamento final.

Apocalipse 19: 20. E a besta foi presa, e com ela o falso profeta que fizera diante dela os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e os que adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. - Bíblia JFA 
Apocalipse 20: 7. Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, 8. e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha. 9. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida; mas desceu fogo do céu, e os devorou; 10. e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos. - Bíblia JFA 
Apocalipse 20: 11. E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiram a terra e o céu; e não foi achado lugar para eles. 12. E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. 13. O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o hades entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras. 14. E a morte e o hades foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. 15. E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo. - Bíblia JFA Offline

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...