TRADUTOR

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Porventura, achará fé na terra?

"quando o Filho do Homem vier, porventura achará fé na terra"?(Lucas 18.8)


Talvez você já tentou responder esta pergunta, eu também já o fiz por várias vezes, mas, o que Jesus tinha em mente quando a fez? Notem que antes de ele a fazer, deu em parábola um modelo de fé, representado pela viúva, a ser seguido, pelo que o próprio Jesus disse, que se os crentes fossem como aquela mulher da parábola, certamente seriam ouvidos por Deus. Mas, essa pergunta então podemos dizer que ela não faz referencia a qualquer tipo de fé, mas, sim aquela fé perseverante em Deus, representada pela insistência daquela pobre viúva da parábola, porque se fizermos esta pergunta de Jesus, desassociada de seu contexto, pensaremos ser uma pergunta tola e infundada. Todavia, esta pergunta não é uma pergunta para ser respondida, mas, para ser refletida, por isso se faz primeiro necessário sabermos a que fé Jesus se referia quando a fez, para depois a fazermos para nós mesmos, lançando a pergunta a nossa realidade atual.
Será se Jesus viesse hoje, como ele acharia a terra? Há muitas pessoas que professam ter fé, mas, o seu ideal de fé esta muito longe do que Jesus abordava, se Jesus chamou aos seus discípulos de homens de pequena fé, e se chamou aos homens de sua época de geração incrédula, qual será então o seu pensamento sobre os homens de nossa época?
Será que nos é fácil respondermos com um sim, a pergunta de Jesus, se viermos levar em consideração o que já o tenho falado? Será que esta fé que temos e professamos é a que Jesus espera de nós?"Jesus disse, que " Deus não faria justiça aos seus escolhido que clamam a Ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles ?"( Lucas 18.7). E ai nos deparamos fazendo nós mesmos a nossa justiça, e impedindo Deus de fazer a sua justiça, não estamos nós no lugar errado, quem é o juiz? Não seria Deus? E se Deus é o juiz e o nosso advogado, como poderemos sermos nós os nosso próprios juízes ao mesmo tempo, pois qual é o nosso lugar? Não somos nós as vítimas, e quem merece e busca justiça? Portanto o nosso lugar, não é o lugar das obras, e sim o da fé em Deus, que nos leva a clamarmos a ele de dia e de noite por justiça, e deixar que ele muito em breve nos fará a sua justiça. E não devemos temer, quando Deus julga, e pensarmos, que sairemos prejudicados, pois sabemos nós que as leis deste mundo são injustas, pois o sistema de lei a qual este juiz obedece e pela qual estabelece o seu julgamento, estabelece a sua justiça, não é o sistema de lei mundano, mas, sim o divino.
Logo o caminho da fé representada por Jesus na parábola, não é o caminho de todos, pois este caminho é sofrido, paciente, é uma fé que brota do amor, da convicção de um Deus que para nos fazer justiça o fará mesmo que para isso tenha que nos levantar das cinzas.
Deixo então amados esta linda parábola, do "Juiz iníquo", que está registrada em Lucas capítulo 18 dos versículos 1 ao 8, para que meditem e reflitam sobre, esta pergunta que como já disse, não é para ser respondida e sim para que reflitamos em cima da mesma.
Deus abençoe a todos

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...