TRADUTOR

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Táticas do Espírito do Anticristo. Parte 9

Táticas do espírito do anticristo dentro do Cristianismo:

A partir desta postagem estou começando a postar a sequência de reflexões sobre as táticas do espírito do anticristo, devido a falta de tempo não tenho postado como prometido. Eu agradeço a compreensão do amado leitor!

*Divisão.


Essa é uma tática que o Espírito do Anticristo começou, já a elaborar nos primórdios da igreja, enquanto havia homens fieis que expunham a sã doutrina combatiam as heresias e enquanto a igreja era perseguida por defender a Jesus Cristo, enquanto existiam apologistas e apóstolos fiéis, a igreja permanecia uma. Mas mesmo assim, muitos se levantavam ainda no primeiro século para tentar fracionar a noiva do cordeiro, todavia eram derrotados e legados serem a grande minoria, de forma que não era tão perceptível a divisão que eles traziam. Destes tinham os grupos gnósticos que separavam a matéria do espiritual condenando a matéria como se fosse algo tão mal, baseando se em epistolas Paulinas em textos isolados das mesmas. Nos primeiros anos da igreja os judaizantes descritos em Atos e em Gálatas, foram os mais destacados, pois muitos tinham voz expressiva na igreja, todavia foram derrotados no primeiro concilio que teve em Jerusalém.
Mas, foi com a estatização da igreja por Roma, que veio o grande golpe do Anticristo, pois para que a igreja viesse a se torna flexível às praticas pagãs incorporando-as em seu rol de liturgias(cristianisando-as), ela mesmo teve que se tornar inflexível contra todos os cristãos genuínos que se opunham a tais praticas. Aqui neste texto me proponho a listar nove fatores que não são os únicos, mas, que com certeza estão no topo dos vários fatores que durante os séculos contribuíram para a fragmentação da igreja como instituição (o cristianismo). A meu ver particularmente acho que existe uma diferença entre igreja e cristianismo, penso que o primeiro fala-se do corpo de Cristo e o segundo exprime todo o movimento e sistema religioso criado em torno do primeiro; portanto peso ao leitor que prestes atenção quando eu usar as palavras igreja e cristianismo daqui para frente, pois sempre que eu falar estarei destacando ambos para que não se confunda.

1º. Dureza e inflexibilidade dos líderes ou mesmo dos liderados.


Se somos hoje separados e divididos, é porque não concordamos, mas, a falta de concordância não deveria ser o pivô pois ninguém pode concordar absolutamente com tudo, mas é a dureza de coração, e a falta de abertura para a verdade é que ocasiona a nossa separação, e o orgulho é quem a sustenta. Não se engane se o cristianismo fosse um no mesmo coração no mesmo sentimento, como é desejo de Deus(João 17.21-23) e de muitos, creio que não haveria muitas denominações como há por ai. Mas, sabemos que as primeiras denominações surgiram não por rebeldia, ou porque os lideres queriam criar uma nova instituição cristã, mas, porque foram expulsos de suas denominações, como foi Martinho Lutero excomungado do Catolicismo, isso também aconteceu com John Wesley, dando com isso o surgimento do Metodismo, isso também aconteceu no Brasil com a Assembleia de Deus.
Mas, por quê? Um dos fatores é a dureza e inflexibilidade dos lideres, que não estão dispostos a abrirem-se para um dialogo, e nem mesmo o possuem a humildade de admitirem quando estão errados, não estão abertos a examinar a Bíblia e juntos procurarem concordar com o que a luz da palavra se revelar o melhor caminho. É claro nem sempre essa inflexibilidade parte do líder, muitas das vezes parte do liderado, talvez o líder até mesmo esteja disposto a ouvir as ideias do liderado, mas, quando o líder vai expor a luz da palavra as tais ideias o liderado inchado por um orgulho, ou mesmo conduzido por um espírito de engano, ou cobiça, recusa-se a ouvir a verdade.

2º. Falta de abertura para a verdade.


Este é outro fator que já cheguei até mesmo, entrar na discussão ai acima. Todo crente seja o líder ou o liderado, precisa estar aberto e receptível a verdade, ninguém sabe tudo, e é por isso que o conhecimento de Deus e da pessoa de Jesus é progressivo, a palavra de Deus diz que devemos conhecer e prosseguir em conhecer a Deus (Oseias 6.3 ), o fato é que nenhum conhecimento novo pode deixar de passar pelo crivo da palavra de Deus, pois pode ser um engano e um desconhecimento. Mas, acontece que nem sempre a pessoa possuidor deste conhecimento esta disposta a sujeitar a sua filosofia, sua teologia a palavra de Deus. Acontece também da parte dos lideres, que não querem ouvir o expositor e avaliar a sua filosofia, isso pode acontecer por insegurança e ou medo da parte dos mesmos, ou por falta de paciência para com a opinião alheia tipo vemos na Bíblia como o eram os fariseus e os saduceus. Mesmo assim devemos com sabedoria, e discernimento examinar todo o conhecimento que chega até nós e se for aprovada a luz da palavra de Deus, então ele pode ser aceito, mas, se não deve ser reprovado.
Acontece que nem todos estão receptíveis a verdade, existem na comunidade cristã vários grupos de pessoas que pensam que já sabem tudo o que precisa saber, Paulo disse que não é bem assim, pois ele fala quando alguém pensa assim ainda precisa conhecer e muito(1 Coríntios 8.2 ). O grande fato é que a verdade não se contradiz, e por isso todo o conhecimento deve ser provado pela palavra de Deus, pois se ele se opõe a mesma este é heresia.

3º. Espírito de engano.


Este é um fator terrível, na Bíblia contasse uma história que uma vez um espírito de engano saiu da presença de Deus, e confundiu os profetas de Acabe, para que Acabe viesse a ser morto. Muitas pessoas recebem profecias de morte, por não ter o discernimento, e não sabe que esta profecia não é benção, mas, um laço para a sua própria vida(1 Reis 22. 1-28 ).Assim como aquele espírito se dizia ser Deus, falando em nome de Deus como se fosse o Espírito de Deus, hoje não é diferente ainda há muitos espíritos de enganos da parte não de Deus, como foi naquela citação, mas, da parte do enganador das nações que é Satanás, pois, é assim que a Bíblia o descreve como o enganador das nações(Apocalipse 20.8), que é o Espírito do Anticristo, que João também o descreve como enganador(2 João 7). Este espíritos de enganos não trazem revelações de Deus, mas, revelações do próprio ego dos profetas. E com isso acreditando serem guiados por Deus, muitos homens e mulheres, saem e abrem novos ministérios, muitos pelos seus carismas, e valendo-se pregações que afagam os egos de outros conseguem levar estes ministérios para muito longe. O Caso dos espíritos de engano vai muito além de uma revelação para abrir um ministério, muita das vezes estes espíritos em ministérios legalistas promovem o fortalecimento do argumento de seus lideres, com visões de arrebatamento ao inferno onde pessoas que recusam seguir seus caminhos e suas doutrinas antibíblicas (que os mesmos usando de versículos isolados falam serem bíblicas) estão sendo atormentadas.
A ação destes demônios não se limita aos ministérios legalistas, muitos ministérios neopentecostais, são levados e enganados pelos mesmos, com a introdução de sincretismos religiosos em suas denominações, como práticas do espiritismo, das religiões afro-brasileiras, do judaísmo, até mesmo do islamismo, da psicologia, religiões orientais e etç.
A grande dificuldade é que como os tais não possuem uma teologia sã, acabam por acreditar ser estes enganos de Deus, e sendo assim fica difícil (não impossível se a pessoa for aberta a verdade) de convencer uma pessoa desta de seu erro, de que esta sendo enganada. A palavra de Deus disse que nos últimos dias as pessoa dariam ouvidos a doutrinas de demônios(1 Timóteo 4.1 ).

4º. Orgulho.


A grande pedra de tropeço dos lideres das denominações históricas foi o orgulho, hoje muitos deles criticam os pentecostais por seus erros e desvios doutrinários, mas, se os tais na época do surgimento do movimento pentecostal tivesse pegado a bíblia, e humildemente se abrindo para a verdade que nela esta contida sobre o batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais, e que não existe na palavra de Deus em lugar algum, registrado que o pentecoste foi só para aquela época, seria bem possível que hoje, não houvesse o movimento pentecostal, pois as igrejas históricas, teriam incorporado a elas a sã doutrina do Batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais. Mas, o orgulho falou mais alto, o orgulho de um líder, ou mesmo de um liderado divide denominações, não a sã doutrina, Deus nunca pede ninguém para sair  da sua denominação, assim como o divorcio, muitas divisões ocorrem devido a dureza do coração dos homens, mas, nunca pela ação do Espírito Santo( Mateus 19.8).


Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...