TRADUTOR

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Palavra importante 22: Salvação


Mateus 18:11 - O Filho do homem veio para salvar o que se havia perdido.

Já disse isso em minha página no Facebook, e digo aqui. " O mundo ainda está a procura de um Salvador ". É como se alguém tendo a cura em sua mão,  joga ela no chão desprezando-a. E logo sai a procura da cura, encontra muitas pessoas dizendo que tem a cura, mas, são mentirosos e ele fica decepcionado, com um tempo se torna incrédulo porque por muitas vezes foi ludibriado.  Assim é aquele que despreza o evangelho, sai por aí acreditando em tantos enganadores, que fica com o coração cheio de incredulidade. Mas o evangelho é uma boa nova de graça ou uma boa nova de gratificação? Se fosse de gratificação seria uma recompensa pelos seus feitos, seria o pagamento de uma dívida, e Deus não deve nada a ninguém, nem mesmo explicação de seus atos. O evangelho é uma boa nova de graça, pois não há nada que possa fazer o homem para ser salvo a não ser se entregar por inteiro a Jesus e deixar pela fé que ele faça isso por você.
Salvação em cristianismo é um dos temas principais, e o objetivo do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Cristianismo que não se empenha na salvação das almas nunca foi cristianismo. Ou se algum dia foi porque empenhava e labutava pela salvação, hoje não é mais. Salvação de quê? Da escravidão do pecado e da condenação eterna.
A) Salvo( ou resgatado da escravidão do pecado).
O vício ( prática do pecado) e o pecado em sí traz todo o tipo de ruína para a vida do homem, moral, espiritual e até mesmo fisica. Na verdade todo o mal é consequência do pecado, começando pelo pecado de Adão até o pecado de toda a humanidade. Ele vem de forma direta ou indireta.
Nem todo o vício, o homem reconhece como vício, isso porque não sente ou percebe que os males que lhe vem são direta ou indiretamente causa de seus pecados.
Entenda o leitor que por vício eu defino a prática do pecado, ou o pecado habitual. O pecado habitual leva o seu praticante a desenvolver um estilo de vida, uma mentalidade e criar recursos e meios para satisfazê-lo ou satisfazer o seu pecado, a sua concupiscência o seu vício. E com isso este homem passa a viver uma vida de serviço, de consagração ao pecado, de entrega e está escravidão passiva, vem acompanhada de uma série de consequências maléficas para a sua vida, e a das pessoas que estão sobre a sua influência.
Todo o pecado praticado pelo homem tem consequências má, eu as chamo de "consequência natural do erro". Essa consequência é direta e indireta, imediata e tardia, está é a lei da semeadura.
B) Salvo da condenação eterna.
Deus é Senhor, Rei, Juiz e Dono do universo, não existe alguém acima d'Ele ou maior que Ele, que possa questionar ou se opor a sua vontade quando Ele assim o quer. Logo todo o juízo que vem da parte d'Ele é certeiro, e não há caco algum de homem ou anjo, nesta era ou em qualquer outra que possa se livrar de suas mãos. E por isso não adianta, brigar e chingar, nada que o homem faz ou faça poderá livrar a sua vida.
Mas, o próprio Deus, resolveu dar ao homem uma válvula de escape, pois se não há nada que o homem possa fazer, então há algo que Deus pode fazer, e é a salvação dada ao homem através de seu Filho Jesus.
Agora porque Deus condena o homem eternamente?
1°. Finney argumentou que o pecado é o crime contra a obrigação do agente moral(ser pensante) de desejar ou ter como propósito e empenho a promoção de todo o bem real de Deus e do universo. Bem este que deve ser promovido segundo as suas limitações, lembremos do primeiro mandamento..." com todas as suas forças, de todo o seu coração "...( Deuteronômio 6.4,5 ) Sendo este bem infinito, e suas implicações benévolas infinitas de todas as formas e em todos os sentidos, a recusa deste deve ser penalizada a autura ou seja infinitamente. O pecado sendo egoísmo em sua essência e natureza, nunca desejara e proverá o bem do próximo, nunca se empenhara ou desejara isso, a não ser que sua satisfação estiver em vista. Ou seja se ele de beneficiar também com isso. Logo ele não fará isso e sim será culpado deste mal.
2°. Sabendo também ser o homem um ser infinito, se a condenação pelo pecado for finita, isso deixaria de infligir na mente das pessoas a sua obrigação de obediência para com Deus. Pois ele pecária sofreria por um tempo no inferno e depois estaria livre para voltar de novo ao erro e ser condenado. Pense um ser infinito como seria. Alguém poderia dizer, mas, um dia na eternidade ele se arrependeria, engano, pois de posse do saber que seu sofrimento seria finito, e que ele tem toda a eternidade( sendo a alma infinita e incansável), não haveria arrependimento para o mesmo. Logo se faz necessário uma condenação eterna, pois é lógico que os que são condenados, são porque não se arrependem de seus erros, e não se arrependem nem aqui, nem tão pouco o faram na eternidade.
Deus não tirará um pecador do inferno para pecar no céu, se ele tiver está inclinação para não pecar no céu ao ser tirado do inferno, então Deus na sua onisciência não teria o condenado.
Deus não se deixa escarnecer, todo o pecado é crime contra o bem universal ( pois dele do pecado não advém nenhum bem). Não confundam bem real, com aquilo que te faz sentir bem, ou com algum tipo de prazer, não estou falando aqui de sentimento, leiam a série " Bom ou mal", lá explico o que estou aqui a chamar de bem. Mas, basta ao leitor saber, que tudo o que Deus te pede em sua santa Palavra não te é impossível, nem difícil(  1 João 5.3), mas, é o que você precisa saber, para a verdadeira prática do bem; e que o pecado em toda a sua forma vai contra isso.
E se o pecado é o crime contra o bem do universo, logo ele é um atentado contra Deus e toda a sua criação. Sendo Deus infinito, e o bem algo tão sublime e responsável pelo verdadeiro equilíbrio ( porque todo o caus existente, e toda a degeneração e corrupção de física a moral e devido ao pecado), não seria justa a condenação nossa, por toda a eternidade?

*Pelos motivos acima e por muito mais, e por motivos individuais a cada salvos, está  é uma das mais importantes palavras do cristianismo.
É por deixar de lhe dar a devida importância, é que muitos tem se aprofundado num cristianismo superficial, fútil e ineficaz.  Um cristianismo sem salvação, ou seja sem o Salvador Jesus, é uma perda de tempo. Não apenas a sua salvação individual, mas, sim a do próximo também. É por ignorar a salvação que muitos são despreocupados com a sã doutrina, a autodisciplina, a santificação, a presença do Espírito Santo, a nossa relação com o mesmo, e são indiferentes diante da desgraça alheia. Muitos se perdem porque aqueles que se " supõem ", não se comovem diante da perdição do próximo, não possuem amor pelas almas.
A salvação a nós dada por Jesus, com a mesma vem a cidadania celeste, vem nos o penhor da salvação o Espírito Santo, vem nos a adoção de filhos de Deus, vem nos a libertação do julgo de escravidão, a nós imposto por Satanás através do pecado.
Dê valor a sua salvação, você é um tição tirado do fogo( Zacarias 3.2   ).

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...