TRADUTOR

quinta-feira, 26 de março de 2015

Táticas do espírito do Anticristo. Parte 13

13°. Tornando o cristianismo ortodoxo o inimigo.

Não estou me referindo a denominação cristã de nome " Igreja Católica Ortodoxa "; por ortodoxo estou me referindo a genuíno, verdadeiro, autêntico. Estou me referindo a uma qualidade que distingue o cristão que é Igreja do Deus Vivo, daquele que é apenas um membro de uma instituição cristã. Agora quando amplio, digo não apenas sobre o " cristão ortodoxo", mas, sobre o cristianismo ortodoxo, me refiro a um grupo de cristãos classificados de forma pejorativa pelas correntes ideológicas do mundo atual como "fundamentalistas". E porque fundamentalistas? Porque agem tendo o fundamento da palavra de Deus. E não apenas isso, mas, porque tem este fundamento como, inquestionável, essencial para orientação de fé e vida, verdade absoluta e imutável, resposta para as perguntas mais importantes da humanidade.
Com isso se dividiu o cristianismo em duas correntes a ortodoxa (fundamentalistas) e a nominal ( progressista e pós-moderna). Mas o sutil opositor, não procura ir apenas contra os ortodoxos, mas, procura vencê-los primeiro porque estes é que são as ultimas colunas ainda erguidas, ou que pela fé no cordeiro se mantem de pé( João 1.29,36/Apocalipse 7.14).
O anglicanismo, o presbitarianismo já em algumas nações tem abandonado os fundamentos doutrinários de sua fé, em troca de membrezia e prestígio do mundo, sucumbido as pressões desta ímpia sociedade. Acontece que o ardor do inimigo de nossas almas, não se acalma e não se farta, ele procura fazer cair a todos e aqueles que como Mardoqueu não se curvam ele já os tem marcado aos olhos do mundo e das denominações corruptas, como os inimigos da paz.Estes são postos aos olhos do povo como aqueles que destilam ódio em seus discursos, que promovem a homofobia, o machismo, a intolerancia religiosa. Não estam se referindo a mulçumanos, ou outra religião, e sim a cristãos. Eles assim nos reputam e a todo que zela pela palavra de Deus, ainda que isso seja mentira, e é mentira, mesmo assim o nosso opositor o espírito do Anticristo, assim tem agido, colocando os maus como bons e os bons como maus.
Não estou falando de uma perseguição como os mulçumanos e os indus fazem aos cristãos nos países onde estes( os indus e os mulçumanos) são a maioria. Nem mesmo estou falando de perseguição. Pois quando a perseguição vier vira até mesmo sobre aqueles que acham que porque negociaram os seus valores e passarem para o lado dos "politicamente correto" serão poupados. Porque se você é cristão você já trás consigo o rótulo como aconteceu com Pedro, " vejo que você é um deles, pois também é galileu."( Marcos 14.70  ) Mas quando falo, estou me referindo a mentalidade do inferno, que distorce a nossa mensagem santa e pacífica aos ouvidos do mundo, alegando que o evangelho é na verdade um discurso de incitação ao ódio.
Você pode estar agora numa encruzilhada da fé e se pergunta, quem está certo? Pois uma técnica muito usada para confundir a opinião, é apelar para a emoção. A pessoa vem e coloca os sentimentos sobre a mesa e procura conquistar os corações passando a mensagem de que ele é um coitado, e as pessoas comovidas com seu discurso apelativo deixam a sua racionalidade se subjugar a emoção, e então são convencidas. Não quero apelar para a emoção, não somos coitados, pois o ódio do mundo é a certeza do amor do pai, agora o amor e a simpatia do mundo é a nossa confusão e desgraça eterna. Deixo a você a sua conclusão, mas, não deixarei de expor a minha. Esta é uma questão sobre a tática satânica na qual o maligno procura, tornar aos olhos do mundo os cristãos ortodoxos os verdadeiros cristãos, como inimigos. Lembro da passagem onde tentou usar contra Elias esta tática, acusando-o de "perturbador de Israel", quando na verdade era com as suas práticas que Acabe e Israel traziam perturbação sobre si próprio( 1Reis 18.17,18).
E porque eles e não todos os cristãos?

1. Porque estes não negociam os seus princípios, os outros como Acabe já se venderam para o mundo (1Reis 21. 25,26).
Princípios são leis de necessidades, leis tão essências, que o negociar deles é o comprometimento de uma vida, ou seja lá o que for a quê este princípio esteja ligado. Sendo em referência ao cristianismo, os princípios são as bases os fundamentos doutrinários da nossa fé. Por princípios também entendo como aquilo que vem primeiro, e sob o qual toda a cristandade, está fundamentada, construída, uma casa sobre a rocha. Jesus e o seu evangelho é o principal principio, depois a doutrina dos apostolos e profetas ( Efésios 2.20,22/ Colossenses 2.7/Atos 2.42). Qualquer ensino que vem depois não deve os contradizer (Gálatas 1.6-9).

2. Porque estes não amaram o mundo.
O que é amar o mundo afinal? É amar esta vida, seus prazeres passageiros e momentaneos, mais do que a Deus.E porque mais do que a Deus? Porque não estão dispostos a sacrificar a sua vida por Deus, mas, estão sempre a abdicar de seus princípios, seus valores e seu amor a Deus, por causa do mundo, são bem parecidos com os corações simbolizados pela semente que caiu sobre pedregais e a que cresceu entre espinhos( Mateus 13.20-22).
*"A que caiu sobre pedregais". Estes são pessoas de pouca duração e de pouca resistência na fé. São ótimos crentes, mas, que assim como " ovo de pele", estouram a primeira alfinetada.
* "A que cresceu entre os espinhos". São corações cheios e sobre carregados com os cuidados desta vida, iludidos pelo engano das riquezas, e viseirado pelas ambições mundanas. Sendo assim a palavra de Deus não encontra meios para crescer e frutificar nesta vida ou morre antes( o que na maioria das vezes acontece) ou dão frutos defeituosos.(  Lucas 8.14 Almeida)
*Semelhante a estes aqueles que se dizem, "cristãos progressistas", ou " emergentes", ou seja lá o título que a eles queira se dar, ou mesmo muitas antigas e respeitadas denominações históricas, tem sido de fé fraca e muitas vezes já não a possui, são apenas cascas nominais. Tem sido também cheios dos cuidados desta vida, estão tropeçando na sedutora e enganosa riqueza ( graças a praga denominada "teologia da prosperidade"), e conduzidos pelo triunfalismo às ambições viseirantes ( viseira é um instrumento usado no olho dos cavalos de charretes, para impedir que os mesmos olhem para o lado, assim facilitando ao condutor lhes mostrar a direção que ele deseja que o animal vá).
Há três coisas no mundo( neste viver pecaminoso), as quais tendenciosamente quem ama o mundo as ama também, estas são relacionadas pelo apóstolo João (I João 2.16).
* "A concupiscência (cobiça) da carne."
Quem ama o mundo sempre estará preso a sentimentos escravisadores, a ansiar aquilo que os homens caídos desejam. A tentação não será uma tentação e sim um estímulo. Tudo isto por causa dos espinhos, as "ambições doutras coisas" e as " seduções das riquezas "( Marcos 4.19), os enlaçaram em muitas concupiscências das quais por amar o mundo geraram dificuldades em larga-las.
* "A concupiscência ( cobiça) dos olhos."
Quem ama o mundo, ama aquilo que é aparente. Suas escolhas sempre serão contaminadas pela concupiscências dos olhos.
* " E a soberba (ostentação, orgulho) da vida."
João percebeu um fato, que os que amam esta vida são cheios de orgulho, que a soberba e não a humildade é a marca ou legado do homem caído. Fazem escolhas guiados e inspirados pela arrogância, seus caminhos só agradam em uma observação mais apurada a si próprios, isso é egoismo outro legado seus.
 E como isto tudo que tenho falado, tem a ver com os cristãos nominais deste século? Analisemos a nós mesmos, nossos templos, nossas doutrinas mais difundidas e apreciadas, nossas denominações, os exemplos que temos dado ao mundo. E vejamos se não há "concupiscência dos olhos, da carne, soberba da vida, cuidados da vida, sedução das riquezas, ambições doutras coisas".

3. Porque amaram a Jesus acima deles mesmos.

"Mas qualquer cristãos ama a Jesus". Alguém pode dizer. Mas, os frutos denunciam se o amam verdadeiramente ou não. Jesus disse:
"Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim." (Mateus 10.37,38)
As palavras que eu gostaria de tomar neste versículo é, "não é digno de mim". Porque quem não está disposto a sacrificar tudo, até a própria vida pela causa do evangelho, que é a mesma causa de Jesus, não é digno d'Ele. Jesus mesmo disse: "...a minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou." ( João 4.34). A satisfação d'Ele era fazer a vontade do Pai, e fazer a vontade de Jesus deve ser a nossa realização. Se é que o amamos verdadeiramente.
O cristãos fundamentalista, cujos fundamentos são a palavra de Deus, não as palavra de homens corruptos de coração e entendimento que distorce a Bíblia para própria conveniência( 2 Pedro 3.15,16), este cristão ama realmente a Jesus, e não apenas de palavra ou de um sentimento que o toma no momento da adoração, mas, também em obras e vida. Pois não há como você dizer que ama a Jesus e contrariar a sua vontade e a sua palavra a todo o tempo. Respondeu  Jesus: "Se alguém me ama, guardará a minha palavra. Meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos nele morada. Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. Estas palavras que vocês estão ouvindo não são minhas; são de meu Pai que me enviou. ( João 14.23,24)
Considero fundamento cristão apenas a Bíblia, em sua interpretação sã, ou seja sem contaminações ideológicas, no sentido literal dentro do contexto e da proposta de cada livro que a compõe, sem interpretação de textos isolados. Isso de uma forma ampla, mas, duma forma mais restrita e objetiva, considero fundamento cristão,a Jesus, a sua palavra, e a doutrina dos apóstolos.
Outra coisa não considero um cristão fundamentalista bíblico, só porque tem conceitos fundamentalistas. Mas considero um cristão fundamentalista aquele que não apenas conhece, mas, vive os fundamentos da fé cristã. Pois a minha defesa neste texto não é a hipocrisia e sim a sinceridade de vida.

Concluindo se você ama a Jesus, não só de palavras mas, em espirito e em verdade( João 4.23) o adora e ama; se você não ama o mundo, nem abre mãos dos princípios e valores cristãos por causa das pressões e clamores do mundo. Então você é um alvo do ódio do mundo( João 15.20), assim como Jesus foi, não espere a simpatia deles. Mas ame as pessoas para salvá-las, não para se perder do caminho com elas.

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...