TRADUTOR

terça-feira, 5 de setembro de 2017

A divisão no cristianismo e a Vontade de Deus.

Mateus: 12. 30. Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. - Bíblia JFA Offline


Ninguém em sã consciência ousa falar de
divisão da igreja como obra do Espírito Santo. Porque Ele não está neste negócio, isto é fruto da dureza dos corações dos homens. Me valo da resposta que Jesus deu aos judeus, quando foi contra o divórcio, veja o diálogo d'Ele com os  fariseus:
Alguns fariseus aproximaram-se dele para pô-lo à prova. E perguntaram-lhe: "É permitido ao homem divorciar-se de sua mulher por qualquer motivo?"
Ele respondeu: "Vocês não leram que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher’ e disse: ‘Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’?
 Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe".
 Perguntaram eles: "Então, por que Moisés mandou dar uma certidão de divórcio à mulher e mandá-la embora?"
Jesus respondeu: "Moisés lhes permitiu divorciar-se de suas mulheres por causa da dureza de coração de vocês. Mas não foi assim desde o princípio.( Mateus 19:3-8)
Até aqui está bom para o meu propósito, vejam que assim como o divórcio na época de Moisés, da mesma forma a divisão denominacional, não procedem de Deus, mas, é permitida por Ele como ferramenta de preservação da doutrina cristã na verdade e pureza dela, da liberdade cristã, da propagação do evangelho e é permitido também como um sinalizador de que algo está errado. Como assim?
Porque devido a dureza do coração dos homens existe uma resistência a verdade, uma opressão aos pregoeiros do santo evangelho, como é bem visto na história da igreja pelos séculos. Como é visto a perseguição e o martírio dos santos pelos falsos irmãos, assim como as mulheres eram livradas através do divórcio das mãos de maridos que por não ama-las as oprimiriam, da mesma forma a divisão veio como um mal necessário, mas, não da parte de Deus, porém permitido como uma solução pelo mesmo( Deuteronômio 24.1,3/ Malaquias 2.16).

1°. Divisão como ferramenta da preservação da pureza da doutrina cristã na verdade e pureza dela.

Com a estatização da igreja por Constantino, veio a  contaminação do cristianismo com o sincretismo, a mistura de elementos do culto pagão a fulga e o abandono das Escrituras Sagrada, Deus levantou diversos pregoeiros da verdade, chamando a igreja e o clero a se arrependerem. Mas, foram perseguídos e mortos, isso duramente por todo o império romano, por muito tempo, até que com a reforma protestante Deus permitiu divisão, visto o clero romano, estar corrompido de mais, compromissado de mais com sua própria causa do que com a causa de Jesus Cristo. Sendo a causa deles a principal, logo a causa de Cristo devia ser calada. Por isso perseguiram e mataram os santos pregoeiros da verdade. Antes desta divisão houve no ano 431 por causa de Nestório uma primeira divisão do cristianismo, está se deu não tão violenta quanto a protestante, todas elas surgiram igualmente por causa humana, de dureza de coração e resistência a voz do Espírito Santo, seja por parte da igreja ou de quem sai dela. Mas, assim a que ocorreu em 431 como a reforma Protestante, houve nas mesmas uma permissão divina com a intenção de preservação da doutrina cristã em sua verdade e pureza. Mas como pode ser isso? É porque como já argumentamos acima, o cristianismo após o primeiro século, começou a se corromper e com isso a sã doutrina ( doutrina de Cristo e dos apóstolos) foi sendo sufocada pela cobiça dos bispos mesmo que teoricamente a sustentasse mas todavia a sufocavam através de seu viver apostatado de Cristo. Somente pessoas que vivem na verdade podem sustentar e defender a palavra de Deus ( João 3. 19 a 21).
Depois desta primeira divisão por motivos semelhantes sejam da parte da Igreja ou de quem saia dela se seguiram as divisões. Seriam estes motivos.
1º.  Dureza  e  inflexibilidade  dos  líderes  ou  mesmo  dos  liderados.
2º.  Falta  de  abertura  para  a  verdade( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
3º.  Espírito  de  engano.
4º.  Orgulho
( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
5° . Avareza.
6°. Falta de conversão ao propósito de Jesus Cristo.
7°. Cobiça inveja e espírito faccioso.
8°. Medo.
9º.  Colocar  os  dogmas  no  mesmo  patamar  que  a  Bíblia  ou  mesmo  acima.
10°. Querer converter a igreja a si mesmo.

Essa lista toda ai em cima é a causa de divisão no cristianismo, e em resumo é o reflexão de um coração endurecido pelo pecado, e isso parte do coração do homem não de Deus.
Nenhuma divisão vem de Deus, pois como diz o texto base desta reflexão( Mateus 12.30) aquele que não age em conformidade com Deus está a dividir. Se Deus pucha o trigo com uma enchada para um lado e você pucha por outra, logo você está a promover divisão.


2°. Divisão como ferramenta para a preservação da liberdade cristã.
 Foi isso que aconteceu na reforma protestante, a liberdade cristã, de viver o cristianismo vivo e genuíno estava sendo sufocada pelos dogmas e tradições do catolicismo, assim este rompimento se fez necessário para que está liberdade espiritual viesse a ser preservada.
Foi um desprender dos laços os quais impediam o agir pleno do Espírito Santo na igreja, e amarravam a obra do evangelho genuíno. Isso aconteceu e ainda acontece, sempre que o bom andamento da obra do Senhor estiver em cheque por causa de um movimento cristão e para resolver o problema a solução vir com um rompimento.
 Vimos isso no ministério de Paulo, um dia ouve uma grande discordância entre ele Silas, a respeito da reaproximação de Marcos. Paulo não via em sua visão humana um meio de aceitar Marcos cooperando com ele. Silas já via com bons olhos. Mesmo que Paulo aceitasse aquele sentimento poderia atrapalhar a liberdade do Espírito Santo em sua vida. Então neste breve momento houve uma necessidade, de partirem para lados opostos, para que a obra de Deus não sofresse, por motivo de questões humanas e limitadas.

3°. Como ferramentas da preservação da propagação do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Igrejas frias, mundanizadas não propagam o evangelho, mas, com sua visão atrofiada pelo pecado ainda atrapalha. Ela pode até parecer estar anunciando ele, quando a mesma se espande e ou aumento o número de membros, mas, pode saber não é o evangelho genuíno, pois está contaminado e comprometido pela visão corrompida da mesma. Um evangelho corrompido, não é o poder de Deus, como Paulo bradou(  Romanos 1.16 ), mas, é o oposto ele espalha veneno na alma do homem fazendo-o filho do inferno duas vezes conforme Jesus falou(  Mateus 23.15 ).
Nisto vem a divisão nesta igreja, quando se levanta ali pessoas defensoras das sãs doutrinas e do genuíno evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Se a pessoa está numa boa posição sendo ele o líder que antes estava com a visão fechada, mas, agora teve a aberta para a verdade, começa então a combater o erro através da exposição da verdade pela palavra na virtude do Espírito Santo. Ele então encontrará muitos que com os corações endurecidos para com a verdade, lhe resistiram e saindo os mesmos(caso não consigam o depor de sua autoridade ministerial), vão levar consigo um bom número de seguidores.
Se o caso for o oposto a pessoa que estiver fazendo exposição da verdade, estiver numa posição fraca, poderá ser tido como herege e excomungado da igreja, conseguindo ele que alguns lhe dêem ouvidos, então haverá a facção com a saída daqueles que o seguem na criação de outro movimento cristão.


4°. Como indicador de que algo está errado.

A primeira divisão do cristianismo no quinto século já indicava o resultado de uma fermentação oriunda de muitas contaminações que haviam ocorrendo a tempos atrás.O Nestorianismo pivor deste primeiro cisma, foi apenas uma gota d'água num oceano de males que borbulhavam no interior do cristianismo medieval. Nestorio foi infeliz em sua defesa da humanidade de Jesus, de forma a dividi-la de forma exagerada da natureza divina. Todavia em 451 em outro concilio o de Calcedônia, ficou estabelecido o credo que reconhecia ser Jesus 100% homem e 100% Deus em uma só pessoa isso é Jesus, logo vemos que ao que tudo parece Nestorio foi é mal interpretado,  segunda os estudiosos foi no concílio de Efesos que se apresentaram as acusações contra o mesmo inclusive a de que discordava de Maria o título de mãe de Deus, logo vemos que o errado não era bem Nestorio e sim o que ocorria era uma defesa e manutenção da mariolatria  disfarçada de apologética contra heresia,  há também no relato dos historiadores que seu opositor mais ferrenho o fazia por ambições políticos, visto ser ele patriarca de Constantinopla. Segundo o que nos é informado se ele cometeu algum erro em sua teologia foi o de dizer que a relação das dias naturezas de Jesus eram vagas. Assim vemos que algo estava errado é a divisão veio como um sinal ou sintoma de algo que já estava ocorrendo no seio do cristianismo no quinto século.
Um reino dividido contra si mesmo não pode substituir, disse Jesus. Logo Satanás já havia introduzido o seu fermento, e ele começará a corroer por dentro e agora se manifestava por fora.
Em Mateus 16.6 a 12 Jesus fala do fermento dos fariseus, que é a doutrina dos fariseus. Vemos que já no primeiro século os apóstolos em especial Paulo, sofreram muitos com esta doutrina terrível que tinha o poder de transformar e estragar o bom ensinamento de Jesus, ao que parece eles conseguiram seguir o conselho do mestre, mas, muitos outros fermentos velhos surgiram, e principalmente os fermentos da cobiça, da ganância da ilusão das riquezas, os quais contaminaram não a igreja da era apostólica, mas, das eras posteriores.


Vemos então que a divisão no cristianismo não se dá por vontade de Deus, mas, justamente pelo fato dos homens resistirem a vontade de Deus. Hoje assim como antes é muito mais, precisamos buscar a Deus por uma unidade, se não de instituições pois estás jaz no maligno, mas, da igreja. Está a qual não está erguida sobre uma bandeira de homens, mas, a do evangelho. Que mesmo que se esconda por entre as ruínas deste cristianismo morto, todavia ela vive, pois é Cristo quem a sustenta. Portanto quem poderá prevalecer contra a noiva?

sábado, 2 de setembro de 2017

Estudos em PDF

Aqui nesta postagem, estou colocando todos
os links da série de reflexões, "O provar de Deus", e para quem desejar ter a série em PDF pode baixar toda a série organizada num único PDF.

* Link um.

*Link dois.



Link para o PDF.


* Aqui a baixo segue os links de outro estudo postado aqui neste site, e o link de seu PDF. Este é o da série "Táticas do espírito do Anti-Cristo", postado em 14 postagens:

Link um.

Link dois.


Link do PDF.


*Aqui um estudo postado em 4 postagens diferente, baseado na Parábola do Semeador".

A baixo segue o link para download, é só clicar na foto para baixar o PDF:




*Bom ou mal é outro estudo postado aqui no blog Cristão. Segue uma foto, clique para baixar e visualizar o PDF:


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Série Creio 11: Arrebatamento e segunda vinda de Jesus


11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira – invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda – visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).
*Cremos no arrebatamento, como um evento premilenial e pré-tribulacional.
Mateus: 24. 44. Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem. - Bíblia JFA Offline
A hora do arrebatamento é uma hora que não será perceptível, não é marcada por sinais, mas, será instantânea. Embora o relato tanto da vinda do Senhor em Glória, quanto o arrebatamento, sejam narrados por Jesus juntos, cremos todavia que são eventos que se datam em momentos separados, sendo o arrebatamento o primeiro destes.
A parábola do "servo bom e do servo mal" Mateus 24.45 a 51, Lucas 12.35 a 48, deixam claro está grande necessidade de vigilância, pois a hora pode ser a qualquer momento. A parábola também das dez virgens trás consigo está ideia de eminência e necessidade de vigiar em perseverar no caminho ( Mateus 25.1 a 13).
A Bíblia diz que quando o mestre vier, primeiro Ele vai fazer uma separação, ou seja recolhera os  seus remidos dos 4 cantos do mundo, para depois estabelecer seu Reino Milenial aqui na terra. Está abordagem por ser objetiva não fala de um tempo entre ambos. Está é uma conclusão a qual chegamos, após análises de várias passagens que estabelecem está idéia as quais algumas são:
Mateus: 24. 31. E ele enviará os seus anjos com grande clamor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.
O versículo que o prescede trás a narrativa da vinda em Glória a qual todo o olho o verá, mas, o texto que mostrarei a baixo trás uma narrativa a qual mostra que o nosso encontro com o Senhor será num momento tão inesperado que não poderá ser previsto. Caso fosse como outras correntes ensinam, durante o momento da "Grande Tribulação", poderíamos prever com precisão, pois serão apenas, 7 anos culminando no fim, com a batalha do Armagedom.
Mateus: 24. 36. Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai. 37. Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. 38. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, 39. e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos; assim será também a vinda do Filho do homem. 40. Então, estando dois homens no campo, será levado um e deixado outro; 41. estando duas mulheres a trabalhar no moinho, será levada uma e deixada a outra. 42. Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor; 43. sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. 44. Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem. -
Numa hora em que não penseis. Ou seja, não será perceptível assim, de forma ou do jeito como seria se fosse os sete anos do reinado do Anticristo, mesmo por a descrição de Jesus, mostra pessoas em tranquilidade e trabalhos de uma vida rotineira. Embora nos sete anos as pessoas tentaram levar a vida em tranquilidade, como se nada tivesse acontecido, todavia a descrição em Apocalipse dos sete selos, das sete trombetas, das sete taças da ira de Deus, nos deixa claro que não conseguiram ter ou prosperar diante das muitas e terríveis calamidades que os acometeram.
* Cremos na segunda vinda de Cristo, em Glória a qual, todo o olho o verá.
Mateus: 24. 29. Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. 30. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. -
Vemos aqui nestes versículos que antecede aquele que o citei primeiro, como será a vinda do Senhor, ela será após um período de grande tribulação a qual nunca ouve antes, a qual revelará aos homens a ira justa de Deus.
1 Tessalonicenses: 5. 9. porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo, -
Todo olho humano verá, para Israel este dia será de grande livramento, pois ocorrerá num dia de grande aflição, onde Israel estará sendo cercado de um lado ao outro pelo exército do Anticristo, conforme nós e informado em Apocalipse, na passagem da " mulher é o dragão", no capítulo 12. E também nos é informado pelo versículo de João.
João: 19. 37. Também há outra escritura que diz: Olharão para aquele que traspassaram. - Bíblia JFA Offline
Também todos os olhos das nações o verão, quando se dará a Grande em fama, mas, pequena em duração, batalha do Armagedom, pois Deus consumirá e destruirá todos os seus inimigos com uma precisão e eficácia inimaginável, nem mesmo a ilustração da formiga esmagada debaixo do pé de um menino, poderia se comparar.
Apocalipse: 19. 11. E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. 12. Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. 13. Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. 14. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. 15. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. 16. No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores. 17. E vi um anjo em pé no sol; e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde, ajuntai-vos para a grande ceia de Deus, 18. para comerdes carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e dos que neles montavam, sim, carnes de todos os homens, livres e escravos, pequenos e grandes. 19. E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos para fazerem guerra àquele que estava montado no cavalo, e ao seu exército. 20. E a besta foi presa, e com ela o falso profeta que fizera diante dela os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e os que adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. 21. E os demais foram mortos pela espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo; e todas as aves se fartaram das carnes deles. - Bíblia JFA Offline

domingo, 6 de agosto de 2017

O poder de Deus

"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego" Romanos 1.16

Salvação é o mesmo que um livramento que alguém recebe de algum perigo, e ou fim mal. Portanto a salvação que Jesus proporciona aos homens, é uma salvação que vai além de salvar o homem da condenação eterna, que é ser entregue ao tormento por toda a eternidade. Mas, a salvação proporcionada por Jesus ,segundo Mateus 1.21, também salva o homem da escravidão na qual o pecado o aprisiona, como por exemplo a consequência natural de todo o erro, pois não há ato ou escolha que um homem faça que não resulte necessariamente em nada, e não há mal que alguém faça que não possa resultar em mal para si mesmo. Se engana, quem pensa que isto não é verdade, pois um dos males é justamente esse, o de se iludir com a aparência do mal, que pode parecer, em bem e em alguma coisa boa, e até mesmo agradável, e dai que vem esta pergunta tola. "Que mal faz isso?"Além da consequência natural do erro, Jesus também nos salva dos vícios(que também é uma consequência natural não de uma pecado isolado, mas, da prática do pecado) que é a prática habitual de um pecado, pois todo o pecado gera vicio.
Logo o evangelho não traz ao homem uma salvação apenas no âmbito espiritual, mas, a salvação que o evangelho traz tem uma caráter transformador  e libertador, pois ela salva o homem do mal que seus próprios erros lhe trazem, e por fim o salva do futuro que aguarda a todos os praticantes deste mal. 
A definição de evangelho é do Grego (evangelion), significa "Boa Notícia" , "Boa Nova", "Boa Mensagem", porém que noticia é esta que Jesus Cristo traz? Ora a mensagem que Jesus traz é a mesma que era pré anunciada por João Batista, que era a chegada do reino de Deus. Mas Jesus dizia também que era necessário arrependimento, novo nascimento, e principalmente fé em sua pessoa, para que pudesse ter acesso a este reino, e ficar livre da ira vindoura. Aqui há três mensagem trazida pelas boas novas de Jesus, que a torna assim tão especial, pois este entrar no reino dos céus, que Jesus pregava, é na verdade a salvação da ira justa de Deus.Mas, Deus que conhece os corações não quer uma pessoa que não tenha do que se arrepender, se esta pessoa esta satisfeita com sua vida com suas escolhas, então esta pessoa não quer e não se sente necessitada de uma mensagem de salvação. A fé que hoje em dia é tão explorada, mas, se na igreja os lideres procuram tira-la de Cristo transferindo-a para amuletos, santos, campanhas, entre muitos substitutos que encobertamente se introduzem de forma mascarada ou mesmo até descarada, todavia a Bíblia nos dá o exemplo de Abraão que recebeu o título de pai da fé, e justo, porque estava confiando apenas em Deus, e em sua trajetória vemos suas decepções por todas as vezes em que acreditava em alguém diferente.
E por ultimo e para concluir este texto, o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, trazia consigo que para as pessoas fazerem parte do Reino de Deus, e ter a vida eterna, deveriam nascer de novo, e permita me também dizer que além das pessoas não estarem querendo se arrepender de nada, também elas não acreditam verdadeiramente em novo nascimento. Porque se acreditassem em novo nascimento, não estariam criando igrejas, que se adaptam aos seus vícios e pecados, pelo contrario estariam  se arrependendo, e depois crendo em Jesus, e por ultimo sendo regeneradas por Ele, ou seja, nascendo de novo. Pois hoje se você deseja ser um cristão, mas, não consegue largar seu mundano estilo de vida, tudo bem, pegue na web uma lista de igrejas e leiam em seus currículos  que nelas você vai achar uma que lê a Bíblia com seus olhos, e onde todos são "iguais perante a Deus", traduzindo, você não vai ali para ser mudado, e sim para fazer parte. Mas, não somos iguais perante a Deus, sim, no sentido de que todos pecaram e carecem da glória de Deus(Romanos 3.23). Mas, se você do contrário perante Deus há muitas diferenças, há aqueles que crêem em Jesus, se arrependendo e recebendo em sua vida o julgo suave de Jesus, e há aqueles que se recusam a crer, se recusam a se arrepender e se recusam a aceitar em sua vida o Senhorio de Jesus. Então não são iguais perante a Deus. Porque no que concerne a Deus ele aceita a todos os que humilhando, arrependido e crendo se chegam a Ele, mas, no tocante aos homens, nem todos querem seguir por este caminho.
Porque nascer de novo, esta mensagem instruída por Jesus a Nicodemos, e escrita no terceiro capítulo do evangelho segundo escreveu João, traz consigo o sentido certo de transformação  e é aqui que eu concluo, se você se vê num pecado do qual você poderá sair a hora que você quiser  por que você precisa de um Salvador? Se você se vê num vício, que os psicólogos  um livro de auto-ajuda, e sua determinação conseguem vencer, então porque você precisa de um Salvador? Pois a verdade é que assim como um mosquito preso a uma telha de aranha não consegue se livrar se alguém não o tirar, e certamente ele será traçado por esta aranha, da mesma forma, nenhum homem pode se ver livre do pecado, se Jesus não o salvar e é este poder que somente Jesus tem.
As pessoas conclui hoje em dia que se não pode se ver livre de algo é porque este algo faz parte de sua natureza, que eles nasceram assim e vão morrer assim, mas, a escritura traz o santo evangelho de nosso Senhor Jesus, e este santo e verdadeiro Jesus pode e sim liberta o homem de sua condição miserável e o traz para a sua gloriosa e maravilhosa luz. Muito de nossa incapacidade provém de pensamentos viciosos, os quais enfraquecem o nosso coração, a nossa vontade, na batalha contra os vícios, são setas do maligno, que prende o homem em sua teia através dos fios, dos vícios, dos pensamentos viciosos, do amor a esta vida, do orgulho, e muitas outras armas que está aranha usa para enlaçar e devorar suas presas.
Se você é homossexual, prostituta, alcoólatra, não esqueça o evangelho também é novo nascimento, pois se é verdade que não existe ex-gay, então não seja um ex-gay, seja um novo homem em Cristo Jesus.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Série Creio 10: Atualidade dos dons espirituais

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1Co 12.1-12).
A crença e o ensino ( doutrina), na atualidade dos dons espirituais, é uma marca de nascença do pentecostalismo histórico, retirar isso é falsifica-lo. Embora essa doutrina ainda permaneça em nosso rol de doutrinas, todavia o misticismo ou a crença superticiosa tem sufocado essa realidade tal como os espinhos da parábola do semeador sufocam a mensagem do evangelho. Como assim? É porque o ser humano é por natureza inclinado a criar rituais e tradições, a dar valor e peso espirituais a coisas que não o possoe, a dar importância a detalhes insignificantes. Como por exemplo falar;" em nome de Jesus um, em nome de Jesus dois, e ir até em nome de Jesus sete", ou durante a oração ter que ungir água, panos, envelopes, fotos...Ou seja, criar um ritual uma doutrina e tradição, que limite a fé, que a faça usar moletas. Quando também trazem elementos religiosos de outras religiões, como as espíritas( roupas brancas, vale do sal). Então estes espinhos ou doutrinas estranhas que crescem junto com a doutrina ortodoxa dos dons, tendem a sufoca-la, por servir de tropessos e escândalos aos que crêem, e de argumento a favor dos que defendem que os dons passaram.
O fato é que a doutrina dos dons espirituais é atual, mas, precisa ser desprovida de sincretismos e de supertições, precisa ser estritamente bíblica, ou seja, apenas em nome de Jesus, na unção do Espírito Santo e nada mais.
1 Coríntios: 12. 7. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para o proveito comum. - Bíblia JFA Offline
Como já falei em outra ocasião, a experiência pentecostal, põe em xeque aqueles que questionam a atualidade dos dons. Note as palavras iniciais deste versículo acima citado, a qual indica uma ação, ato presente; " a cada um, porém, é dada", não diz" foi dada", nem " será dada", ou seja é uma realidade presente. Aqueles que questionam está realidade precisam, ou necessariamente são forçados pelos versículos que antecedem a estes a tomarem uma posição. " Ou dizem que a operação, ou manifestação dos dons em nós e por Satanás, ou manifestações de emocionalismo", ou aceitam a atualidade dos dons. Todavia não podem estar indiferentes, ou tomar uma postura neutra, simplismente não crendo na atualidade dos dons. Pois veja o que os textos antecedentes dizem:
1 Coríntios: 12. 3. Portanto vos quero fazer compreender que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, diz: Jesus é anátema! e ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor! senão pelo Espírito Santo. 4. Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. 5. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. - Bíblia JFA Offline
 Se o texto diz que a cada um é dada, não pode ser isso no passado, nem no futuro mas, no presente. Logo se eles afirmam que o que opera em nós não pode ser os mesmos dons descritos na Bíblia, estão afirmar o descabida de que não falamos por Deus, e estão a se opor a esta declaração bíblica.

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...