TRADUTOR

terça-feira, 17 de julho de 2018

Série pecados 10: Murmuração


1 Coríntios 10: 10. E não murmureis, como
alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor.

murmuração

substantivo feminino
ato ou efeito de murmurar; murmúrio.
rumor infundado; boato, falatório.
falatório depreciativo; detração, maledicência.


Este é mais um dos muitos pecados da língua, estes dos quais o Apóstolo Tiago, nos informa que se alguém conseguir controlar a sua língua evitando os tropessos este e varão perfeito(Tiago 3.2  ). Mentira, maledicência, palavras torpe, conversas trivulas, blasfêmia, e outros iguais...

A Murmuração aqui não é um falar baixinho pelos cantos tal como a palavra em si insinua, mas, aqui é uma maledicência, um reclamar, um queixar-se pelos cantos as vezes em murmúrio mesmo, as vezes alto, falar mal queixando, desmerecendo às escondidas. Maldizer pelas costas.
Aqui um dos significados que é"rumor infundado" cai bem, pois se trata de uma maledicência sem bases justas, sem bases significativas. Ou seja, sem fundamentos, são rumores, conversas, fofocas que se forem aferidas não subsistem, não prevalecem.

Foi o caso de Miriã e Aarão, não que eles não tivessem base ou argumento verdadeiro para falarem. Pois pela lei, Moisés não deveria ter mulher extrangeira( Números 12.1 a 16 ). Mas embora Zipora fosse estrangeira, mas, sendo do povo de Midiã ela era da mesma linhagem de Moises, era também descendente de Abraão. Alguém também poderia dizer que não era Zipora, mas, outra mulher, mas, este fato vem a  ocorrer  depois do retorno de Jetro a Midiã, o qual retorna sem sua filha a qual ele a havia deixado com seu marido ( Êxodo 18.1-6,27). Há um debate devido o texto dizer que era uma mulher cuxita, por isso alguns afirmam não se tratar de Zipora, outros vão além dizendo que Moisés havia divorciado de Zipora e casado com a mulher cuxita. Mas entendo que se trata da mesma pessoa, e o bom relacionamento demonstrado na Bíblia de Jetro com Moisés, discarta a possibilidade de Moisés ter divorciado de Zipora.
Mas o testemunho de Moisés vinha do próprio Deus, não fora ele que se escolherá e voluntariamente havia se tornado líder de Israel, mas, foi Deus quem o havia enviado. Entendo no entanto, que os irmãos de Moisés possivelmente não conheciam a sua esposa, ou não sabiam que ele era casado. E quando ficaram sabendo, reprovaram por não ser a mesma israelita. Mas o rumor deles tinha fundamento mesmo?
Vamos averiguar o texto sagrado. Primeiro leremos a proibição de casar com pessoas que não são israelita.
"Êxodo 34: 10. Então disse o Senhor: Eis que eu faço um pacto; farei diante de todo o teu povo maravilhas quais nunca foram feitas em toda a terra, nem dentro de nação alguma; e todo este povo, no meio do qual estás, verá a obra do Senhor; porque coisa terrível é o que faço contigo. 11. Guarda o que eu te ordeno hoje: eis que eu lançarei fora de diante de ti os amorreus, os cananeus, os heteus, os perizeus, os heveus e os jebuseus. 12. Guarda-te de fazeres pacto com os habitantes da terra em que hás de entrar, para que isso não seja por laço no meio de ti. 13. Mas os seus altares derrubareis, e as suas colunas quebrareis, e os seus aserins cortareis 14. (porque não adorarás a nenhum outro deus; pois o Senhor, cujo nome é Zeloso, é Deus zeloso), 15. para que não faças pacto com os habitantes da terra, a fim de que quando se prostituirem após os seus deuses, e sacrificarem aos seus deuses, tu não sejas convidado por eles, e não comas do seu sacrifício; 16. e não tomes mulheres das suas filhas para os teus filhos, para que quando suas filhas se prostituírem após os seus deuses, não façam que também teus filhos se prostituam após os seus deuses. 17. Não farás para ti deuses de fundição. "
"Deuteronômio 7: 1. Quando o Senhor teu Deus te houver introduzido na terra a que vais a fim de possuí-la, e tiver lançado fora de diante de ti muitas nações, a saber, os heteus, os girgaseus, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; 2. e quando o Senhor teu Deus as tiver entregue, e as ferires, totalmente as destruirás; não farás com elas pacto algum, nem terás piedade delas; 3. não contrairás com elas matrimônios; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; 4. pois fariam teus filhos desviarem-se de mim, para servirem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria. 5. Mas assim lhes fareis: Derrubareis os seus altares, quebrareis as suas colunas, cortareis os seus aserins, e queimareis a fogo as suas imagens esculpidas. 6. Porque tu és povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, a fim de lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a terra. - Bíblia JFA Offline"
Note que o texto bíblico não se refere a qualquer nação, mas, daquelas as quais Deus, extirparia do meio deles. Embora um judeu possa aplicar este texto de uma forma generalizada, todavia não é isso o que o texto diz.
Logo Moisés não estava errado, havia também o fato da lei ter sido promulgada depois muito tempo depois do casamento de Moisés com Zipora. No entanto mesmo tendo a lei como base a postura de Arão e Miriam não se justificava e não poderia passar impune uma vez que a murmuração contra um líder ataca contra sua integridade, autoridade, honra, sua imagem, dignidade. Israel estava num momento muito delicado de sua história era o início e a construção de sua identidade como nação. Atacar a Moisés era desestabilizar tudo aquilo que Deus estava a fazer e construir em Israel. Se Moisés não pudesse ser confiável as escrituras do pentateuco também não se mostrariam confiáveis como a Palavra de Deus. Por muitas vezes o povo de Israel falaram contra Moisés, questionaram a sua autoridade e até mesmo o seu chamado(Números 11/14.2/16 e 17/21.5)
Resumindo embora Zipora não fosse israelita ela era decente de Ismael filho de Abraão. Abraão este que também é pai de Isaque,  e avô de Israel. Não era descendente dos povos aos quais Deus dissera conforme os textos acima com os quais Israel não deveria fazer aliança, mas, deveria destruir e tomar a sua terra. E por fim o mais importante, Deus é quem havia comicionado a Moisés, e o próprio Deus não havia exigido que Moisés a deixasse, nem o havia reprovado, nem havia considerado da mesma forma como Miriam e Aarão o fizeram.

Agora como iniqüidade sabemos que a murmuração e direcionada contra alguém. E contra a imagem de alguém, é um falar sem sentido um reclamar, muita das vezes a pessoa fala habitualmente, ou movido por inveja, ou algum ressentimento. Estes ataques a imagem e reputação de um líder visam minar a sua autoridade, desmerecer a sua posição. Então a integridade, a dignidade, a reputação ou seja tudo que está relacionado a imagem e autoridade do mesmo é atacado. É uma postura covarde, de quem não podendo atingir alguém diretamente, então se põe a fazê-lo de forma indireta.

terça-feira, 26 de junho de 2018

Cantos de Livramento (música de Felipe Ferreira Lopes)

"Tú és o lugar em que me escondo.
Tú me preservada da angústia.
Tu me singes de alegres cantos de livramento"

Salmos 32.7

ABENÇOA JESUS





ABENÇOA JESUS

Abençoa Jesus, toda minha família.
E a todos que estão em meu coração.
E que va mais além, e alcance os meus inimigos.
E a todos que necessitam de sua salvação.

Que toda esta nação, conheça a Ti meu Jesus.
Sendo o meu caminhar, marcado pela tua presença.

E onde eu passar, abençoa.
E onde eu chegar, abençoa.
E onde eu entrar, abençoa.
E onde eu ficar entre e fique ali também, abençoa Jesus a todos amém.

Autor: Felipe Ferreira Lopes

sábado, 10 de março de 2018

Unidade cristã ou ecumenismo religioso

Quando falo sobre"unidade cristã', talvez o presado leitor, possa me entender ou me colocar na mesma esfera que aqueles que defendem o ecumenismo. Embora esta palavra(ecumenismo) já fora usada em outras épocas nos primeiros séculos da era cristã, todavia em nosso tempo atual se vê inapropriada devido ao contexto na qual o catolicismo romano a tem empregado, o qual confunde unidade cristã com unidade religiosa. Ele o faz porque procura ter primazia sobre todos, e usar de forma indireta e disfarçada reinar soberano.
Mas, unidade cristã é a unidade do corpo místico de Cristo, na sua manifestação visível (como instituição) e invisível. A unidade cristã é sim uma unidade religiosa no sentido da unidade da religião cristã entre si, e não é ecumenismo no sentido de união com outras religiões. O chamado diálogo religioso, para nós cristãos não pode existir no sentido proposto e que se pratica, o qual é um ritual de hipocrisia e sincretismo. No entanto é importante que o mesmo exista no sentido de convivência pacífica, mas, não no sentido de diálogo verdadeiramente, pois não comungamos, da mesma fé. Se todavia temos idéias comuns, mas, não temos um deus comum, nem o mesmo caminho, por isso neste sentido o diálogo seria filosófico e não religioso. Se aceitarmos tal diálogo, estaremos sendo hipócritas com respeito a nossa fé, pois o diálogo religioso tal como proposto atualmente se manifesta por uma incoerência contra a própria fé do praticante, pelo menos isso é verdade no âmbito cristão.
Agora um diálogo da cristandade entre a cristandade, seria e é indispensável visto comungarmos de um mesmo Deus, de um mesmo caminho que é Jesus.
Então não estou a entoando o cântico daqueles que pisaram no sangue da redenção, ao contrário estou chamando a uma reconciliação dos cristãos com os cristãos. No entanto entendo o abismo que temos permitido que o diabo colocasse entre nós, o qual construiu barreiras em muitas frentes, e colocou muros em cada via de acesso, de tal forma que tem inviabilizado a unidade real em vários sentidos. Pois certo toda a vez que vimos alguém com uma bandeira de trégua, tem lá um liberalismo pecaminoso e vergonhoso por trás. Por exemplo há igrejas protestantes que assinaram termos de aproximação com a igreja católica, todavia nem a igreja católica abriu mão de suas tradições e dogmas, nem mesmo estás igrejas o tem feito. Reconhecer a doutrina da justificação pela fé da parte dos católicos de forma teórica não é suficiente e nem resolve os reais problemas, que estão muito mais enraizados. Creio que se o Papa se levantasse contra todo o histórico de seus antecessores, faria um racha inorme em sua denominação de forma que ficariam em grande prejuízo.
Então há uma diferença entre unidade cristã e união de religiões ( o chamado hoje de ecumenismo e diálogo religioso). Há uma necessidade para a unidade cristã, e quando a unidade cristã se consolida, sabe-se que ela não significa união com outros povos, pois a unidade cristã é comunhão com Cristo e isso significa não comunhão com as outras religiões. Ou seja quanto mais, e maior for a unidade cristã, maior será o destaciamento do mundo, não em termos de evangelização, mas, em termos de comunhão. Quando nos aproximamos de Cristo Jesus, nosso foco sai das coisas do mundo e nossa comunhão com o mundo some, pois as duas não podem coexistir, e isso leva a um fortalecimento da unidade.
Não falamos a mesma língua, não temos os mesmos objetivos, não comungamos de uma mesma fé, nem adoramos ao mesmo Deus. Nem mesmo o Cristo progressista deles é o mesmo Jesus fundamentalista nosso.

2 Coríntios 6: 14. Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? 15. Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? 16. E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. - Bíblia JFA 

A palavra catolicidade, vai falar sobre a igreja e a sua universalidade, sua totalidade, por este ângulo catolicidade é unidade. Mas a unidade cristã trás um sentido a mais o de integralidade, como argumentei em outro texto a unidade cristã, se dá não apenas pela união, mas pela união e comunhão tendo o Espírito Santo como o que fortalece e estabiliza estes laços. Ele o Espírito é o cimento destas duas colunas.Logo a palavra catolicidade comporta a idéia de unidade, mas não é a unidade cristã em si.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Membros consagrados


...nem tão pouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade...
Romanos 6.13

Quando você viu este titulo talvez pensou que se tratasse de pessoas consagradas a Deus.Não é isso. Estou dizendo de membros do nosso próprio corpo, pois assim como os homens do mundo apresentam seus corpos para servirem as iniquidades, ou seja a prostituta se apresenta para ser um instrumento da lascívia, o viciado um instrumento do desejo incontrolado de usar intorpercentes, cometendo com isso roubos, e viciando outros. Entre outros vícios, e maus costumes que as pessoas adquirem por apresentarem ou oferecerem os membros de seus próprios corpos para serem usados pelo pecado para a satisfação carnal, por que na verdade como o versículo ai a cima citado diz eles consagram seus membros a iniquidade, a Bíblia nos exorta na continuação deste versículo.

...e os vossos membros a Deus como instrumento de justiça.

Que ao contrario, devemos consagrar os nossos membros agora libertos do pecado, a Deus; para serem eles instrumentos da sua justiça.Como vemos se na pratica do pecado adquiríamos vícios e manias terríveis que era difícil de nos vermos livres deles, precisamos agora adquirirmos bons costumes, os quais venha a moldar a nossa conduta, é difícil pois quando você vive conforme o pecado você apenas segue a correnteza, ou seja você apenas faz o que seus impulsos querem, você é bonzinho quando os seus impulsos querem, e quando eles querem você é mau. Mas, agora é diferente, se a carne quiser você é bom, mas, se a carne não quiser deve continuar a ser bom, pois isso é do agrado de Deus, que façamos aquilo que é justo.
Deus dará graça! Se estamos em Cristo Jesus. Romanos 8.1

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Ponto a considerar 16: Limpos de coração...

Mateus 5: 8. Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. - Bíblia JFA
Muito felizes são os santos, sim é isto que o texto está dizendo. Pureza de coração, não é inocência como se o texto fosse uma referência a crianças, mas, pureza de coração é pureza moral, aqui fala de limpeza de um coração que foi limpo pela palavra ( João 15.3) e pelo sangue de Jesus ( Hebreus 9.13,14 ). Embora seja, a pureza do coração das crianças de colo o exemplo no qual creio eu o Senhor se inspire para falar aqui .
"Mateus 18: 3. e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. - Bíblia JFA"
Limpos de coração ou puro de coração, está expressão é referente a pureza moral, puro é algo que não foi contaminado. Mas, no nosso caso a expressão limpo de refere com maior propriedade, porque a nossa pureza é de natureza secundária, ou seja, fomos purificados. Tal como uma ferramenta cirúrgica que é submetido a uma processo de assepsia e autoclavagem para que a mesma possa ser reutilizada. E isto porque não estava pura, mas, havemos sido lavados pela palavra de Cristo Jesus, a qual nos torna quais crianças de peito para que o Rei possa nos receber em sua presença. Lembremos da parábola das bodas do grande Rei, na qual havia um homem que foi questionado pelo Rei, por estar sem vestes nupciais, vestes de pureza, no entanto, penso eu, que se o mesmo tivesse se umilhado, diante do mesmo não teria sido lançado as trevas exteriores. Mas a aplicação aqui ao nosso assunto é referente as vestes. Sem elas não teremos acesso a sala do Rei( Mateus 22.1 a 14). Não é preciso comprar, ela é dada naturalmente aquele que se submeti ao Espírito Santo, o qual é agente santificador.
 O que é pureza moral? É a pureza de um coração cujas escolhas e motivações, são isentas de egoísmo, de projetos mais, de cobiças. É um coração resgatado e convertido a Jesus, ao mesmo caminho que o mestre. E que caminho é este? É o caminho do amor a Deus com todo o teu ser, e ao próximo como a si mesmo. O qual é "benevolência desinteressada", isso falo me referindo ao fato de que é um amor caridade o qual não possui motivações egoístas. Este caminho tem no geral dois objetivos a glória de Deus e a promoção de seu reino entre os homens.
A pureza de coração é a santidade citada em Hebreus 12.14, que diz-se sem a qual ninguém verá o Senhor. Pois aqui o autor de Hebreus não contradiz o que Jesus afirmou, nem traz um mandamento que obstrui a bem aventurança que Jesus proferiu. Mas, ele apenas se expressa de forma diferente, Jesus disse "os limpos de verão a Deus", o escritor aos Hebreus diz, " sem santidade ninguém verá o Senhor". Mas, ambos estão a dizer a mesma coisa de forma diferente, eles dizem" os limpos de coração verão a Deus, pois sem está pureza ninguém pode ver a Deus".

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Desunidade cristã

2 Timóteo: 4. 3. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, 4. e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. -
As consequências da desunidade do cristianismo nos dias atuais são sérias, de maneira que não podemos falar de unidade cristã como realidade em nossos dias, sabemos que esse não é um problema novo. E quem afirma que a unidade cristã é uma realidade hoje, está em grande mentira e hipocrisia descarada. Não confundamos união com unidade, somos unidos sim, em torno do nome de Jesus, mas, não somos um. Isso não é uma realidade para ser apenas mística ou espiritual ( embora eu creia que nem neste sentido estejamos vivendo está realidade da qual Jesus falou), mas, sim precisa ser visível e perceptível, lembremos da oração de Jesus (João 17.21)", afim de que sejam um, para que o mundo creia que tu me enviaste". Se não fosse o, "para que o mundo creia que tu me enviaste", eu não estaria tendo que chamar a atenção para a unidade visível.
Ponho aqui cinco consequências da desunidade cristã, são elas:
1. Falta de referência para os perdidos.
Jesus disse em seu belo Sermão da Montanha", vós sois sal da terra e outra vez diz, vós sois luz. Claramente vemos por estes textos a capacidade de influência e a capacidade de ser referência do cristão. Capacidade, digo e vocação, pois isso está incluso em nossa chamada. Mas, as várias congregações, cada uma com uma ideologia diferente, uma roupagem, um estilo, procurando ser diferente, do mundo por caminhos próprios, ou sendo ascéticos, ou querendo agradar e atrair um grupo específico, levantando uma bandeira. Tem anulado estás especificidades de nossa vocação, as quais são influência e referência.
Mateus: 5. 13. Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lhe o sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens. 14. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; 15. nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa. 16. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. - Bíblia JFA Offline
Em meio a tanta confusão, tanta roubalheira, tanto desespero, as pessoas precisam ter um ponto de referência no qual possam se apoiar. E este ponto é a "coluna e firmeza da verdade". Mas, as pessoas olham para o cristianismo e vêem no em um mar de confusão. Alguém poderá dizer, a mas, a igreja corpo místico de Jesus está bem. Sim, mas, o mundo não vê a igreja mística, eles não vêem o espiritual, e sim vêem a igreja visível, o cristianismo, as instituições e denominações cristãs.Assim sendo perdemos também o poder de referência.
Uma igreja que não é referência não pode ser influência. Não consegue influenciar as vidas para Cristo, pois estão com o sal fraco e sem sabor, sem teor, como uma poeira apenas, e poiera é coisa de se jogar no chão. Não é qualquer tipo de influência, e sim aquela que influencia para Cristo. E como se dá este tipo de influência?
A) Sendo uma comunidade amorosa.
João: 13. 34. Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. 35. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros. - Bíblia JFA Offline
Note mais uma vez o aspecto visível do amor cristão," todos conherão que sois meus discípulos", não se trata de seiva que corre por dentro das árvores, mas, do fruto que resulta dela. O nosso testemunho precisa ser eficaz para a salvação dos perdidos.
B) Quando a nossa santidade não revela um padrão de hipocrisia e sim uma vida de verdade e retidão. Por que a influência pela verdade não degenera, não corrompe. Ela liberta, e convence o homem. Ela é ferramenta do Espírito Santo, não é atoa que seu nome é Espírito da verdade.
João: 16. 13. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras. 14. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará. -
João: 17. 17. Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade.
C) Quando damos ouvidos a voz do Espírito Santo. Se Ele é o Espírito da verdade, suas diretrizes nos darão tudo o que precisamos.
João: 16. 13. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras. 14. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará. - Bíblia JFA Offline
2. Desagrado a Jesus.
Mateus: 12. 25. Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. 30. Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. -
João: 17. 18. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviarei ao mundo. 19. E por eles eu me santifico, para que também eles sejam santificados na verdade. 20. E rogo não somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; 21. para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; 23. eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim. - Bíblia JFA Offline
Em quê, a divisão no cristianismo contrareia a Cristo?Se a igreja visível é uma, e a igreja invisível é outra, porque esquentar a cabeça com isso?
Porque a divisão não estabelece a vontade de Deus, não revela a vontade de Deus, e não é a vontade de Deus.
3. Falta de arrependimento.
Com o pluralismo de idéias, de bandeiras defendidos pelos diversos cristianismos dentro do cristianismo, o inimigo tem encontrado uma eficaz maneira de endurecer os corações para que não se arrependam e se convertam a Jesus, pois há muitas argumentações e desculpas baseado na Bíblia para com isso justificar seus erros. Pois existe uma pluralidade de explicações uma mais conveniente a carne do que a outra. Não tem sido necessário arrepender-se de seus pecados (exceto por aqueles combatidos pela sociedade, como alcoolismo, prostituição infantil, drogas e outros), apenas achar uma denominação que favoreça o seu pecado. Ou como se diz;" que você se sinta bem".
4. Queda no número de conversões a Cristo.
Falo disso como uma coisa certa, não é preciso provar ou argumentar, todos estamos cientes deste fato. Temos igrejas cheias de homens inconversos de gente enganando a si mesmas. A conversão a Cristo é diferente da conversão a religião cristã, enquanto a primeira decresce e segunda cresce, e isso por muitos não é percebido ou é e ficam indiferentes ao fatos, e mesmo que não sejam tão indiferentes, mesmo que falem ou toquem no assunto todavia ainda são passivos diante do mesmo. A nossa passividade diante da nossa realidade pode e é considerada perante Deus como pecado.
Eu vos nomeei para que vades e seria frutos, a fim de que o vosso fruto permaneça( João 15.16  ). Disse Jesus.
Persebi que a pessoa convertida a Jesus ela dá fruto proveniente da pessoa do Espírito Santo que nela habita. Nisto é distinguido aqueles são convertidos a Jesus é aqueles que não são, os que são de Cristo crucificaram a carne com suas paixões, os que são de Cristo possuem vigente o fruto do Espírito( Gálatas 5.22).
A desunidade cristã reduz o número de convertidos a Cristo, porque ela possibilita o surgimento de muitas facções não apenas denominacionais, mas, doutrinárias em sua maioria, fruto de corações endurecidos, resistentes a voz do Espírito Santo, com o intuito de justificar um pecado ou um projeto pecaminoso. Na desunidade cristã se cumpre a profecia de Paulo a qual diz, que, nos últimos dias, amontoariam doutores segundo as suas próprias concupiscências ( 2 Timóteo 4.3).
5. A cada divisão surge uma nova ideologia.
A cada denominação nova, surge uma proposta de viver o evangelho, certo pregador neto de Billy Graham, disse que não é viver o evangelho e sim de forma digna ao Evangelho ( Filipenses 1.27). E eu concordo com ele, o problema ainda maior que este, é que a cada proposta nova surge um desvio doutrinário novo, uma visão equivocada, tendenciosa sobre o evangelho. Isso quando estas facções cristã surge com esta visão. Mas, surgem se também novos rótulos com propostas de atenderem as diversas demandas da carne, visões avarentas por um lado e concupiscentas por outro. Surgem se as mais diversificadas visões, doutrinas, e facções frutos de corações endurecidos, resistentes ao apelo do Espírito Santo.
São segundo um breve levantamento que fiz e comentei em Táticas do espírito do Anti-Cristo, com o subtítulo "Divisão", nove fatores que causaram e causam a divisão no cristianismo, por parte do homem:
1º.  Dureza  e  inflexibilidade  dos  líderes  ou  mesmo  dos  liderados.
2º.  Falta  de  abertura  para  a  verdade( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
3º.  Espírito  de  engano.
4º.  Orgulho
( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
5° . Avareza.
6°. Falta de conversão ao propósito de Jesus Cristo.
7°. Cobiça inveja e espírito faccioso.
8°. Medo.
9º.  Colocar  os  dogmas  no  mesmo  patamar  que  a  Bíblia  ou  mesmo  acima.
10°. Querer converter a igreja a si mesmo.
E são quatro motivos pelos quais Deus permite ( pelo menos são os que tenho listado até agora).
1°. Divisão como ferramenta da preservação da pureza da doutrina cristã na verdade e pureza dela.
2°. Divisão como ferramenta para a preservação da liberdade cristã.
3°. Como ferramentas da preservação da propagação do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
4°. Como indicador de que algo está errado(indicador extremo).
E gostaria de fazer dentro dos mesmos uma nova abordagem, mais condizente com o contexto desta reflexão, ou seja recomenta-los. E dentro dos textos dos fatores adicionar mais dois.
11°. Resistência a voz do Espírito Santo.
12°. Submissão a voz de Satanás.

* Fatores por parte do homem que causam a divisão e desunidade.
1º.  Dureza  e  inflexibilidade  dos  líderes  ou  mesmo  dos  liderados.
Paulo disse que não deveríamos nos mover facilmente do nosso entendimento, mas, isto não significa que não deveríamos estar abertos a verdade, a Bíblia diz que o Espírito Santo, é quem nos guia a toda a verdade ( 2Tessalonicenses 2.2/ João 16.13 ). Paulo disse assim, para que com prudência e discernimento, podessemos averiguar tudo aquilo a que nos é submetido.
Mas muitos líderes não estabelecem um diálogo sincero com seus liderados, nem está disposto a abrir mão de suas ideias e receber um esclarecimento da verdade, antes como as autoridades diante de Estevão, tampam os ouvidos e gritam( Atos 7.57 ).
Igualmente muitos liderados inchados em suas presunções, não são submissos, não se dispõe a refletir sobre suas idéias com humildade e oração, examinando a Bíblia com cuidado e por meio da mesma tentando um diálogo com seus líderes sobre suas dúvidas e opiniões. Pois onde há humildade, Deus se faz presente estabelecendo a graça da reconciliação.
Antes o que vemos é estás discordâncias sendo motivo para por meio do orgulho, se abrirem novos pontos de congregações. Porque de certo o caminho mais fácil para a grande maioria tem sido a separação.
"Andarão dois juntos se estiverem de acordo?" É o que diz o provérbio, mas, porque não podemos concordar? Não é necessário que haja uma absoluta concordância, mas, é necessário que estás discordâncias não sejam profundas. Aliás o provérbio diz de andar, ou sobre o concordar em andar junto, não quer dizer que aqueles que andam juntos sejam concordes em tudo. Mas, pode sugerir que estás diferenças não contaminam a sua comunhão.
2º.  Falta  de  abertura  para  a  verdade( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
Pedro diz, que dois são os que distorcem as Escrituras, os quais são, os inconstantes e os indoutos. Os inconstantes são aqueles que não conseguem se firmar na verdade, daí o porque do nome, e o fazem geralmente por causa do pecado. Muitos destes são conhecedores da verdade, mas,cá resistem de propósito. Mas, o grupo que mais se encaixa neste fator, são os indoutos. Eles desconhecem a verdade, e não estão dispostos a submeterem suas opiniões ao crivo da palavra de Deus, alguns por medo de estarem errados, ou devido a insegurança que possuem por não estarem firmados na Bíblia temendo serem enganados pelo inimigo, outros por orgulho, não querendo dar o braço a torcer, não estando dispostos a se retratarem de suas opiniões por estarem errados.
De certo está relutância, está falta de abertura para a verdade é um dos fatores que causou é causa divisão e o surgimento de outras comunidades denominacionais. Porque muitos indoutos pensando estarem a defender a verdade, procuram criar redutos de "santidade", se separarem de suas antigas denominações com a justificativa de serem zeloso pelo que é certo diante de Deus, por uma igreja Santa e irrepreensível.
Já os inconstantes cansados de serem fatigados com os homens de Deus, denunciando e criminalizando suas práticas, as quais eles até tentam por algum momento se distanciar das mesmas, mas, seu coração insensato e obstinado insiste em retornar. Então para se verem tranquilos e em "paz" consigo mesmos resolvem fazer um pacto com seus pecados abraçando uma ideologia que os defenda, e quando não a acham, eles a criam, surgindo assim os movimentos progressistas os quais bem conhecemos hoje.
3º.  Espírito  de  engano.
Ou espírito que promove o engano, ou a mentira, por falta de discernimento daqueles que o dão ouvidos. Aqui gostaria de anexar o que já havia dito em Táticas do espírito do Anti-Cristo:
"Este é um fator terrível, na Bíblia contasse uma história que uma vez um espírito de engano saiu da presença de Deus, e confundiu os profetas de Acabe, para que Acabe viesse a ser morto. Muitas pessoas recebem profecias de morte, por não ter o discernimento, e não sabe que esta profecia não é benção, mas, um laço para a sua própria vida(1 Reis 22. 1-28 ).Assim como aquele espírito se dizia ser Deus, falando em nome de Deus como se fosse o Espírito de Deus, hoje não é diferente ainda há muitos espíritos de enganos da parte não de Deus, como foi naquela citação, mas, da parte do enganador das nações que é Satanás, pois, é assim que a Bíblia o descreve como o enganador das nações(Apocalipse 20.8), que é o Espírito do Anticristo, que João também o descreve como enganador(2 João 7). Este espíritos de enganos não trazem revelações de Deus, mas, revelações do próprio ego dos profetas. E com isso acreditando seremguiados por Deus, muitos homens e mulheres, saem e abrem novos ministérios, muitos pelos seus carismas, e valendo-se pregações que afagam os egos de outros conseguem levar estes ministérios para muito longe. O Caso dos espíritos de engano vai muito além de uma revelação para abrir um ministério, muita das vezes estes espíritos em ministérios legalistas promovem o fortalecimento do argumento de seus lideres, com visões de arrebatamento ao inferno onde pessoas que recusam seguir seus caminhos e suas doutrinas antibíblicas (que os mesmos usando de versículos isolados falam serem bíblicas) estão sendo atormentadas.
 ação destes demônios não se limita aos ministérios legalistas, muitos ministérios neopentecostais, são levados e enganados pelos mesmos, com a introdução de sincretismos religiosos em suas denominações, como práticas do espiritismo, das religiões afro-brasileiras, do judaísmo, até mesmo do islamismo, da psicologia, religiões orientais e etç.
A grande dificuldade é que como os tais não possuem uma teologia sã, acabam por acreditar ser estes enganos de Deus, e sendo assim fica difícil (não impossível se a pessoa for aberta a verdade) de convencer uma pessoa desta de seu erro, de que esta sendo enganada. A palavra de Deus disse que nos últimos dias as pessoa dariam ouvidos a doutrinas de demônios(1 Timóteo 4.1 )."
Vocês lembram do profeta velho? Aquele que mentiu para o profeta de Deus é o fez desviar do caminho para o qual Deus havia traçado para ele? (  1Reis13  )E lembram do que aconteceu ao profeta de Deus, de como ele morreu? Aquele mesmo espírito de engano e de morte ainda está a rondar-nos. Mas, o sangue de Jesus tem poder. O que eu quero dizer é que está desunidade cristã, não é fruto de pessoas ouvindo o Espírito de Deus, mas, é de pessoas ouvindo o espírito de Satanás.

4º.  Orgulho
( pode ser da denominação cristã ou de quem está a promover o rompimento com a mesma para abertura de outra denominação).
O orgulho promove separação, divisão, destroi a unidade cristã no âmbito comunitário. Porque? Pois leva ao extremo a sua posição, não sede, como já comentei acima, falando sobre dureza de coração que é um coração tomado pelo orgulho, enganado a respeito de si mesmo, também quando falei de falta de abertura para a verdade. Em ambos os casos o orgulho está presente está operando.
 Pode ser no tocante a doutrina, pode ser no tocante a sua posição. O orgulho de um líder, ou mesmo de um liderado divide denominações, não a sã doutrina, Deus nunca pede ninguém para sair da sua denominação, assim como o divorcio, muitas divisões ocorrem devido a dureza do coração dos homens, mas, nunca pela ação do Espírito Santo( Mateus 19.8).
*Orgulho com respeito a doutrina. É o caso da falta de abertura para a verdade, a pessoa achar que é o detentor de toda a verdade, esquece que para nós seres finitos a verdade vem de forma gradual, e parcial, para que ninguém fique independente doutro, mas, possam se unir em comunhão pelo compartilhamento do que cada um recebeu a respeito da verdade. Ou seja cada um fala e encina, segundo a graça que lhe foi concedida. Sabendo também que quem detém maior conhecimento tem maior peso de responsabilidade diante de Deus. E por fim não podemos esquecer que muitas vezes nos enganamos a respeito da doutrina, e acabamos por estar em caminhos de erro e engano, mas, jamais sairemos dele se não formos humildes para ouvirmos os sábios de Deus.
Sendo assim por este motivo de orgulho quanto a doutrina muitos promovem cismas na igreja, criando novas denominações, novos ministérios, para defender a sã doutrina, quanto as distorções do mundanismo ou para se livrarem de doutrinas de homens. Estas e semelhantes a estas, geralmente são suas defesas, quando tentam justificar a formação de suas entidades. Mas, o motivo real é o orgulho, seja do crente inconstante buscando justificar seus pecados, ou do líder incalto buscando justificar a sua insegurança e medo por não ter bases reais e firmes na palavra de Deus. Ou pode ser o contrário, pode ser o crente incalto ou o líder inconstante.
* Orgulho com respeito a sua posição.
Isso acontece muito em relação a liderança, que não adimite ser questionada, que não tem firmeza e segurança naquilo que encina e defende. Isto também promove a divisão de igrejas, quando o líder vê-se ameaçado, ou quando cobiça uma posição melhor. Pode acontecer de este líder começar a oprimir os seus liderados, ou tentar sufocar talentos, e novos líderes que surgem no seu rebanho. Este tipo de orgulho pode atacar de diversas formas, e pode se propício a ele, em situação propicia ao mesmo, vir a procurar querer se separar, e formar sua igreja, ou desfalcando a que ele congregava, ou não. Mas, pode também ser o contrário devido ao orgulho do líder, a igreja vir a se dividir.

5° . Avareza.
2 Pedro 2: 3. também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita.
Está é a palavra do Senhor por meio do irmão Pedro. Faz não muito tempo que a Globo zombava," pequenas igrejas grandes negócios". Pois se muitos dividem igreja por orgulho, outros fazem por cobiçar as riquezas deste mundo. Fazem o caminho oposto ao dos apóstolos que deixando tudo seguiram após o mestre. Estes através de seus carismas, seguindo o prêmio de Balaão, iludem as pessoas para fazerem da fé dos mesmos negócio. Paulo também diz, assim a respeito dos mesmos:
Atos dos Apóstolos 20: 29. Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão o rebanho, 30. e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si. - Bíblia JFA
Sem um pingo de temor, estes filhos do diabo, os quais até a si próprio enganam achando que estão no caminho, segados pelo pecado da cobiça, ludibriados pelo engano da serpente. Estes homens, enganam o povo de Deus, e abrem as suas empresas (igrejas), uma após as outras para sugar o necta da fé dos símplices, e quando se estranham ou se tornam grandes dentro de seus reinos eclesiásticos, dividem o reino. Fundam outra porta, uma universal, uma mundial, uma internacional e por ai vai.

6°. Falta de conversão ao propósito de Jesus Cristo.
Já está claro pelos tópicos acima que aqueles que não são convertidos ao caminho que Jesus Cristo, podem e causam as divisões no seio da igreja por diversos motivos, porque não podem estar unidos a Cristo caminhando num caminho oposto ao do Mestre. Está claro também que se não pensam como o Mestre, não agem como o Mestre. Uso a palavra Mestre, para evitar o questionamento, mas, Ele é Deus não podemos pensar como Ele. Pois sendo Ele Mestre, em tudo se dá como exemplo para ser seguido.E Ele nos deu o seu Espírito que nos revela o seu coração.
1 Coríntios 2: 12. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; 13. as quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais. 14. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. 16. Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.
Por isso digo que a pessoa que não está no caminho de Jesus, que é o próprio Jesus, causa divisão. Pois nenhum dos fatores descritos acima é aqueles que ainda vou descrever procedem de um homem de Deus, que segue a Jesus.
João 14: 4. E para onde eu vou vós conheceis o caminho. 5. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? 6. Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
7°. Cobiça inveja e espírito faccioso.
Novamente já tenho falado sobre isso acima, mas, gostaria de elucidar isto. Invejam posições, cobiçavam cargos, procuram desfazer de pessoas que estão a sua frente. Procuram plantar sementes de discórdia nos corações dos irmãos.
Quando não conseguem o que querem, fundam suas próprias seitas, para que possam receber a honra dos homens, pois não são pastores, não querem pastorear, não possuem compromisso com o rebanho, querem apenas o leite, a gordura, a carne e a lã.
* Espírito faccioso. Está é a expressão que traduz a ideia, ou sentimento acompanhado de um raciocínio tendencioso a criar partidos, formar grupos, e a espalhar a divisão na igreja, por meio de calúnias, difamação, denegrindo a imagem de outros com pretexto de sinceridade, de falsa honestidade, de promoção de justiça. São homens de peitos inflamados por sentimentos amargos, cobiça intensa.
Tiago 3: 13. Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom procedimento as suas obras em mansidão de sabedoria. 14. Mas, se tendes amargo ciúme e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. - Bíblia JFA
8°. Medo
Em que sentido o medo pode ou tem causado a divisão na igreja? Este é o medo relacionado a uma liderança indoutos e sem abertura para a verdade, o que geralmente o faz por ter medo de ser enganado, e por achar-se absolutamente com o todo da verdade sobre determinado assunto. EntãoA pessoa se torna cega, obtusa, se recusa a ouvir (quando digo ouvir, estou dizendo de prestar atenção,examinar, ponderar sobre o mesmo, e ser humilde para aceitar quando a conclusão óbvia for que esta errado).
Então isto tem o potencial de gerar um cisma na congregação, pois pode levá-lo para tentar garantir sua posição e autoridade, a atos de autoritarismo, e a impor obrigações absurdas aos fiéis. Dentro da mesma congregação caso a liderança comece a ser exclarecida, pode se levantar uma voz também movida pelo medo da liderança estar incorrendo num erro, e também agindo de oportunismo, que promova um cisma sendo acompanhado dos fiéis que seguem o seu raciocínio.
9º Colocar os dogmas no mesmo patamar que a Bíblia ou mesmo acima.
Isso comumente por aqueles que assim o fazem não é admitido. E está postura leva aos tais a se colocarem de maneira exclusivista contra os demais, e no caso de denominações que assim o fazem, sua postura exclusivista leva a surgir em seus membros tanto um sentimento, quanto um raciocínio separatista em relação as demais denominações, dizendo se os únicos que guardam a palavra. Aqui a baixo coloco o que escrevi em Táticas do espírito do Anti-Cristo.
"Jesus repreendeu os anciões dos judeus, por causa da chamada tradição dos anciões, que invalidava muitos dos mandamentos da palavra de Deus (Mateus 15.1-20 ). Se uma denominação coloca seus dogmas e tradições no mesmo peso que a bíblia de forma a competir com ela, muita das vezes até mesmo a substituindo isso não tem a aprovação de Deus, e isso causa divisão no cristianismo. Foi por isso que os reformadores foram expulsos do catolicismo, pois o mesmo até hoje tem seus dogmas e tradições mais em estima do a que a santa palavra de Deus.Mas, não podemos ficar sossegados quanto a isso no meio cristão, pois isso até hoje ainda causa divisão pois, muitas denominações põem seus dogmas, como verdadeiros papas, que são intocáveis, e inquestionáveis, quando alguém os põem em cheque o mesmo excomungado."
10°. Querer converter a igreja a si mesmo.
Este já não é bem um fator mais específico do líder, mas, sim de liderados. É claro está também pode ser uma realidade da liderança. É quando a pessoa que não é convertida, que por ser inconstante procura abrir um movimento que fale a sua língua, por não suporta a sã doutrina, por não querer abandonar o seu vício vê por melhor, abandonar a denominação ou procura outra que abone seu erro, e quando não a encontra procura criar um movimento para si.
Logo este fator tem sido muito comum hoje em dia.Como diz as santas escrituras, eles possuem coceiras nos ouvidos e não a suportam mais, não possuem paciência para escutar os santos ensinamentos, por isso procuram formar doutores em teologias para explicar que seus erros e pecados não são erros e nem pecados. Assim nasce uma denominação nova a cada dia, uma para cada pecado, assim como existe um santo no romanismo para cada dia do ano. Querem converter a igreja a si mesmos, mas, não querem se  a Jesus. Como disse lá em cima, muitos são até convertidos a religião, mas, não a Jesus Cristo, nesse caso aqui difere um pouco, pois eles querem é converter a igreja aos seus próprios ideais e concupiscências nocivas de cada dia(2 Timóteo 4.3,4).
Mas, com isso vemos que as divisões no cristianismo começam internamente dentro das denominações e depois afloram para fora na forma de um novo movimento, uma nova bandeira ideológica, uma nova denominação, um novo ministério.
11°. Resistência a voz do Espírito Santo.
Em resumo está situação é resultado de duas coisas, dureza de coração (ou coração orgulhoso) e resistência a voz do Espírito Santo. Como já falei antes,  primeiro os homens tomam suas decisões depois procuram o Espírito Santo; ou consultam ao Espírito Santo, mas, em seguida tomam a decisão sem esperar seu parecer; ou o relega a questões menores mas, quando se trata de questões mais comprometedoras, no tocante às coisas de Deus eles é que tomam a frente. Gideão já tinha o parecer de Deus, mesmo assim tratou de eliminar todo o resquício de dúvidas que tinha. Muitos ouvem um vento soprar ao longe e já partem para a batalha, isso seria fé, ou seria presunção? Seria agir investido de autoridade ou seria arrogância?
Certo é que muitos tem sido feridos, muitos tem sido humilhados em nome de homens e não em nome de Deus, por isso Deus não toma parte em seus resultados pois não tomou parte em suas decisões. Disso resulta muitas facções, e divisões, não por ouvirem a voz do Espírito, mas, por resistirem.
12°. Submissão a voz de Satanás.
E se não escutam o Espirito, escutam a Satanás, ele sempre fala ao âmago, conforme os conflitos da alma, sempre se aproveita das paixões e usa das mesmas para que possa levar o seu barco de maldade para onde quer. Ele é o espírito do Anti-Cristo, e sua função é destruir o cristianismo, por isso ele semeia nos corações as suas sementes malignas, de discórdia, amargura, cobiça e outros males. Ele semeia a confusão, faz o contrário do Espírito Santo, que semeia o amor e com ele a armonia. Ele promove as ideologias que justificam o pecado, ele constroe fortalezas e as fortifica por meio de idéias e sentimentos, seu reino maligno trabalha unido para dividir o Reino Benigno de Deus.
Cabe aqui uma pergunta, está o Reino de Deus dividido? Não, o reino de Deus, é muito mais amplo e permeia todos os limites do universo e das existências, mas, o cristianismo que é uma parte deste Reino, tem se deixado ruir em seu aspecto de comunidade religiosa. Porque embora a igreja seja espiritual, mas, o cristianismo que a contém e que é responsável diante de Deus de anunciar o evangelho do Reino de Deus na terra, é visível e material. Aqui não falo de desunião no absoluto, mas, de desunidade. Você pode se unir a alguém, mas, não serás um com ele.
A igreja tem este diferencial, ela não é apenas uma união de pessoas, mas, é também em Cristo Jesus uma unidade, um corpo totalmente ligado a cabeça e uns aos outros. Não se trata de um fenômeno meramente místico, e simbólico.
* Motivos pelos quais Deus permite a ocorrência de divisões no cristianismo.
1°. Divisão como ferramenta da preservação da pureza da bíblica doutrina cristã(sã doutrina) na verdade e pureza dela.
Essa declaração é melhor entendida num contexto histórico, no entanto desta afirmação vê se a pergunta: O que é a sã doutrina? Qual é a doutrina cristã?
A divisão pela história da igreja surgiu como uma via de escape para os cristãos verdadeiros, para que não precisassem barganhar as verdades da palavra de Deus, em favorecimento de um clero corrompido pelo poder.
Respondendo a pergunta a sã doutrina, é uma expressão bíblica, que se refere aos ensinamentos de Jesus e dos apóstolos, ou o conteúdo doutrinário do Novo Testamento. A expressão remete a uma doutrina pura, sem contaminação, hoje ou sempre o ensinamento de alguém, se não for conforme a reta justiça, ou tende a favorecer as tendencias da época, ou justificar um pecado, ou mesmo omitilo, pode se contaminar pela vida do expositor ou pela vida de quem ele procura agradar.
* Como ferramenta da preservação.
Porque? Isso é comum de se notar em denominações cristãs de cunho muito conservador e tradicional, sempre que as mesmas começam a flexibilizar as suas tradições, os grupos dentro da mesma que são mais conservadores, protestam, e não sendo devidamente ouvidos, se separam abrindo um novo seguimento com o intuito de preservar aquelaa tão estimadas tradições.
De igual modo Deus permite, e permitiu na história da igreja, que ouvesse sismas sempre que a integridade da mensagem do evangelho estava e está em jogo.
2°. Divisão como ferramenta para a preservação da liberdade cristã.
Preservação da liberdade cristã. A liberdade cristã é a liberdade da atuação do Espírito Santo em conjunto com a liberdade de ação dos eleitos. Quando uma denominação cristã restringe está liberdade em algum sentido ela sufoca e pode levar até a morte o seu crescimento espiritual.
Assim como a declaração anterior, está verdade é melhor entendida quando olhamos para a história da igreja. Quando um grupo cristão sufoca a liberdade de seus membros ele está dando uma brecha para a facção. Não falo de liberdade para pecar, mas, a conduta cristã é feita em expontaneidade e na direção do Espírito Santo não por força e obrigação. Isso tanto acontece com extremos de santidade ascética, quanto acontece com casos de pecados escondidos ou tolerados na direção ou pela direção cristã.
Quando é um caso de ascetismo vemos a imposição de regras humilhantes que obrigam os cristãos a viverem sob o julgo de obrigações como se ainda vivessemos uma lei mosaica.Na verdade a gente vê muita gente escrava e passiva nestes movimentos, e outros que ficam como rebeldes ali mesmo. Mas, é porque não conhecem a verdade.
 Já quando é no caso de pecados escondidos vemos as proibições e sensuras às manifestações do Espírito Santo.
Logo o Espírito e e aqueles que são guiados por Ele também são livres. E para que essa liberdade seja preservada, e não destruída pelas mãos dos homens é que o Senhor permite a divisão.
Não é um motivo isolado este motivo da preservação da liberdade, se alia ao da preservação da integridade da doutrina bíblica cristã.
3°. Como ferramentas da preservação da propagação do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Uma igreja fria, formalistizada, segada pelo pecado, acomodada pelas aceitações do mundo. É uma uma igreja indiferente, passiva diante da desgraça do mundo. É como um sal sem sabor. E como eu falei que um motivo se alia ao outro, igreja assim sufoca ou reprime a propagação do evangelho, ela restringe a liberdade cristã neste assunto. E para que a propagação do genuíno evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, siga em frente, por ainda a muitos a serem alcançados por Deus, é que Deus acaba permitindo a separação ou que aja um rompimento surgindo assim um grupo que lhe seja fiel neste quesito. E quando este mesmo grupo começar a seguir os mesmos caminhos daqueles de onde eles saíram. Deus levanta outros.
Talvez o leitor não esteja compreendendo estas afirmações minhas, mas, dê uma olhada na história da igreja pelos séculos e verás o que eu estou dizendo.
4°. Como indicador de que algo está errado(indicador extremo).
Deus dá muitos sinais e fala e informa de muitas maneiras, usa profetas, levanta os seus atalaias de uma a outra extremidade da terra para dizer que há algo de errado no meio de seu povo.
A separação das tribos de Israel em dois reinos foi um indicativo disso, mas,  será que Deus não lhes havia advertido antes? Será que Deus não havia avisado Salomão? Será que se Roboão tivesse dado ouvidos aos anciãos que aprenderam da sabedoria de seu pai, o reino teria se dividido?

Deus então permite a divisão como um sinal extremo de que algo está errado. E se tem ocorrido tantas facções hoje em dia, algo está muito errado, e as pessoas não tem percebido, porque não tem sabido dar ouvidos ao Espírito Santo.

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...