TRADUTOR

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Afeição natural X Afeição Espiritual


"O segredo de amar é ser amado", disse Max Lucado."Nós o amamos por que ele nos amou primeiro", disse João em sua primeira epístola. Esta é uma das formas de entendermos o "amor derramado em nossos corações pelo Espírito Santo".Mas, também quando não temos condição de amar, quando não conseguimos sentir amor por alguém, Deus nos torna capazes de amar, o Espírito Santo vem e opera em nós amor,afeto por alguém. E é este amor que eu chamo de afeição Espiritual, pois não é produzido em nós pela vontade da carne, mas, sim em nós é gerado pelo Espírito, a sua origem é no Espírito Santo e não na carne. É quando pelas nossas limitações não conseguimos amar, mesmo sendo amados por Deus, mas, o Espírito Santo de Deus vem e põem em nós amor pelas almas perdidas. Esse amor vem em nós como um auxiliar, para melhor desenvolvermos a obra de Deus. Não vem em nós para escravizar nos a fazer a sua vontade, a satisfazê-lo, mas, para nos auxiliar, para fazermos bem e com alegria, e inteira disposição tudo, e para o bom e perfeito executar daquilo que Deus nos tem confiado.
No caso de um inimigo nosso, muita das vezes dizemos que amamos, mas, não somos sinceros quanto ao sentimento.Talvez somos sinceros quanto ao propósito, pois como cristãos estamos inseridos na prática do amor que é mandamento, do amor que resume toda a lei, na santidade que é a total consagração a prática do bem, mas, de uma certa forma nossa sensibilidade ainda não manifesta um sentimento correspondente. Sei que há os que falam da boca para fora, pois não estão inseridos na prática deste amor, são hipócritas.Mas, no caso dos que são sinceros quanto ao propósito, são surpreendidos por uma sensação de achar que são hipócritas, quanto ao que dizem ou querem dizer que amam, mas, não manifestam tal sentimento em sí. E isso impedi nos de fazermos a vontade de Deus com alegria, no tocante a amar os nossos inimigos, isso digo,o sentimento contrário, que é o que provavelmente está em nós, leva nos a pensar que é impossível amar os nossos inimigos.
E se amamos no amor espiritual, não o fazemos com tal disposição sempre, por que as vezes nos cansa e fica enfadonho a prática do amor. Por isso fazemos com dificuldade lutando contra nós mesmos.Não estou dizendo que não temos vontade de o fazer e fazemos, se não estaria dizendo que somos hipócritas, mas, e assim que nós sentimos quando não conseguimos sentir afeto por alguém.Estou dizendo que sim, temos vontade e somos sinceros quanto a vontade, mas, que a falta de um sentimento correspondente a nossa vontade(nesse caso o afeto), torna nos forçoso o fazer o que Deus quer e tem posto no nosso coração, ou seja a vontade de Deus que está em nós.
Então quando nos encontramos nesta situação, o Espírito do Amor, que está em nós, operando o amor Espiritual(benevolência desinteressada, obra do Espírito Santo nos santos, que corresponde ao fruto do Espírito que são as nove virtudes, e também a caridade a primeira delas) o afeto espiritual, para nos estimular a prática do bem, ao amo caridade desinteressada, que Deus quer e tem derramado em nós.
A diferença entre o afeto espiritual e o afeto natural, é que o espiritual assim como ele é gerado no Espírito de Deus, no coração de Deus,a sua origem é espiritual por ser vinda da parte do Espírito Santo, e é posto em nós por ele mesmo, por Deus. E o afeto natural é gerado na carne(sensibilidade) e é nela a sua origem e não posto em nós, pois, é de nós mesmos.Embora os demónios possa também provocar na carne paixões e afetos, mas, diferente do Espírito de Deus, o que é provocado ou estimulado em por demónios na carne, visam escravizar o homem, e o que é de Deus não, mas, são auxiliares e servos nossos a serviço de Deus.
Por que Deus põem em nós, os demónios provocam e estimulam os sentimentos que há em nós tornando agressivo e maléfico para nós mesmos. Por isso quando digo o que o Espírito obra em nós, digo que é afeto Espiritual, ou seja, gerado no Espírito e posto em nós, na nossa sensibilidade, por que por ser sentimento, eles são manifestos pela nossa sensibilidade na carne( carne aqui não é sinonimo de mal). Mas a sua origem não é como a do outro na sensibilidade, mas, no Espírito Santo.
Estes estímulos que os demónios,põem em nossa sensibilidade,como alguns pensamentos pecaminosos, são o que podemos entender, que está escrito, como "dardos inflamados do maligno" em Efésios 6.10.
Agora, Paulo escreve em suas cartas sobre bons sentimentos e amor uns nos outros, como também há outros que o Espírito Santo gera em nós, como compaixão, alegria etc...
São estímulos para manter a chama desses sentimentos acesas, feitos por servos de Deus a servos de Deus, numa fraternidade, movidos pelo Espírito Santo e não por demónios e seus seguidores.São estímulos santos, pela oração, pela instrução da palavra, pelo amor.

Nenhum comentário:

Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...